.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

28º DOMINGO DO TEMPO COMUM-Olívia Coutinho

 

 Dia 09 de Outubro de 2016

Evangelho de Lc 17,11-19
 
A todo instante, Jesus nos convida a sermos propagadores do amor de Deus, não somente com palavras, mas principalmente com as nossas ações do dia a dia! Com o nosso testemunho de vida em Deus, motivamos o outro a  fazer a experiência deste amor no  encontro com Jesus!
Como seguidores de Jesus, comprometidos com o anuncio do evangelho, não podemos ficar indiferentes  às inúmeras graças que recebemos de  Deus  e nem deixar que irmãos nossos, desconheçam a verdade que liberta!
 Muitas vezes, o que aflige o nosso irmão, não são os problemas em si, e sim, a falta de disposição para enfrentá-los por não verem nenhuma perspectiva pela frente!  São muitos, os que não conseguem sair de situações difíceis, por  falta  de motivação, por falta de alguém  que  lhes mostre o Deus da vida, o Deus que é maior do que o seu problema!
Podemos ter fé, mas se não aplicarmos na nossa vida, os ditos e feitos de Jesus, não daremos testemunho do seu amor,  portanto, o reino de Deus não irá acontecer através de nós. O Reino de Deus só acontece através de nós, quando assim como Jesus, nos tornamos fonte de libertação para o outro, eliminando as trevas de sua vida!
A narrativa do evangelho deste Domingo, nos mostra, o quanto é importante propagar o amor de Deus no mundo!  Foi graças a esta propagação, que dez leprosos se  libertaram de um mal que lhes causava, além das feridas no corpo, feridas profundas na alma.  Condenados pela sociedade, a viverem excluídos do convívio social, sem o  contato  com a  família, estes dez homens,  sobreviviam nas periferias, num total abandono. É neste abandono, que Jesus, caminhando para Jerusalém, os  encontra! Certamente, aqueles leprosos, já tinham ouvido falar do poder de Deus na pessoa de Jesus, isto é,  o amor e  a  misericórdia de Jesus, já havia sido propagados pelo o povo naquelas redondezas, o que despertou neles, a esperança de serem curados por Jesus!
Cientes de suas limitações, eles não ousaram  em aproximar de Jesus, mas de longe gritaram: “Jesus, Mestre, tem piedade de nós!”. Jesus é muito breve neste encontro, apenas ordena-os a irem até os sacerdotes, pois só eles, poderiam liberá-los para o convívio  social, após constatar a sua cura, cura, que Jesus sabia que iria acontecer ao longo do caminho!  
(A lepra, hoje conhecida com  hanseníase,  era uma doença incurável, quem a contraia  era considerado impuro, condenado ao isolamento, a viver fora do convívio social, religioso e familiar e quando alguém se livrava deste mal, a sua cura era considerada como obra exclusiva de Deus.)
Em obediência a Jesus, os leprosos, cheios de esperança,   tomam o caminho indicado por Jesus e durante o percurso, percebem que estão curados!  Um deles, logo que se viu livre da lepra, retorna  ao encontro do Sacerdote, o sacerdote Maior, aquele que lhe concedera a cura: Jesus! Prostrado a seus pés, ele recebe também a cura interior, ou seja a sua Salvação. Este, era um samaritano, considerado inimigo dos judeus, foi o único  que ao sentir tocado pela intervenção de Deus em seu corpo, quis também experimentá-la no seu interior! Uma atitude que podemos constatar  com a sua decisão de  retornar à Jesus
Antes de receber a cura, aquele  samaritano,  grita Jesus de longe, curado, ele toca em Jesus, numa atitude de reconhecimento de que Jesus era o próprio Deus! É este reconhecimento que o  levou a ficar totalmente livre de tudo o que lhe escravizava: doença, preconceito, abandono e principalmente o pecado...
É por isso, que este samaritano, vindo de um povo que não honrava a Deus, recebeu a cura física e interior e simultaneamente a salvação entrou na vida dele,  enquanto que os outros nove, que eram judeus, se contentaram somente com a cura física, não quiseram voltar para receber a cura interior!
Jesus questiona: “e os outros nove, onde estão?” Este  questionamento de Jesus,  não significa que Ele queria um agradecimento verbal, o  que  entristeceu Jesus,  foi o fato deles não se interessarem pela cura interior, negando a salvação.  Os nove,  perderam  a oportunidade  de experimentarem  a ação de Deus em suas vidas, numa cura total, ou seja, a cura do corpo e da alma, como alcançou o samaritano!
A salvação é um presente que Deus concede a todo aquele que crê em Jesus e que se dispõe a  segui-lo.
Mais importante do que ser curado fisicamente por Jesus, é  permanecer com Ele, como fez o samaritano!
E nós, com quem identificamos: com o Samaritano? Ou com os nove leprosos  que se contentaram somente com a cura física?
 
FIQUE NA PAZ DE JESUS! – Olívia Coutinho
Venha fazer parte do meu grupo de reflexão no Facebook:
 

2 comentários:

Severino Fernandes disse...

Quantos de nós esquece que a missa tem o poder de curar,receber Jesus eucarístico é ter a certeza que já estamos curado espiritualmente. Obrigado por esta catequese neste dia. Tenha um abençoado final de semana. Paz e bem.

Maria das Graças Aguiar disse...

Olivia, seus comentários me ajuda muito no entendimento das leituras propostas pela liturgia da Igreja. Muitas vezes até faço de seus comentários os meus para que os fiéis da minha Igreja também tenham um conhecimento mais eficaz da Palavra de Deus. Parabéns, você é inspiradíssima pele Espirito Santo.

Postar um comentário