.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

.



18 DE NOVEMBRO-SÁBADO

19 DE NOVEMBRO-DOMINGO

DEUS CONFIA A NÓS, A ADMINISTRAÇÃO DOS SEUS BENS!- Olivia Coutinho

TALENTOS OU DONS A SERVIÇO DO BEM – Maria de Lourdes Cury Macedo.

33o Domingo do Tempo Comum-Jorge Lorente


VEJA AQUI MAIS HOMILIAS DESTE DOMINGO
---------------------------------------------
MEU FACE

==============================

PARA ENTRAR NO NOSSO CANAL NO YOU TUBE É SÓ CLICAR AQUI
ou
ou ainda...
 ENTRE NO YOU TUBE E DIGITE: J.SALVIANO


================



REFLEXÕES RECENTES E FUTURAS


13 DE NOVEMBRO-SEGUNDA

VIVER É CRISTO, E MORRER É LUCRO-Alexandre Soledade


14 DE NOVEMBRO-TERÇA

“SOMOS SERVOS INÚTEIS; FIZEMOS O QUE DEVÍAMOS FAZER." – Olivia Coutinho


Os prêmios só nos serão concedidos, na outra vida-Helena Serpa



15 DE NOVEMBRO-QUARTA

"JESUS, MESTRE, TEM COMPAIXÃO DE NÓS!" – Olivia Coutinho



16 DE NOVEMBRO-QUINTA

“... O REINO DE DEUS ESTÁ ENTRE VÓS.” – Olivia Coutinho



17 DE NOVEMBRO-SEXTA

-ELES COMIAM E BEBIAM. VEIO O DILÚVIO E TODOS MORRERAM-José Salviano

 

O mesmo acontecerá... Reflexão do falecido Padre Antonio Queiroz


18 DE NOVEMBRO-SÁBADO


19 DE NOVEMBRO-DOMINGO




20 DE NOVEMBRO-SEGUNDA

Não podemos nos acomodar na beira do caminho-Helena Serpa


21 DE NOVEMBRO-TERÇA


22 DE NOVEMBRO-QUARTA

-Porque tu não depositaste meu dinheiro no banco?-José Salviano

Por que tu não depositaste meu dinheiro no banco?-Padre Antonio Queiroz( In memorian)


23 DE NOVEMBRO-QUINTA

24 DE NOVEMBRO-SEXTA

25 DE NOVEMBRO-SÁBADO

26 DE NOVEMBRO-DOMINGO

Os que mais servem são aqueles que mais precisam-Jailson Ferreira


27 DE NOVEMBRO-SEGUNDA

Você oferta tudo o que tem (e o que é) a Deus?-Jailson Ferreira


28 DE NOVEMBRO-TERÇA

29 DE NOVEMBRO-QUARTA


30 DE NOVEMBRO-QUINTA

01 DE DEZEMBRO-SEXTA
SÁBADO
DOMINGO
SEGUNDA
TERÇA

QUARTA

QUINTA

SEXTA
SÁBADO

===============


DOMINGO
SEGUNDA
TERÇA

QUARTA

QUINTA

SEXTA

SÁBADO

Santo André-Jailson Ferreira

QUINTA – DIA 30 Evangelho - Mt 4,18-22 
 O Evangelho dessa sexta-feira difere da temática desta semana, na qual estamos refletindo sobre o fim dos tempos. A exceção foi aberta porque hoje é o dia de um santo muito querido: Santo André. Das passagens em que André é citado nos Evangelhos, a Igreja escolheu aquela em que ele foi chamado para ser "pescador de homens". Ele era irmão de Simão Pedro, e foi um dos primeiros a ser chamado para fazer parte da seleção de Jesus. Estava pescando com seu irmão no momento em que ambos foram convocados por Jesus. No Evangelho de João, André é citado 4 vezes. Mas é durante a multiplicação dos pães, a única cena em que vemos André se pronunciar a Jesus: "Está aqui um menino que tem 2 pães de cevada e dois peixes. Mas que é isto para tanta gente?" (Jo 6,8-9) Diz a tradição que sua marca registrada era a coragem e a alegria. Ele morreu mártir, numa cruz em forma de X, na Acáia, após ter pregado o Evangelho e fundado igrejas na região do Mar Cáspio e Negro. Neste dia de Santo André, Jesus vem "interrompê-lo" no seu trabalho para chamá-lo: "Segui-me. E eu farei de vós pescadores de homens." Esse chamado também é para mim e para você. Jesus não buscou pessoas sábias, nem ricas... não procurou pessoas desocupadas, nem tampouco preparadas para entender a sua mensagem... não buscou guerreiros armados, nem pediu o currículo... Apenas fez o que diz aquela linda canção... "Senhor, tu me olhaste nos olhos... a sorrir, pronunciastes meu nome... lá na praia, eu larguei o meu barco... junto a Ti, buscarei outro mar..." jailsonfisio@hotmail.com


Jesus sempre quer nos ver de pé-Alexandre Soledade

QUARTA- DIA 29 Evangelho - Lc 21,12-19  Bom dia!Todo bom cristão sabe que muitos dos santos que conhecemos sofreram o martírio ao fim da caminhada; sabemos também que alguns foram crucificados, decapitados, mutilados, queimados, (…) Muita coisa mudou mas algumas ainda são as mesmas…Quem por ventura, mesmo andando corretamente, não se sentiu alvo da maldade e da inveja dos que se acham reis desse mundo? Quantos de nós já se perguntou o porquê de tantos olhares invejosos, discordâncias sem motivo, brigas sem razão, disse-me-disse, intrigas, partidarismos ao nosso redor? Quantas vezes nos sentimos atacados sem saber o motivo? Quantas pontas ou pedaços de flechas ainda existem em nosso coração nos fazendo remoer dores do passado?Apesar de tudo algo precisa ficar  ressoando no nosso pensamento: a vontade irrevogável de LEVANTAR e CONTINUAR!Sou fã da série Rocky Balboa, mas não pela violência das cenas, mas pelo que é dito nas entrelinhas da vida daquele personagem que aprendeu apanhando da vida. O protagonista, em seu sexto filme, diz ao seu filho em uma cena, uma frase que cai bem para essa reflexão: “Não importa o quanto você bate, mas sim o quanto aguenta apanhar e continuar. O quanto pode suportar e seguir em frente. É assim que se ganha”Todos aqueles que não desistem de LEVANTAR e CONTINUAR podem até ser premiados com cabelos brancos, com o sofrimento estampado no rosto cansado e abatido, mas ninguém que tem fé se abate ao sofrimento; ninguém que persevera na esperança fica sem o conforto; ninguém que respondeu com sabedoria a maior das perseguições deixou de ser valorizado por Deus.“(…) Bem-aventurados os que têm um coração de pobre, porque deles é o Reino dos céus! Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados! Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra!“. (Mateus 5, 3-5)Quedas e desânimos serão inevitáveis, mas a cada fraquejada devemos voltar ainda mais convicto do que queremos para nós. De certa forma os sofrimentos, as angustias, nos tornam mais fortes e preparados. O aprendizado de CONTINUAR ANDANDO gera em nós O DESTEMOR. Mas quando não conseguimos superar as adversidades, seja pela fraqueza ou pela falta das forças, entramos num processo que nos levarão, paulatinamente sempre a fugir, a reclusão, ao pânico, e patologicamente a depressão.Costumo dizer que Jesus sempre quer nos ver de pé, pois é através de nossos olhos que Ele vê a nossa sinceridade, a nossa força, nossa gana. Pedras SEMPRE existirão no meio do caminho como diria Carlos Drummond de Andrade, mas as pedras escondem um prêmio para quem teve coragem de levantar após cada dificuldade enfrentada.Não tenhamos medo. Um imenso abraço fraterno.


A profecia do fim dos tempos-Jailson Ferreira

TERÇA – DIA 28 Evangelho - Lc 21,5-11          Estamos na última semana desse Ano Litúrgico de 2007 da nossa Igreja Católica, às portas do Tempo do Advento, quando iremos nos preparar para o Natal do Senhor e também para a sua segunda vinda. No Evangelho desse domingo Jesus nos traz uma profecia sobre o fim dos tempos.         O povo cristão passou por uma fase de grande tribulação nos primeiros anos do cristianismo. Muitos foram martirizados por causa de Jesus. E a Igreja só sobreviveu por causa da coragem dessas pessoas, que resistiram e mantiveram a fé, apesar de todas as adversidades. E como Jesus disse... não foi o fim, ainda.         Estamos aguardando a segunda vinda de Jesus, e essa, de fato, será definitiva. Ele diz que deverão acontecer guerras, países irão guerrear entre si, e em meio a tantas tribulações irão aparecer pessoas dizendo que Jesus está aqui ou ali. Não deveremos segui-los. Só precisamos nos manter fiéis ao que Ele já nos ensinou, e deixarmos que o Espírito Santo nos conduza.        Quer saber o tamanho da sua fé? Veja o quanto você consegue suportar essas tribulações se mantendo firme no propósito de seguir os ensinamentos de Jesus. Quanto mais você se manter fiel, maior a sua fé. Fé, portanto, não é dom de Deus... é uma decisão pessoal. Na última palestra de Padre Léo, ele disse: "Eu já tinha pena de gente feia, agora eu tenho pena mesmo é de gente que não tem fé... Esse pode ter todos os bens materiais, mas não tem NADA. E aquele que tem a FÉ, pode não ter nenhum bem material... pode perder até a saúde, mas tem TUDO!" E essas foram palavras de um verdadeiro santo, de alma jovem, que estava em fase terminal de câncer e se manteve fiel até o fim. Ele perdeu todos os cabelos da cabeça... mas Deus guardou um por um, para devolvê-los lá no céu... jailsonfisio@hotmail.com 


33o Domingo do Tempo Comum-Jorge Lorente

Evangelhos Dominicais Comentados

19/novembro/2017 – 33o Domingo do Tempo Comum

Evangelho: (Mt 25, 14-30)

Disse Jesus: “Um homem, tendo de viajar para o exterior, chamou os seus escravos e lhes confiou seus bens. A um deu cinco talentos, a outro dois e ao terceiro um, segundo a capacidade de cada um. Depois partiu. Imediatamente, o que recebeu cinco talentos saiu e negociou com eles, ganhando outros cinco. Do mesmo modo, o escravo que recebeu dois talentos ganhou outros dois. Mas o que recebeu um, saiu, cavou um buraco na terra e escondeu o dinheiro de seu senhor. Passado muito tempo, voltou o senhor daqueles escravos e lhes pediu as contas. O que tinha recebido cinco talentos aproximou-se e apresentou outros cinco: Senhor, disse, confiaste-me cinco talentos; aqui tens outros cinco que ganhei. O senhor disse-lhe: Muito bem, escravo bom e fiel; foste fiel no pouco, eu te confiarei muito; vem alegrar-te com teu senhor. Chegou o escravo dos dois talentos e disse: Senhor, dois talentos me deste, aqui tens outros dois que ganhei. O senhor lhe disse: Muito bem, escravo bom e fiel; foste fiel no pouco, eu te confiarei muito; vem alegrar-te com teu senhor. Aproximou-se também o que tinha recebido apenas um talento, e disse: Senhor, sei que és homem duro, que colhes onde não semeaste e recolhes onde não espalhaste. Por isso tive medo e fui esconder teu talento na terra; aqui tens o que é teu. Respondeu o senhor: Escravo mau e preguiçoso, sabias que colho onde não semeei e recolho onde não espalhei. Devias, pois, depositar meu dinheiro num banco para, na volta, eu receber com juros o que é meu. Tirai-lhe o talento e dai-o ao que tem dez. Pois ao que tem muito, mais lhe será dado e ele terá em abundância. Mas ao que não tem, até mesmo o que tem lhe será tirado. Quanto a este escravo inútil, jogai-o lá fora na escuridão. Ali haverá choro e ranger de dentes”.

COMENTÁRIO

Já estamos chegando ao final do ano litúrgico A. No próximo domingo estaremos celebrando a festa de Cristo Rei e com essa festa, acontece o encerramento deste ano litúrgico. Depois da festa de Cristo Rei, vem o primeiro domingo do Advento, quando então, iniciamos um novo ano litúrgico, o ano B, cujo Evangelista é Marcos.

No evangelho de hoje Jesus nos conta a parábola dos talentos. Esta parábola provoca ou pelo menos deveria provocar em nós uma profunda reflexão sobre a nossa missão e vivência cristã.

Jesus sempre procurou ensinar através de parábolas. Sabia que através de exemplos do dia-a-dia, ele seria mais bem entendido pelo povo. Jesus sempre foi talentoso na forma de ensinar. As parábolas são claros exemplos de seu talento didático.

Percebeu que dissemos que Jesus tem muito talento para ensinar e, o chamamos de talentoso? Verificando no dicionário, talento é uma antiga e valiosa moeda grega e romana. Talento também é um dom natural ou habilidade adquirida. Talento virou sinônimo de dom.

É dessa maneira que devemos entender o talento da parábola, como um dom. Um dom que recebemos de Deus e que devemos preservar, fazer crescer, multiplicar. Os talentos, os bens do Senhor, não podem ficar escondidos, enterrados, sem render o esperado.

Nascemos para produzir frutos, fomos criados para assumir a missão. Missão na família, na sociedade e na comunidade. Missão de evangelizar, de levar aos povos a Boa Nova da presença de Deus em nosso meio.

Observe que o empregado da parábola não perdeu nem multiplicou o seu talento. Na verdade, ele não a roubou para si, ele só não fez uso de seu dom. Ele cavou o chão, guardou-o muito bem guardado e deixou-o intacto. "Tive medo de arriscar, poderia perder tudo, aqui tens o que te pertence". Covardemente disse isso e devolveu o talento, sem uso.

Quantas e quantas vezes fazemos o mesmo. Os compromissos sociais, a televisão, as novelas, o comodismo, o medo de assumir, não nos deixam arriscar. Vem um desejo enorme de cavar o chão e enterrar os nossos dons e talentos.

Vontade de enterrar tudo que quebra a rotina e que exige mudança de comportamento. Vontade de fugir de tudo que nos amarra aos compromissos. Como já dissemos, esta parábola deve servir de alerta e fazer-nos refletir.

É bom lembrar que virá a cobrança e, quem não multiplicou seus talentos será excluído e abandonado nas trevas. Em compensação, o muito será confiado, para aquele que soube administrar o pouco. O talentoso será premiado.

Ainda é tempo, ao invés de enterrarmos nossos dons, vamos enterrar o comodismo e a covardia. Vamos assumir a vocação cristã e o compromisso batismal. Vamos administrar o muito; esse muito que Deus nos deu e que, certamente, qualquer dia destes, virá pedir para prestarmos contas.

(1844)


quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Você oferta tudo o que tem (e o que é) a Deus?-Jailson Ferreira

SEGUNDA – DIA 27 Evangelho - Lc 21,1-4 
        O Evangelho de hoje vem nos perguntar: o que estamos oferecendo a Deus em retribuição a tudo o que Ele faz por nós? Vejamos as entrelinhas dessa passagem bíblica...         Jesus estava no templo com seus discípulos e "erguendo os olhos, viu pessoas ricas depositando ofertas no tesouro do Templo". Lucas fez questão de lembrar que Jesus "ergueu os olhos", para deixar claro que Jesus tinha ido ao Templo para orar. Mas como Ele sempre estava atento em todas as situações, buscando oportunidades para evangelizar, aproveitou para tirar uma lição das pessoas que depositavam suas ofertas.         "Em verdade vos digo que essa pobre viúva ofertou mais do que todos. Pois todos eles depositaram, como oferta feita a Deus, aquilo que lhes sobrava. Mas a viúva, na sua pobreza, ofertou tudo quanto tinha para viver." Fico imaginando: o que se passa na cabeça de uma pessoa que oferta tudo o que tem para viver? Talvez entendendo isso, seja possível encontrar uma nova forma de enxergar o que temos (ou achamos que temos)...         Olhe que interessante: Você sabia que existem crianças que economizam as moedinhas em seu cofrinho o ano inteiro, e no final do ano, pedem aos pais para dar todo o conteúdo do cofrinho a Deus, para ajudar outras pessoas? Claro que é quase impossível uma criança rica fazer isso, porque desde cedo ela aprende que o mais importante que elas podem ter é o dinheiro. Quanto mais, melhor! Mas uma criança que aprende a ser solidária desde cedo, não se apega ao dinheiro. E como é bonito entender que não é o dinheiro que traz a felicidade. Às vezes pensamos que todo rico é feliz. Puro engano... Padre Léo disse certa vez em uma de suas pregações: "...nessa 'profissão' que eu abracei, às vezes a gente é obrigado a lidar com gente muito rica, e eu pude observar uma coisa em comum nessas famílias: nenhuma é feliz. Sempre tem um filho que não fala com o pai, um marido que trai a esposa, a esposa que vive na dependência dos anti-depressivos... aí vivem naquela mansão, e depois os filhos saem de casa, e fica só o casal vivendo naquela síndrome da casa abandonada... que os filhos só vão lá de vez em quando, quando vão..."         Jesus já disse: "Ninguém pode servir a dois senhores. Ou você serve a Deus ou ao dinheiro." Então todo rico já está condenado? Não. A riqueza que é fruto do trabalho honesto e que serve para trazer as pessoas para perto de Deus é uma fonte de bênçãos...         Dar tudo o que tem não seria colocar tudo o que somos e o que possuímos a serviço do Reino de Deus? Separar não a sobra, mas a melhor parte do nosso tempo, nossa inteligência, do fruto do nosso trabalho... para ajudar a construir o Reino de Deus aqui nesse mundo.   jailsonfisio@hotmail.com


Os que mais servem são aqueles que mais precisam-Jailson Ferreira

DOMINGO – DIA 26 Evangelho - Mt 25,31-46 
         O capítulo 25 do Evangelho de São Mateus é dividido em três partes, todas dedicadas a falar de como devemos nos preparar para entrar no Reino dos Céus. Na primeira parte, Jesus conta a estória das 10 virgens, das quais 5 foram prudentes e 5 foram descuidadas; apenas as prudentes participaram da festa de casamento. A segunda estória é a parábola dos talentos, que traz a lição de quem é fiel no pouco, Deus confiará mais; e àquele que esconde os dons que Deus confiou, Deus irá retirar até o pouco que ele tem. A terceira parte desse capítulo fala de como será o dia do juízo final, no qual Jesus irá separar os que souberam acolhê-lo daqueles que não souberam.         Reveja com atenção os exemplos que Jesus deu sobre como acolhê-lo: "Eu estava com fome e me destes de comer; eu estava com sede e me destes de beber; eu era estrangeiro e me recebestes em casa; eu estava nu e me vestistes; eu estava doente e cuidastes de mim; eu estava na prisão e fostes me visitar." Foram 6 exemplos de situações nas quais as pessoas passam necessidades extremas! Fome, sede, solidão, desamparo, doença, pobreza... A lista poderia ser maior, mas o sentido já foi entendido, até porque foi repetido 4 vezes nessa passagem.         Então o que fazer para estar na fila da direita? A que vai levar para a vida eterna? A resposta é simples: SERVIR. Devemos prestar atenção para quando encontrarmos uma pessoa que esteja precisando de algo, para servi-la em suas necessidades básicas. É interessante saber que, na maioria das vezes, a pessoa que serve está tão (ou mais) necessitada quanto a pessoa servida. Então não espere o dia em que você estará sem necessidades, para decidir servir... No dia que você não vai precisar de mais nada, você estará morto... e nesse dia você não terá como ajudar mais ninguém...   jailsonfisio@hotmail.com 


A RESSURREIÇÃO COMO META-Rosa Camila

SÁBADO – DIA 25 Evangelho - Lc 20,27-40 
 A RESSURREIÇÃO COMO META!!!           O tema de hoje é Ressurreição. Com esse evangelho o Senhor vem nos recordar Sua maior promessa, quando ao morrer pregado em uma cruz, por amor a humanidade, nos presenteou com a Salvação das nossas almas e com a criação de um Reino de Amor no céu.           Quando Jesus responde aos saduceus: "Nesta vida, os homens e as mulheres casam-se, 35mas os que forem julgados dignos da ressurreição dos mortos e de participar da vida futura, nem eles se casam nem elas se dão em casamento; 36e já não poderão morrer, pois serão iguais aos anjos, serão filhos de Deus, porque ressuscitaram." Ele esclarece a todos nós que existe uma vida após a morte e que para participar dela é necessário ser DIGNO, ou seja, ter retidão de pensamentos, atos e palavras. Uma vez morto, cada um de nós será julgado, seja você casado, viúvo, solteiro, freira, padre, diácono, enfim, o seu estado de vida não será condição de salvação, porém a sua história de vida, sim!!!           Portanto, a meta de todo cristão durante a vida na Terra tem que ser alcançar o céu!!! Antes de conhecer a Deus eu ouvia as pessoas falarem do céu, mas aquilo parecia algo muito distante para mim. Até que um dia, Deus entrou na minha vida em um momento de muito sofrimento e a única certeza que eu tive a partir da perda da minha mãe era que ela estaria no céu ao lado do Senhor e que naquele lugar, como diz a palavra de Deus hoje, ela não morreria mais e seria um anjo na minha vida e na vida da minha família. Acreditando nisso, passei a lutar aqui na Terra por um lugar no céu, pois o meu maior sonho é poder participar desse Reino de Amor e chegando lá poder reencontrar minha mãe e todos os meus irmãos em Cristo Jesus.           Para que isso aconteça, é necessário que eu e cada um de vocês busquemos as coisas do alto, lutemos contra o pecado e contra tudo que possa nos afastar da dignidade de sermos filhos de Deus. Precisamos acreditar, verdadeiramente, na ressurreição dos mortos para que a cada dia o nosso desejo de amar e de ser santo possa crescer em nossos corações e nos impulsionar rumo ao lindo céu!!!Deus os abençoe ricamente!!!! rosac12@hotmail.com