.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

.

·      
19 DE SETEMBRO-TERÇA

 DOMINGO DIA 17

17 DE SETEMBRO-DOMINGO

“NÃO TE DIGO ATÉ SETE VEZES, MAS ATÉ SETE VEZES SETE.”- Olivia Coutinho.


·                     -PERDOAR SE QUISER SER PERDOADO-José Salviano

AMAR E PERDOAR! PERDOAR E AMAR – Maria de Lourdes Cury Macedo


VEJA AQUI MAIS HOMILIAS DESTE DOMINGO

---------------------------------------------

MEU FACE

==============================

PARA ENTRAR NO NOSSO CANAL NO YOU TUBE É SÓ CLICAR AQUI
ou
ou ainda...
 ENTRE NO YOU TUBE E DIGITE: J.SALVIANO


================



REFLEXÕES RECENTES E FUTURAS




18 DE SETEMBRO-SEGUNDA

“... POIS NÃO SOU DIGNO DE QUE ENTRES EM MINHA CASA.”-Olívia Coutinho




19 DE SETEMBRO-TERÇA

20 DE SETEMBRO-QUARTA


21 DE SETEMBRO –QUINTA

Quem são os que de fato amam a Deus?-Alexandre Soledade


22 DE SETEMBRO-SEXTA

23 DE SETEMBRO-SÁBADO

O terreno do coração de cada um é o que faz a diferença-Helena Serpa


24 DE SETEMBRO-DOMINGO


25 DE SETEMBRO-SEGUNDA

A nossa vida é como uma lâmpada que irradia a Luz de Deus-Helena Serpa


26 DE SETEMBRO-TERÇA

27 DE SETEMBRO-QUARTA

28 DE SETEMBRO-QUINTA

29 DE SETEMBRO-SEXTA
30 - DE SETEMBRO-SÁBADO


01 DE OUTUBRO-DOMINGO
SEGUNDA
TERÇA

QUARTA

QUINTA

SEXTA
SÁBADO
DOMINGO
SEGUNDA
TERÇA

QUARTA

QUINTA

SEXTA
SÁBADO
DOMINGO
SEGUNDA
TERÇA

QUARTA

QUINTA

SEXTA
SÁBADO
DOMINGO
SEGUNDA
TERÇA

QUARTA

QUINTA

SEXTA
SÁBADO
DOMINGO
SEGUNDA
TERÇA

QUARTA

QUINTA

SEXTA
SÁBADO
DOMINGO
SEGUNDA
TERÇA

QUARTA

QUINTA

SEXTA
SÁBADO
DOMINGO
SEGUNDA
TERÇA

QUARTA

QUINTA

SEXTA
SÁBADO
DOMINGO
SEGUNDA
TERÇA

QUARTA

QUINTA

SEXTA
SÁBADO
DOMINGO
SEGUNDA
TERÇA

QUARTA

QUINTA

SEXTA
SÁBADO
DOMINGO
SEGUNDA
TERÇA

QUARTA

QUINTA

SEXTA
SÁBADO

===============


DOMINGO
SEGUNDA
TERÇA

QUARTA

QUINTA

SEXTA
SÁBADO


A nossa vida é como uma lâmpada que irradia a Luz de Deus-Helena Serpa

25/09/17- 2a. feira XXV semana comum – Esdras 1, 1-6 –  “o Senhor nos convoca para edificar na terra a Sua morada
Ciro, rei da Pérsia, escolhido do Senhor para libertar o Seu povo do cativeiro da Babilônia conclamou os israelitas para edificar o templo do Senhor, dizendo: “quem for povo de Deus..., que se ponha a caminho e suba a Jerusalém, e construa o templo do Senhor Deus de Israel.”  Da mesma forma como suscitou a Ciro, hoje também o Senhor nos convoca para edificar na terra a Sua morada no meio dos homens. Somos o Seu povo que caminha em busca da Jerusalém celeste e, ao mesmo tempo, providencia o material para que seja levantado o templo do Senhor. No entanto, essa construção enquanto peregrinamos aqui na terra, acontece dentro do nosso coração. É,  no nosso interior,  que ajuntamos a prata, o ouro, bens e animais, donativos espontâneos para o templo do Senhor. Por meio da  oração, dos sacramentos e da Palavra, da fé, da caridade e da esperança nós construímos o templo do Senhor. Somos nós, hoje, os batizados, aqueles que se sentem inspirados e motivados para crescer na graça e no conhecimento do amor de Deus que nos foi revelado por Jesus Cristo, pelo poder do Espírito Santo.  No Antigo Testamento o povo de Deus O adorava no templo em Jerusalém, porém, Jesus Cristo veio inaugurar para nós um novo modo do ser espiritual. Desde já, aqui na terra o homem começa a edificar com a sua vida, a morada de Deus a fim de adorá-Lo e, com Ele ter intimidade. Subir a Jerusalém é crescer na graça de Deus para alcançar uma existência espiritual que se acentua, na medida em que o tempo passa. Dentro da Igreja, na comunidade ou na família, nós podemos nos ajudar mutuamente e nos empenhar na edificação do reino de Deus que é o estado da  Jerusalém celeste. Porém, não nos é dado o direito de alcançar  a meta, sozinhos (as).  Temos compromisso com todo o povo de Deus ainda que sejamos  apenas vizinhos. A eles, devemos a ajuda em prata, em ouro, bens, animais e objetos preciosos que significam, o anúncio, a partilha, a fraternidade, a compreensão, o compromisso,  o envolvimento, o acolhimento, o perdão, e muito mais. - Como está sendo edificada a morada de Deus, no seu interior?- Que material você tem usado nessa construção? - O que pode estar atrapalhando a sua caminhada em busca da Jerusalém interior: medo, desânimo, ira, desamor, inveja, vícios, preguiça, falta de oração? Pense nisto.

Salmo 125 – “Maravilhas fez conosco o Senhor!”
Quem planta, colhe! Mesmo que a nossa semeadura seja feita entre lágrimas, nunca poderemos perder a esperança de colher. Estamos aqui plantando para a vida eterna. Somos aqueles e aquelas que lançam a semente entre lágrimas, isto é, no meio dos sofrimentos, das provações da vida. Porém, com certeza, colheremos com alegria, porque é o Senhor quem realiza maravilhas na nossa vida.  É Ele quem faz germinar a semente que nós semeamos e quem providencia para nós o adubo e a água para regar. Mesmo chorando, que nós possamos continuar espalhando a semente do amor, do perdão, da união. Um dia, então, nós voltaremos alegres ao encontro do Pai.
Evangelho – Lucas 8, 16-18 – “a nossa vida é como uma lâmpada que irradia a Luz de Deus”
Dentro de nós Jesus acendeu uma lâmpada para que possamos irradiar a Sua Luz por onde passarmos, por meio das nossas palavras e ações. Por isso, a nossa vida deve ser como uma lâmpada que irradia a Luz de Deus que é Jesus.  Todavia, na nossa fragilidade humana, muitas vezes tornamos a nossa vida uma lâmpada sem serventia, apagada, medíocre, voltada somente para as coisas fúteis, para os prazeres, os lucros, o bem estar da carne.  Não nos colocamos à vista, não nos apresentamos nem nos deixamos ser notados (as) e ficamos como que escondidos (as), porque não queremos assumir compromisso, não queremos enfrentar os desafios, não queremos mudar de vida. Ser luz é também ser transparente e verdadeiro. É saber expor a vida dando um testemunho coerente com o Evangelho. A Palavra de Deus é lâmpada para a nossa caminhada. Se a meditarmos, teremos em nós luz e direcionamento para vencermos todos os desafios e incumbências. Seremos cobrados por tudo quanto recebermos em vida. Precisamos entender com isso, que refletir com a palavra de Deus é assumir compromisso para mudar o mundo. Devemos ter esta pretensão!  Quanto mais recebermos, mas teremos que dar. Seremos julgados conforme a capacidade que ganhamos de Deus.  – Você tem a ousadia de querer mudar o mundo? – Como você poderá mudar este mundo: falando ou agindo? - Como tem sido a sua vida: uma lâmpada coberta ou colocada no candeeiro?- De que você tem consciência que precisa mudar para  irradiar a Luz de Cristo?     – A sua  lâmpada está acesa e colocada à vista de todos?  Pense nisto e faça novos propósitos de vida, hoje.



Trabalhadores de última hora-Helena Serpa

24/09/2017 - XXV Domingo comum  - 1ª. Leitura – Isaías 55, 6-9 – “oportunidade para mudar de vida”
Por meio dos profetas o Senhor sempre enviou recados para o Seu  povo com o intuito de  animá-lo, exortá-lo,  esclarecer as coisas e também consolá-lo. Desse modo, nesta leitura o profeta Isaías, nos exorta a procurar a Deus enquanto Ele pode ser achado. Com efeito, enquanto aqui vivemos, a todo o momento temos chances de nos voltar para Deus e de provar da Sua misericórdia e do Seu Amor. Ele nos chama à conversão mesmo quando somos os maiores pecadores e transgressores. Muitas vezes nos achamos tão miseráveis que imaginamos não ser possível receber o perdão de Deus, porque O comparamos conosco e cremos que Deus age da mesma forma que nós. Entretanto, o Senhor mesmo nos explica nessa leitura: os “meus pensamentos não são como os vossos pensamentos”. A maneira de Deus julgar é muito diferente da nossa, por isso, enquanto vivemos temos chance e oportunidade de mudar de vida. Os caminhos do Senhor estão acima das nossas pretensões e Ele deseja para nós muito mais do que nós mesmos (as) aspiramos. A vontade de Deus é o caminho por excelência! Deixemo-nos, pois, buscar o Senhor e que Ele cumpra em nós tudo o que já estabeleceu para a nossa vida. -  Você confia que Deus procede assim com o pecador?  - Como é a sua experiência em relação a acolher a pessoa que procede mal? - Você dá alguma chance ou prefere “cortar o mal pela raiz?  - Como você se sente quando comete conscientemente um pecado e sabe que agiu mal? - Você gostaria de voltar no tempo para agir diferente do que fez ou acha que valeu a experiência?

Salmo 144 – “O Senhor está perto da pessoa que o invoca!”
O Senhor está atento às nossas súplicas e aberto para nos perdoar dos nossos pecados. Por isso, o salmista diz que Ele está perto de quem o invoca. Ninguém pode medir a grandeza do Senhor nem mensurar o Seu poder misericordioso, porém é preciso que nós tenhamos um coração sincero quando invocamos o Seu Nome. Ele é justo e Santo em toda obra que realiza em nós e atende aos nossos apelos sem tardar.

2ª. Leitura – Filipenses 1, 20-24.27 –  “fazer do nosso serviço ao Senhor um estandarte ”
As palavras de São Paulo ecoam dentro do nosso coração e nos motivam a também nos entregar a Jesus para viver ou para morrer, quando ele dá uma verdadeira demonstração de que a sua vida está nas mãos de Deus.     A grande motivação da nossa vida de cristão é a glória futura e a ressurreição dos mortos, porém, devemos fazer do nosso serviço ao Senhor um estandarte para peregrinar aqui na terra ainda por muito tempo. A nossa vida deve ser posta em função do reino de Deus e o nosso caminhar uma busca perene da Sua vontade para nós. Se nós também pudéssemos dizer de todo coração que “o viver é Cristo e que o morrer é lucro”, nós não nos importaríamos com nada que pudesse nos suceder aqui na terra. Só uma coisa nos importaria: “viver à altura do Evangelho de Cristo”. Viver o Evangelho é seguir a trilha que a nossa alma anseia e ter todas as respostas que o nosso coração pede. Porém, nós podemos nos exercitar e, a partir de hoje, também, numa profissão de fé, proclamar a todos que vivemos para Cristo e que nada neste mundo nos abalará o ânimo de servi-Lo até morrer. – Leia muitas vezes este trecho de São Paulo e exercite o seu coração para que os seus lábios possam também proclamar esta declaração de amor: “Para mim, o viver é Cristo e o morrer é lucro!”


Evangelho – Mateus 20 -, 1-16 – “trabalhadores de última hora”

Na administração das coisas do mundo existem critérios já estabelecidos em relação a quem faz mais e a quem faz menos. Para Deus, no entanto, o que importa é a nossa decisão do momento. Quem começa mais cedo tem a mesma paga de quem começou mais tarde. A salvação é para hoje, agora, e se destina a todo homem e a toda mulher que aceita o chamado de Deus para crer no Seu Filho Jesus. Os que abraçam a salvação mais cedo têm a recompensa de conhecerem o reino dos céus primeiro. E quando fazemos a experiência de salvação percebemos que nenhum dinheiro do mundo paga o que alcançamos. Portanto, não precisamos questionar a recompensa que Deus dá àqueles “pecadores” que nós julgamos os piores do mundo, pelo contrário, devemos também sair pelo mundo a fora em busca dos “trabalhadores de última hora” a fim de que encontrem a Jesus e recebam a salvação para as suas almas. Jesus contou esta parábola para nos esclarecer como o pensamento de Deus difere da nossa mentalidade humana. - Você conhece alguém que ainda não foi contratado para trabalhar na vinha do Senhor? Por que não chamá-lo?  - Você já se sente contratado (a) e recompensado (a)? O que falta para isto acontecer?

O terreno do coração de cada um é o que faz a diferença-Helena Serpa

23/09/2017 - Sábado XXIV semana comum   –    I Timóteo 6,13-16 – “o tempo é precioso”
A palavra de Deus tem força que ultrapassa a realidade humana, por isso, ela tem poder para dirigir os nossos passos e nos fazer viver de acordo com o que já foi predestinado para a nossa vida.  Dentro do Plano de Deus, cada um de nós tem um mandato, isto é, uma missão específica, por isso, nesta carta São Paulo nos exorta a ser fiéis ao chamado de Deus conservando a nossa vida sem mácula e sem mancha até a manifestação gloriosa de Jesus Cristo. No entanto, precisamos entender que Jesus já se manifesta hoje, no agora da nossa vida e não podemos perder tempo. A manifestação de Deus é invisível aos nossos olhos, porque para nós é inacessível, mas a fé nos garante a Sua presença e a Sua assistência. Por isso, devemos prestar a Ele honra e glória todos os dias da nossa vida. É nosso dever, então, viver e proceder como se esse fosse o último dia das nossas vidas, guardando a nossa alma íntegra e sem mancha, isto é, confiando em que Jesus Cristo é o rei dos reis e Senhor dos senhores   A fé é o nosso suporte, é ela quem nos motiva à conversão e à vida nova no Espírito Santo. O Espírito de Deus é quem guarda a nossa alma, purifica os nossos pensamentos, e nos faz íntegros (as) até a vinda de Jesus Cristo, no tempo oportuno. - Você tem consciência de que Cristo está vivo e que acompanha todos os seus passos? -  Você sabe que a qualquer hora Jesus Cristo pode querer apresentá-lo (a) ao Pai? Você está preparado (a)? - Você já fez a experiência de louvar Jesus por  tudo e em todos os momentos? Experimente!

Salmo 99 – “Com canto apresentai-vos diante do Senhor!”
O momento presente da nossa vida é um presente de Deus, portanto, precisamos estar firmes e aptos ao serviço do Seu reino, todos os dias, sem deixar para depois. Somos o povo e o rebanho de Deus, portanto para nós estão voltados os Seus olhos. Ele nos espera de braços abertos, para que possamos entrar por suas portas dando graças, com hinos de louvor. Ele nos fez, somos seus!

Evangelho – Lucas 8,4-1’5 – “o terreno do coração de cada um é o que faz a diferença”
Jesus contou a parábola da semente lançada, diante de uma grande multidão onde havia gente de todo tipo, para mostrar que todas as pessoas são chamadas a acolher a proposta de salvação do Pai e não somente alguns escolhidos. O semeador é Jesus, a semente é a Sua Palavra de salvação, o terreno é o nosso coração. O terreno bom é aquele coração que dá abertura ao Espírito Santo que é quem faz a semente germinar e crescer, pois, se não houver cultivo, a semente morre. A semente é sempre uma só, no entanto, a qualidade do terreno do coração de cada um é o que muda e faz a diferença para a abundância da colheita.    A parábola nos revela que nas quatro situações em que a Palavra foi anunciada, as pessoas ouviram, entretanto só deu fruto de perseverança quem OUVIU com um coração bom e generoso. Não nos basta apenas estar presente e escutar a mensagem do Evangelho com indiferença e desatenção. O mais importante é ter um coração contrito e atento que não questiona, porque confia, e acolhe a mensagem de Deus. O coração que não tem profundidade é superficial e distraído, por isso, não consegue alcançar o pensamento de Deus e facilmente é vencido pelas sugestões do inimigo. O coração preocupado com os afazeres da vida é fechado e duro e se torna também solo impróprio para apreender os mistérios de Deus. O coração preso a si mesmo e aos seus sofrimentos é chão inútil para que germine algo frutífero, pois está sempre voltado para as suas angústias e não dá chances para que o Espírito Santo realize nele a sua obra. O coração bom e  generoso, no entanto, é aquele que se abre, não somente para escutar, mas para viver segundo a Palavra que lhe foi anunciada. Este, sim, consegue dar fruto na perseverança, e seguir passo a passo o caminho proposto por Jesus.  Deus conhece todos os corações, e sabe o que é providencial para cada um de nós. Ele nos instrui e orienta por meio da Sua Palavra que sonda e perscruta o nosso íntimo e ilumina a nossa inteligência. Quando nós abrimos os nossos ouvidos o nosso entendimento também se alarga e nós podemos, com toda a certeza, dar frutos que podem alimentar o mundo.   - Como você tem acolhido a palavra de Deus. Como uma história ou como ensinamento para a vida? – Como é o terreno do seu coração? – Você duvida da Palavra de Deus? – Você costuma discordar quando alguma mensagem vem de encontro aos seus interesses?  - Você também semeia? E quando o terreno não é bom, dá trabalho o que você faz, desiste ou insiste?


Um coração curado é agradecido-Helena Serpa

22/09/2017 - 6ª. feira XXIV semana comum – 1 Timóteo 6, 2-12 – “a cobiça do dinheiro é a raiz de todos os males”
Nesta carta a Timóteo São Paulo fala para aquelas pessoas que se dedicam ao serviço do reino de Deus, no entanto, muitas vezes, se confundem, e fazem da piedade uma fonte de lucro.  Dessa forma, elas ficam obcecadas pelos resultados materiais e esquecem o espírito de desprendimento que deve regular as ações dos cristãos. Como consequência disso, se extraviam da fé e se atormentam por causa de muitas preocupações.  Assim, ele enfatiza ser a cobiça do dinheiro a raiz de todos os males.   São Paulo também abre os nossos olhos quando diz: “Tu, que és um homem de Deus, foge das coisas perversas, procura a justiça... combate o bom combate da fé.” Combater o bom combate da fé é trabalhar e fazer a parte que nos cabe confiando em que Deus providenciará o suficiente para que tenhamos dignidade. O dinheiro em si não é o mal, mas sim, o apego e a sofreguidão com que o buscamos querendo ter muito e sempre mais. O que está em jogo não é o ter muito dinheiro. Às vezes, podemos até nem ter dinheiro, mas cobiçá-lo é o que estraga o nosso coração e a nossa relação com Deus. O apego às coisas materiais nos tira o sentido de Deus e do Evangelho. Pelo contrário, quando procuramos a justiça e o amor, estamos combatendo o bom combate da fé e, assim, conquistaremos a vida eterna que é paz e tranquilidade, desde já. - Como você tem lidado com este tipo de coisa? Qual é o significado que o dinheiro tem para você? -  Você tem cobiçado muita coisa? – Faça uma reflexão!

Salmo 48 – “Felizes os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus”
O salmista também nos coloca diante de um quadro muito real na nossa vida: “ninguém se livrará de sua morte por dinheiro nem a Deus pode pagar o seu resgate!”  Não há preço que nos isente da morte, e mesmo que tenhamos muitos bens não poderemos levá-los conosco. Portanto, não nos aflijamos pela nossa vida, se temos pouco ou se possuímos muito e não coloquemos a nossa felicidade na dependência do que amealhamos. Deus é Senhor do nosso hoje e do nosso amanhã e com Ele, nada deveremos temer.

Evangelho – Lucas 8, 1-3 – um coração curado é agradecido.”
Quando temos uma experiência com Jesus e a cura do nosso coração, naturalmente também nos dispomos a acompanha-Lo  e a demonstrar gratidão oferecendo tudo o que possuímos. Por essa razão, neste Evangelho nós vemos que além dos doze apóstolos que foram chamados pessoalmente por Jesus e provaram da Sua intimidade, também as mulheres curadas e libertadas dos males que as afligiam e as suas vidas transformadas, O seguiam por todos os lugares. Demonstraram gratidão ajudando a Jesus e aos discípulos com os bens que possuíam.  A salvação de Jesus se faz presente em todas as áreas da nossa vida, e quando somos tocados (as) pelo Amor de Deus nós nos sentimos libertados (as) dos “maus espíritos”, isto é, das coisas que nos paralisam e, por isso, temos também um coração agradecido. Isso costuma acontecer com cada um de nós quando temos um encontro com a pessoa de Jesus Cristo e uma experiência com o Seu poder curador.  Nós também, naturalmente, nos tornamos  Seus seguidores e os bens que possuímos neste mundo, poucos ou muitos, nós os consideramos como bênção que deve estar à disposição do reino de Deus.  A nossa experiência com Jesus vivo e ressuscitado nos leva a segui-Lo e a participar concretamente no Seu projeto salvífico. Seguir a Jesus é observar a Sua Palavra, é viver o Seu amor, é ter esperança, é fazer a diferença no meio da multidão; é andar na contramão de tudo quanto o mundo prega como verdade. Quando vivemos nesta perspectiva nós estamos correspondendo ao que Deus espera de cada um de nós na missão que Ele nos destinou.  Diz-se que o homem demonstra a fé quando abre o bolso. -  E você,  tem ajudado a Jesus com os bens que possui? - Em Nome de Jesus você tem partilhado com alguém – Você também está seguindo Jesus por onde vai ou somente quando está na Igreja, na comunidade, no grupo? -Você está andando na mão ou na contramão dos “valores” do mundo?