.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

O amor de Deus é loucura para os homens-Helena Serpa


20/06/2017 - 3ªfeira da 11ª Semana Tempo Comum -    2 Coríntios 8, 1-9 – “a alegria da generosidade”
Escrevendo à Comunidade dos Coríntios São Paulo faz um apelo para que sejam generosos com os irmãos da Igreja de Jerusalém a exemplo dos membros das Igrejas na Macedônia que, mesmo em meio a grandes tribulações, e extrema pobreza viveram a alegria da generosidade participando da coleta em favor dos mais necessitados de Jerusalém. Eles superaram as expectativas colocando-se à disposição do Senhor em favor de uma boa obra. Dar é uma ação concreta da nossa fé na providência e na graça de Deus. O ato de ofertar, não depende do tanto que nós possuímos, mas da abertura do nosso coração. Às vezes, apesar dos nossos poucos recursos, nós pedimos a Deus a graça de poder participar e Ele nos concede os meios. A nossa confiança em Deus se manifesta também através da nossa generosidade e da nossa doação. São Paulo lembrava aos coríntios que os dons que eles haviam recebido de Deus, fé, eloquência, ciência e zelo, deveriam ser completados por uma caridade sincera. Os conselhos de São Paulo aos coríntios servem de ensinamento para que nós, seguindo o exemplo de Cristo, nos tornemos ricos da graça de Deus. Cristo, sendo rico, tornou-se pobre por causa de nós para que nos tornássemos ricos por Sua pobreza.  O Senhor também testa a sinceridade da nossa caridade que não consiste na dimensão do que oferecemos, mas na autenticidade da nossa doação: “segundo os nossos recursos e mesmo além dos nossos recursos, por nossa própria iniciativa.” – Como é a sua caridade? – Você se baseia no que está lhe sobrando ou no tudo que Deus lhe concede?  - Você toma iniciativa própria quando faz algum ato concreto de amor ou espera que venham procurá-lo (a)?

Salmo –145 – “Bendize, ó minha alma, ao Senhor!
O Senhor age na vida das pessoas por meio de nós e dos dons que Dele recebemos. Não adianta para nós possuirmos talentos se fechamos o coração para o nosso irmão (ã).  Assim é que Deus se utiliza de nós para erguer o caído, abrir os olhos aos cegos e amar aquele que é justo. O Senhor alimenta aos famintos e liberta os cativos através das nossas obras, do nosso testemunho, da caridade que nós praticamos. Para que isso aconteça, nós precisamos buscar o auxílio divino, colocando Nele a nossa esperança e cantar para sempre o Seu louvor.

Evangelho – Mateus 5,43-48 – “o amor de Deus é loucura para os homens”
Neste Evangelho Jesus nos motiva a assumir o amor de Deus que é loucura para o mundo e nos recomenda a amar e rezar pelos nossos inimigos e perseguidores pondo em prática a Lei de Deus que antes era deturpada.  À primeira vista nós não encontramos nenhuma coerência nem mesmo sentido para a ação de rezar pelos inimigos. Porém, a justiça para Deus é a santidade e perfeição dos Seus filhos e filhas e se nos declaramos filhos (as) do Pai que está no céu, não poderemos agir de outra maneira. Do mesmo jeito que o Pai age conosco, nós também precisamos agir com o nosso próximo. Não podemos nos limitar a amar somente àqueles que nos amam, não haveria mérito. Deus quer o bem de todos nós e torce para que sejamos bons e felizes.    O próximo significa aquele (a) que está perto, a quem encontramos, com quem convivemos e nos relacionamos, seja ele quem for, mesmo “aqueles que nos perseguem. ”  Não somos obrigados a gostar ou admirar a todas as pessoas, todavia Jesus nos ordena que as amemos e amar é querer o bem, é ajudar o próximo reconhecendo que todos nós somos objeto do Amor de Deus.  Aqui na terra, quando os nossos pais são pessoas de bem, nós alimentamos o propósito de imitá-los. Com mais razão ainda, precisamos copiar o Pai perfeito do céu, que nos ama do jeitinho que somos.  Ele não nos cobra, mas nos perdoa mesmo quando  somos filhos e filhas ingratos. A perfeição, a grandeza e o poder do Pai estão no amor e o Seu Amor foi derramado nos nossos corações pelo Espírito Santo, portanto podemos amar os nossos inimigos. – Você concorda com isso? – Você faz discriminação de pessoas? – Você cultiva o hábito de formar panelinhas? – Você deseja o bem e o sucesso para todo mundo ou só para alguns? – Você ora pelas pessoas a quem você não aprecia, ou até pelas pessoas que o (a) perseguem? – Você tem alguém a quem perdoar? Ore por esta pessoa! 


2 comentários:

Mariano Silveira disse...

DEUS te abençoe e te ilumine. Obrigado p/ reflexão.

Anônimo disse...

Eu todos os dias faço a leitura do dia e complemento com os comentários dessa equipe para complementar meus ensinamento e por em prática muito obrigado, que o Senhor Deus continue derramando benção a todos na Paz de Cristo, Jair Ferreira.

Postar um comentário