.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Julgamento e medida-Helena Serpa

26/06/2017 - 2ª. feira  XII semana comum –Gênesis 12, 1-9 – “Existe um desígnio de Deus para cada um de nós”
O chamado que Deus faz a cada um de nós para segui-Lo é como o que fez a Abrão, quando o convocou para ir em busca da Terra Prometida. Prometendo-lhe benção, prosperidade e descendência, o Senhor o convocou a sair da sua terra, da sua família, da casa do seu pai e ir à busca de uma nova terra e de uma nova vida. E Abraão partiu sem fazer comentários nem pedir mais garantias. Simplesmente ele foi impulsionado pela FÉ. Sair da nossa terra e da nossa família é sair de nós mesmos (as), das nossas seguranças, dos nossos apegos, das nossas afeições, dos nossos planos e motivos pessoais para assumir a Vontade de Deus em tudo o que Ele planejou para nós. Quando fazemos a vontade de Deus nós recebemos todas as bênçãos e graças para assumir o que Ele tem reservado para nós. Existe um desígnio de Deus, isto é, uma intenção, uma finalidade para cada passo que Ele nos motiva a dar. Não é fácil para nenhum de nós o sair da nossa própria vontade, sacrificar os nossos ideais para abraçar a vontade de Deus, assim também como não é simples descobrir no que consiste o desejo de Deus para nós. No entanto, vão surgindo, as oportunidades e os sinais vão se evidenciando quando o Senhor nos convoca de diversas maneiras. Muitas vezes, o maior sinal de que estamos fazendo a vontade de Deus é quando de alguma forma nós contrariamos a nossa própria vontade, porque estamos também em busca da terra prometida.  Vontade de Deus é o paraíso e quando conseguimos nos desprender dos nossos próprios planos nós recebemos bênção de Luz para nós e para as pessoas com as quais convivemos. – Você já conseguiu se desprender da sua “terra” e da sua “família” para buscar a terra prometida por Deus? – Você ainda é uma pessoa presa às suas raízes e convicções? – Você tem muitos planos pessoais? – Eles estão em consonância com a vontade de Deus para você? – Para você onde estaria o paraíso?  

Salmo 32 – “Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança!”
O salmista nos revela que dos altos céus o Senhor olha e observa todos os homens. No entanto, Ele pousa o olhar sobre os que o temem e confiam nele. Os que temem o Senhor esperam em Seu amor e sabem que serão libertados da morte. Eles são herança do Senhor, pois seguem o Seu chamado e atendem à Sua convocação. Cada um de nós recebe o que nos convêm, de acordo e conforme com a nossa esperança. Se, esperamos do Senhor, receberemos a vida eterna, se esperamos do “mundo”, receberemos a morte eterna. 

Evangelho – Mateus 7, 1-5 – julgamento e medida”

Vós sereis julgados com o mesmo julgamento com que julgares; e sereis medidos com a mesma medida com que medirdes”!  Esta deve ser para nós uma regra de ouro! Jesus nos ensina a ter coerência nas nossas atitudes e no julgamento que fazemos em relação às ações dos outros. Muitas vezes ficamos inquietos e apreensivos tentando compreender se alcançaremos um bom lugar perto de Deus e como é que seremos julgados. No entanto, nós percebemos que não é difícil avaliar a nossa situação após a nossa morte. Trocando em miúdos podemos, então, deduzir que a regra de ouro para nós é, o “a começar em mim”. Tudo o que nós esperamos dos outros, precisamos também viver.  Quando olhamos para o outro e logo “enxergamos” as suas falhas, nós inconscientemente estamos descobrindo também as nossas limitações, por isso, o erro do outro chama tanto a nossa atenção e tem tanto peso para nós.   Precisamos, pois estar conscientes de que todos nós temos limitações, mas também temos a capacidade para grandes transformações. Desse modo, as advertências de Jesus nos servem para que olhemos menos para os defeitos dos nossos irmãos e irmãs e descubramos em nós mesmos (as) o que precisa ser transformado para o bem e a edificação do reino de Deus através das nossas atitudes. – Como você tem medido as ações do seu próximo? – Você tem meditado sobre si mesmo (a)?   – Você se acha autossuficiente e incapaz de cometer “grandes pecados”? – O que você considera um grande pecado? – Você tem o costume de fazer julgamentos mesmo que sejam somente no seu pensamento? – Como você acha que será julgado (a)? Assim como você julga? 


3 comentários:

joao lessa disse...

NOSSO DEUS E NOSSO PAI PERDAO POR MEUS PECADOS E PELOS PECADOS DO MUNDO,OBRIGADO POR TUDO QUE SOU POR TUDO QUE TENHO,IRMAOS E IRMAS QUE A PAZ ESTEJA COM TODOS AMEM

Mariano Silveira disse...

DEUS te abençoe e te ilumine. Obrigado p/ reflexão.

Anônimo disse...

Eu todos os dias faço a leitura do dia e complemento com os comentários dessa equipe para complementar meus ensinamento e por em prática muito obrigado, que o Senhor Deus continue derramando benção a todos na Paz de Cristo, Jair Ferreira.

Postar um comentário