.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

domingo, 2 de julho de 2017

Meu Senhor e meu Deus!-Reflexão do falecido Padre Queiroz

03 de julho -- Segunda - Evangelho - Jo 20,24-29


Hoje celebramos a festa do Apóstolo S. Tomé. O Evangelho narra que na primeira Missa de domingo celebrada na Igreja, no dia da ressurreição de Jesus, Tomé não estava presente. Pronto, já entrou minhoca na sua cabeça. A fé fraquejou e ele começou a duvidar da ressurreição de Jesus. “Se eu não vir as marcas dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos e não puser a mão no seu lado, não acreditarei”.
Mas felizmente Tomé pertencia a uma boa Comunidade. Seus irmãos na fé o procuraram durante a semana e disseram: “Vimos o Senhor!” No domingo seguinte, Tomé estava na Missa. Jesus apareceu novamente e fez tudo o que ele queria: Mostrou-lhe as mãos, pediu que ele tocasse no seu lado... Em seguida fez um apelo a Tomé: “Não sejas incrédulo, mas fiel!”. E Jesus elogiou a todos os que crêem sem ter visto a ele, entre os quais estamos todos nós.
A fé é uma graça. Ela nos leva a acreditar em coisas que não vemos, mas que nos são reveladas por Deus. As verdades transcendentes, nas quais nós cremos, vão além dos nossos sentidos e da nossa inteligência. No entanto, pela graça de Deus, temos mais certeza a respeito delas do que daquelas coisas que os nossos sentidos percebem.
A fé está muito ligada à vida em Comunidade, especialmente à Missa no domingo. Ovelha separada do rebanho, o lobo pega.
A fé é a base da vida cristã. Se não fosse a fé, não haveria casais perseverando no matrimônio, não haveria padres e religiosos fiéis à sua vocação, e não haveria os milhares de santos e mártires que temos.
Um dia os judeus se aproximaram de Jesus e disseram: “Até quando nos deixarás em suspenso? Se tu és o Messias, o Cristo, dize-nos abertamente!” (Jo 10,24). A revelação sempre deixa uma margem para a nossa vontade e para a liberdade. Se a revelação fosse como “dois mais dois são quatro”, ela passaria por cima da nossa fé, pois a evidência força a inteligência humana a aceitar. Jesus respondeu a eles: “Eu já vos disse, mas vós não acreditais. As obras que eu faço em nome de meu Pai dão testemunho de mim. Vós, porém, não acreditais, porque não sois das minhas ovelhas” (Jo 10,25-26). Jesus fala que a fé está ligada com a obediência a ele (suas ovelhas). Em outro discurso, Jesus fala quase a mesma coisa: “Quem me ama será amado por meu Pai. Eu também o amarei e me manifestarei a ele” (Jo 14,21).
O livro do profeta Jeremias tem uma passagem muito parecida com o Sl 1: “Assim diz o Senhor: maldito a pessoa que confia no ser humano, que na carne busca a sua força e afasta do Senhor seu coração! Será como um arbusto no deserto, nunca vê chegar a chuva... Bendito aquele que confia no Senhor, o Senhor mesmo será sua segurança. Ele será como árvore plantada à beira d’água, que deita raízes rumo ao rio, nem vê chegar o tempo do calor. Suas folhas estão sempre verdejantes. Nem se preocupa com um ano de seca, e o seu fruto nunca deixa de produzir” (Jr 17,5-8).
Tomé era pescador. Temos poucas informações sobre a vida dele. Mas a tradição diz que pregou o Evangelho no Oriente, onde morreu mártir. Portanto, depois da bronca de Jesus, e da sua profissão de fé – “Meu Senhor e meu Deus” – perseverou até o fim da vida. Todos nós estamos crescendo na fé; o importante é caminhar sempre para frente, como fez Tomé.
Havia, certa vez, um pai de família que já estava velho, e sentiu que estava perto da morte. Então chamou seus três filhos, deu a cada um dez moedas de prata e lhes disse: “Aquela sala ali está vazia. Eu peço a cada um de vocês que, com esse dinheiro, encha a sala. A melhor iniciativa será premiada”. Tudo bem. O primeiro saiu e comprou algodão. Encheu a sala de algodão. O segundo comprou penas. Penas bonitas de diversas aves. Esparramou as penas no chão, cobrindo o piso de toda a sala. O terceiro comprou uma lamparina. Acendeu-a e colocou no meio da sala, enchendo a sala de luz. O pai elogiou a criatividade dos três, mas deu o prêmio ao último, porque foi realmente um sábio.
A fé é uma luz derramada por Deus em nossos corações, com a qual iluminamos os ambientes em que vivemos. Ser cristão é ser luz, iluminando o caminho da felicidade e da vida.
Maria Santíssima é chamada Mulher de fé. Ela é nosso modelo nesse ponto. Santa Maria, rogai por nós!

Meu Senhor e meu Deus!

Um comentário:

Anônimo disse...

Eu todos os dias faço a leitura do dia e complemento com os comentários dessa equipe para complementar meus ensinamento e por em prática muito obrigado, que o Senhor Deus continue derramando benção a todos na Paz de Cristo, Jair Ferreira.

Postar um comentário