.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

segunda-feira, 31 de julho de 2017

A verdade nos incomoda em todos os sentidos-Helena Serpa

05/08/17 – Sábado XVII semana comum  -  1a. Leitura – Levítico  25,1.8-17 – “O ano jubilar”
  “O Ano do Jubileu  tem um significado espiritual, e apresenta à humanidade a esperança de que Deus estabeleceu um Dia quando toda escravidão cessará, e tudo o que Deus deu à humanidade no princípio será restaurado. É a ocasião quando todas as dívidas são pagas, todos os escravos são libertados, e todas as propriedades restauradas aos seus legítimos possuidores. Jesus Cristo é o nosso  Jubileu. Nele há liberdade,  vida  e restauração, (Sl 102:19-20). Jesus  veio e nos libertou,  pagou as nossas dívidas. Este foi o propósito da Sua vinda, e este é o poder da Sua ressurreição.”
Hoje nós já temos consciência de que fomos perdoados e restaurados e elevados à condição de filhos de Deus pela Morte e Ressurreição de Jesus. E se cremos em Jesus e Nele fomos batizados nós somos chamados a viver conformados a Ele e a imitá-Lo nas atitudes e ações. Por isso, o Senhor quer nos acordar lembrar que todos o dia da nossa vida é dia de perdão, de libertação, oportunidade para voltar atrás nas nossas transgressões, dia de conversão.   “Não vos leseis uns aos outros entre irmãos, mas temei o vosso Deus. Eu sou o Senhor, vosso Deus”. A trombeta já soou e você, crê que Jesus já garantiu para você o dia D da salvação? - Como você tem se portado com aqueles que necessitam da sua misericórdia e do seu perdão? - Existe alguém que você ainda não perdoou e que você acha que lhe deve muita coisa?

Salmo 66 – “Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor, que todas as nações vos glorifiquem.”
Com a bênção e a graça do Senhor nós podemos caminhar aqui na terra sob o Seu olhar cuidadoso. O Senhor conhece  o  coração  de todos, por isso mesmo é que ele nos governa com retidão e nos julga com justiça. Acolhendo  as suas bênçãos nós podemos produzir frutos de santidade que serão colhidos no dia em que o Senhor nos convocar. Enquanto isto, façamos com que todas as nações do mundo O glorifiquem e O respeitem.

Evangelho – Mateus 14,1-12 – “A verdade nos incomoda em todos os sentidos”

Os poderes miraculosos de Jesus chegaram ao conhecimento de Herodes e a sua consciência logo o acusou, pois, imaginou que João Batista voltara para puni-lo, pois como profeta ele falara tudo aquilo que Deus lhe mandara dizer em relação às transgressões do governador. Por não ter se omitido João Batista foi às últimas consequências, até morrer, para cumprir com a sua missão. Foi decapitado por falar a verdade quando advertiu a Herodes que não lhe era permitido ter como esposa a mulher do seu irmão. Incomodado por isso, Herodes desejava mata-lo, até que surgiu a ocasião e ele, como justificativa para o seu intento e para satisfazer os caprichos da sua enteada mandou decapitá-lo. Nós todos também somos chamados a ser profetas, com o encargo de exortar, admoestar, animar e consolar as pessoas. Não podemos nos omitir embora corramos os riscos que a verdade acarreta. A verdade nos incomoda em todos os sentidos! Não queremos admiti-la quando ela nos coloca em xeque mate e não temos alternativas para nos defender e quando ela vem como uma luz revelando os nossos crimes, nós tentamos confundi-la. Jesus veio nos revelar a verdade do Pai para que também pudéssemos vivenciá-la e abrir os olhos das pessoas com as quais convivemos. Muitas vezes, no entanto, nós também nos tornamos como Herodes quando prometemos a alguém aquilo que não nos é permitido oferecer e por causa das nossas promessas aos homens esquecemos a promessa que fazemos a Deus de amar-nos uns aos outros e partilhar com eles a vida.  Quantas vezes também nós procedemos mal para satisfazer a alguém a quem queremos “agradar”! Pedem-nos a cabeça de uma pessoa e nós impiedosamente não medimos as consequências e a difamamos, fazendo intrigas contra ela, levantando falso, suspeitas e com isso, nós conseguimos matar o corpo, mas nada podemos fazer com a alma. Deus é o Senhor de todos e só Ele pode nos julgar com justiça de acordo com as nossas ações. - Você tem medo da verdade? – Ela o (a) incomoda quando revela algo que você faz de errado? -  Você já entregou a “cabeça” de alguém em troca dos seus interesses? – Como você se sente em relação a isto? -  Do que você será capaz de fazer para conseguir os seus intentos? – Você teme mais a Deus ou aos homens?


Um comentário:

Mariano Silveira disse...

DEUS te abençoe e te ilumine. Obrigado p/ reflexão.

Postar um comentário