.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Somos apenas meros instrumentos de Deus-Helena Serpa

04/08/17 - 6ª. feira  XVII semana comum – Levítico 23, 1.4-11.15-16.27.34-37 – “em todas as
circunstâncias da nossa vida nós precisamos ter o coração voltado para Deus “
Por intermédio de Moisés o Senhor continua instruindo o povo que tirou do Egito dando o roteiro para que a celebração de cada solenidade em Sua honra fosse vivenciada em assembleia e tudo conforme a Sua determinação. Por isso, nesta leitura nós encontramos diversas datas referentes às festas da Páscoa do Senhor, a festa dos Ázimos, a festa da colheita, a festa das Tendas e em todas elas Deus orientava o povo a vivenciá-las com a referência de números que, na Bíblia significam alguma mensagem divina. O número sete aparece como alusão para a duração das festas ou como intervalo de dias entre uma celebração e outra. “Sete é o número frequentemente usado nas Escrituras para significar inteireza. Às vezes tem referência a se levar uma obra a cabo. Ou pode referir-se ao ciclo completo de coisas como estabelecidas ou permitidas por Deus. Por concluir a sua obra para com a terra em seis dias criativos e repousar no sétimo dia, Deus estabeleceu o padrão para todo o arranjo sabático, desde a semana de sete dias até o ano de jubileu que seguia o ciclo de sete vezes sete anos.  Sete ocorre muitas vezes com relação a regras levíticas de ofertas  e de purificações.” Retirado do site http://br.answers.yahoo.com/question/index?
A mensagem que podemos tirar desta leitura é que em todas as
circunstâncias da nossa vida nós precisamos ter o coração voltado para o Deus que nos criou e que tudo providencia para que nós alcancemos o desígnio para o qual nós fomos criados. Assim, como os antigos ofereciam os primeiros frutos da sua colheita ao Senhor como prova de gratidão, nós também necessitamos colocar nas Mãos de Deus a nossa luta e as nossas conquistas celebrando o Seu grande amor por nós. Antigamente se ofereciam ao Senhor sacrifícios, holocaustos e oblações para a purificação do povo. Hoje, temos consciência de que Jesus já se ofereceu por nós e definitivamente já alcançou para nós o direito de celebrarmos a glória de Deus desde já. Por isso, hoje somos chamados (a) a participar da maior solenidade que é a Celebração Eucarística, grande Mistério do Amor de Deus, onde somos purificados pela Palavra e pela memória da Paixão e Ressurreição de Jesus Todas as vezes que comemos o seu corpo e bebemos o seu sangue, anunciamos a sua morte, até que Ele venha (cf. 1 Cor 11, 26), bem como a sua ressurreição. É esta, portanto, a Santa e perfeita assembleia a que nós somos convocados a participar.  – Você dá o devido valor à Celebração Eucarística? – Você entende porque é convocado (a) a participar desse Mistério? – Você costuma ir a Missa, pelo menos, todos os domingos? – A Santa Missa tem tido alguma influência no seu processo de conversão? – O que significa para você participar da Eucaristia?

Salmo 80 – “Exultai no Senhor, nossa força”
Celebrar e exaltar o Nome do Senhor é um preceito antigo que ao longo de todas as gerações se tornou uma manifestação da nossa gratidão ao Deus que nos criou e que nos salvou. Com salmos, cantos e danças nós podemos celebrar e louvar a Deus e a Ele prestar adoração com a consciência de que somente Ele é digno de receber a honra, a glória e o poder.

Evangelho – Mateus 13, 54-58 –“somos apenas meros instrumentos de Deus

Assim como os profetas do Antigo Testamento foram rejeitados, Jesus também o foi, principalmente na Sua terra, no meio do Seu povo e da Sua parentela. Ele era homem igual a todos os outros, conviveu no meio da Sua família, trabalhou, chorou, sofreu, e teve que encarar as mesmas dificuldades que nós hoje também enfrentamos. E o grande empecilho para que Ele, como Enviado do Pai, operasse milagres na sua cidade, era a falta de fé da sua gente.  O seu povo não conseguia enxergar os sinais de Deus por meio de dele, por isso, também não usufruiu da Sua assistência e do Seu poder libertador. Ainda hoje acontece isto dentro da nossa casa e no meio da nossa família, quando, em Nome de Jesus nós também anunciamos a sua Palavra e queremos ver acontecer maravilhas que pessoas fora do nosso convívio conseguem vivenciar. Somos hoje também os “profetas que não são estimados em sua própria pátria e em sua família”, como disse Jesus. A nossa sabedoria vem do alto e nós somos apenas meros instrumentos por onde Deus opera milagres e prodígios. Precisamos também ter consciência de que aquele (a) que fala em nome de Deus será perseguido, mas tem a assistência do Seu amor. Por outro lado, devemos estar atentos para não banalizarmos as pessoas que dentro da nossa casa nos abrem os olhos e são canais do Senhor para nossa conversão. Ouvidos atentos e coração aberto, porque o Senhor fala por meio de quem nós nunca nem esperávamos que falasse.   -  Você tem “escutado” as pessoas observando se elas são instrumentos de Deus para você? – Você tem tentado dar a mensagem que Deus coloca no seu coração para alguém? -  Por que você não se põe de pé e vai falar? – O Senhor está esperando por você! 

3 comentários:

Mariano Silveira disse...

DEUS te abençoe e te ilumine. Obrigado p/ reflexão.

Anônimo disse...

Eu todos os dias faço a leitura do dia e complemento com os comentários dessa equipe para complementar meus ensinamento e por em prática muito obrigado, que o Senhor Deus continue derramando benção a todos na Paz de Cristo, Jair Ferreira.

José Maria Nascimento disse...

Obrigado Senhor, obrigado Helena !!!

Postar um comentário