.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

terça-feira, 18 de julho de 2017

-CUIDADO COM O JOIO!-José Salviano

16º DOMINGO DO TEMPO COMUM
23 de Julho de 2017
Cor: Verde
Evangelho - Mt 13,24-43

Naquele tempo:
24Jesus contou outra parábola à multidão:
'O Reino dos Céus é como um homem
que semeou boa semente no seu campo.
25Enquanto todos dormiam, veio seu inimigo,
semeou joio no meio do trigo, e foi embora.
26Quando o trigo cresceu
e as espigas começaram a se formar,
apareceu também o joio.
27Os empregados foram procurar o dono e lhe disseram:
`Senhor, não semeaste boa semente no teu campo?
Donde veio então o joio?'
28O dono respondeu:
`Foi algum inimigo que fez isso'.
Os empregados lhe perguntaram:
`Queres que vamos arrancar o joio?'
29O dono respondeu:
Não! pode acontecer que, arrancando o joio,
arranqueis também o trigo.
30Deixai crescer um e outro até a colheita!
E, no tempo da colheita, direi aos que cortam o trigo:
arrancai primeiro o joio
e o amarrai em feixes para ser queimado!
Recolhei, porém, o trigo no meu celeiro!''
31Jesus contou-lhes outra parábola:
'O Reino dos Céus é como uma semente de mostarda
que um homem pega e semeia no seu campo.
32Embora ela seja a menor de todas as sementes,
quando cresce, fica maior do que as outras plantas.
E torna-se uma árvore, de modo que os pássaros vêm
e fazem ninhos em seus ramos.'
33Jesus contou-lhes ainda uma outra parábola:
'O Reino dos Céus é como o fermento
que uma mulher pega e mistura com três porções de
farinha, até que tudo fique fermentado.'
34Tudo isso Jesus falava em parábolas às multidões.
Nada lhes falava sem usar parábolas,
35para se cumprir o que foi dito pelo profeta:
Abrirei a boca para falar em parábolas;
vou proclamar coisas escondidas desde a criação do
mundo'.
36Então Jesus deixou as multidões e foi para casa.
Seus discípulos aproximaram-se dele e disseram:
'Explica-nos a parábola do joio!'
37Jesus respondeu:
Aquele que semeia a boa semente é o Filho do Homem.
38O campo é o mundo.
A boa semente são os que pertencem ao Reino.
O joio são os que pertencem ao Maligno.
39O inimigo que semeou o joio é o diabo.
A colheita é o fim dos tempos.
Os ceifadores são os anjos.
40Como o joio é recolhido e queimado ao fogo,
assim também acontecerá no fim dos tempos:
41o Filho do Homem enviará os seus anjos . (CNBB).
e eles retirarão do seu Reino
todos os que fazem outros pecar
e os que praticam o mal;
42e depois os lançaram na fornalha de fogo.
Ali haverá choro e ranger de dentes.
43Entóo os justos brilharão como o sol
no Reino de seu Pai.
Quem tem ouvidos, ouça.'
Palavra da Salvação.

Jesus hoje nos adverte contando a parábola do joio e do trigo.
Os nossos pais, nossos avós, semearam em nossas mentes a palavra de Deus enquanto éramos pequenos. Eles nos ensinaram a respeitar os mais velhos, a sermos justos, e temer a Deus.
Depois, quando atingimos a adolescência, vieram os inimigos disfarçados de amigos, e semearam em nossas mentes, a irreverência, a rebeldia exagerada, o desrespeito, enfim, falta de limites, e mais. Ensinaram-nos a ignorar o próprio Deus, e seguir caminhos tortuosos.
E o pior é que tudo é colocado em nossas mentes, e em seguida tudo vem de dentro dela. O bem e o mal brotam de lá. Pensamentos, palavras e emoções, que podem ser positivas ou negativas...  
Jesus hoje nos mostra que mesmo que nossas mentes estejam semeadas de semente de trigo que representa a palavra de Deus, elas podem ser infectadas pelo  joio que é representado pela ação do inimigo. E as mais perigosas sementes de joio que entram em nossas mentes, são as sementes da DESCRENÇA E DA INVEJA. 
SEMENTE DA DESCRENÇA - Depois disso ficamos indiferentes e passamos a ignorar Deus e seus mistérios, e seu Plano da salvação da humanidade. E assim, a nossa vida se transforma num verdadeiro inferno! Aliás, se não nos convertermos, poderemos acabar mesmo no próprio inferno!
SEMENTE DA INVEJA - Podemos sentir inveja daquele ou daquela que é mais rico, mais bonita, o mais talentoso, mais habilidoso, etc. A inveja pode acontecer com as pessoas mais santas, e nos lugares mais sagrados. Isto porque o demônio não perde tempo. Ele não descansa até conseguir envenenar as mentes das pessoas, de modo que até um santo pode ter ciúmes de outro santo ou santa. Do mesmo modo, o dono da empresa não admite um funcionário mais competente do que ele. O professor se incomoda quando aparece outro ou uma professora mais preparada do que ele.  Portanto não estamos livres desse terrível joio que é a inveja. Aquele que está no comando, pode bloquear um subordinado de progredir na comunidade, impedindo assim o seu excelente desempenho que poderia dar muitos frutos na catequese...         
Uma forma de exclusão muito usada em vários meios de convívio social é o “GELO”.  Vamos colocar o “fulano ou a fulana no gelo”. Ninguém fala com ele, não lhe dão atenção, e o ignoram. E tem gente que pensa que isso não é pecado. Colocam o concorrente no gelo, que nada mais é do que uma exclusão, e depois comunga o corpo e o sangue de Cristo tranquilamente.
O instinto de competição é natural da natureza humana. Porém, o inimigo se aproveita disso para nos fazer prejudicar os nossos concorrentes.  Em decorrência disso temos o chamado ciúme doentio, que na verdade não passa de uma inveja forte que atingiu as raias do perigo da vingança.
Exemplo. O ciúme é uma prova de amor. Até nos sentimos muito felizes quando a pessoa amada  faz cenas de ciúmes com relação a nossa pessoa.  É confortante, e nos trás segurança. Porém, o ciúme exagerado faz efeito contrário. Aquele marido ou companheiro, que já se encontra em estado físico decaído pela bebida, começa a imaginar coisas. E esse imaginar, nada mais é do que a semente do joio, o maligno buzinando em sua cabeça que a sua mulher pode estar traindo a sua pessoa.  Então as coisas começam a se complicar, e ele parte para a vingança.  Tanto com relação ao possível adversário, ou apenas em relação a sua companheira ou esposa, dizendo aquela famosa frase que já repetimos aqui: Se você não for minha, não será de mais de ninguém...
Marido ou companheiro? No caso do companheiro, a coisa é muito complicada, pois se trata de um casal, cuja união foi produzida apenas por atração física, é uma situação complicada do princípio ao fim.  Isto porque, a pura atração da carne acaba com o tempo.  E então começa o desamor, a traição, o ciúme impetuoso, por não haver compreensão, fraternidade, amor a Deus e amor ao próximo entre os dois.
Ao contrário, quando uma união homem-mulher é abençoada por Deus por intermédio da Igreja, e principalmente se aquele casal pratica a religião, os perigos de desavenças são bem menores, pois eles permitiram que Deus cuidasse de suas vidas, dirigindo os seus passos.  
Por outro lado, alguém já disse que os piores inimigos da Igreja estão dentro dela. São os infiltrados, de outras religiões ou seitas, que de mansinho, de vagar e com muita determinação, ao longo do tempo se transformam em parasitas, que vão corroendo, solapando, desfigurando a espiritualidade da comunidade paroquial, de tal forma que fica humanamente difícil extirpá-los, sem ferir a imagem da Igreja.  Porém, para Deus nada é impossível.
            "Eis que estarei convosco até o fim dos tempos...e as portas dos infernos não se prevalecerão contra ela (a minha Igreja.)"
Cristo prometeu, e Cristo cumpre. Ele não é como os candidatos que prometem e nunca cumprem.  Em sua paróquia tem alguma infiltração do tipo joio no meio do trigo? Não desanime! Confia em Deus e articule uma defesa contra esse tipo de crime organizado.  Mas pega leve; vai com calma, fale com o bispo, mas não vá sozinho(a). Leve também outros paroquianos devotos com você. Não faça nenhum tipo de escândalo, e nem pense em chamar algum repórter para registrar e divulgar tal problema, para que isso não se transforme em escândalo para a nossa Igreja.
Imagine uma paróquia, que está infiltrada de macumbeiros.  Um homem certo dia entrou naquela paróquia e até hoje não saiu mais.
Em pouco tempo o pároco comia na mão dele, fazia tudo o que ele mandava com jeitinho, é claro, a catequese daquela comunidade ficou destruída, e no lugar foi colocado uma grande maluquice com um nome muito doido, na qual não existia evangelização, mas sim, encenações ou representações teatrais, e muitas brincadeiras. Muitas crianças saíram, seus pais e as próprias crianças diziam: Para brincar eu brinco em casa.  
Aquele grande semeador de joio no meio do trigo, é dono de um centro de umbanda, ele se fez passar por um cristão autêntico e prestativo, muito carismático ele conquistou a todos, ou quase todos. Pois muitos dos participantes daquela comunidade, cristãos de verdade, desconfiaram, reclamaram e até denunciaram o problema para o bispo. 
Outro exemplo de joio semeado no trigo, que volta e meia aparece nos noticiários de final da tarde: Aquele jovem de aparência humilde, justo que se infiltrou naquela família, se dizendo apaixonado pela adolescente, depois de uns tempos cometeu aquele crime bárbaro!
Ele conheceu aquela moça em uma festa da comunidade, ou seja,  na quermesse da paróquia.  Dançou a quadrilha com ela, e minutos depois estavam apaixonados. Os pais dela ficaram encantados com tantas qualidades daquele jovem, principalmente pelo seu aparente bom caráter. Parecia ser o melhor partido para a sua filha, disse o pai. É um príncipe encantado, disse a mãe.
Só tinha um pequeno detalhe. O “santo” rapaz se recusou a casar na Igreja, somente no civil. Prometeu cuidar disso depois, e todos concordaram apesar dos protestos da avó.
Um ano depois, ele já se apoderara de grande parte da fortuna daquela família, tinha a esposa praticamente prisioneira, e todos estavam apavorados, pois ele controlava tudo. A paz daquela família acabou, e a tragédia foi inevitável...
Jesus disse para que o joio não fosse arrancado, pois como ele se parece demais com o trigo, este poderia ser também arrancado junto. A separação do joio do trigo seria feita depois, segundo Jesus. E Ele se referiu ao juízo final, quando os filhos do maligno serão separados dos justos, os quais irão para a glória eterna. 
Prezados irmãos, prezadas irmãs. Esperamos que todos nós sejamos conduzidos a vida eterna, que Deus tenha piedade da nossa alma massacrada por tantas tentações, por tantas ilusões, por tantos pecados.
Constantemente em nossas orações pedimos a Deus que nos livre de tantos irmãos que praticam o mal, e podem nos atingir, se ainda não o fizeram.  Através da parábola do joio no meio do trigo, Jesus nos diz que não é essa a vontade do Pai. Mas sim, a sua vontade não é de matar todos os maus, mas deixá-los até o tempo da ceifa, ou seja, o juízo final.
Por meio desta parábola, vamos entender porque existe o mal no mundo. Porque o joio está semeado em toda parte, causando mais e mais pecados, e mais sofrimentos. Então, muitos perguntam: Se Deus existe por que Ele permite o mal no mundo?
Acontece que Deus respeita a nossa liberdade de praticar o bem ou o mal. Quando estamos mergulhados no pecado, quando estamos agindo como os malvados, o inimigo se aproveita para semear o ódio, a vingança e todo o mal na nossa mente. Ele domina a nossa pessoa  de tal modo que viramos presas fáceis das tentações, e assim, praticamos o mal e sofremos as consequências do mau uso da nossa liberdade.
Cuidado com o joio!


Desejo-lhe um bom e santo domingo. José Salviano


2 comentários:

Ude Macedo disse...

Olá, Salviano,

Gostei da sua reflexão, que mostra bem o mal infiltrado em todos os lugares.
Lourdes

Salviano disse...

OBRIGADO. SUA HOMILIA TAMBÉM É LINDA!

Postar um comentário