.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

terça-feira, 9 de agosto de 2016

“NÃO TE DIGO ATÉ SETE VEZES, MAS ATÉ SETENTA VEZES SETE.” - Olívia Coutinho

 
Dia 11 de Agosto de 2016
 
Evangelho– Mt 18,21-19,1
 
 Quantos de nós, fazemos questão de dizer que somos cristãos, seguidores de Jesus, quando na prática, agimos de forma contrária ao que Ele nos ensina!
Quantas vezes rezamos a oração do Pai Nosso, na qual pedimos perdão  a Deus pelas nossas faltas, prometendo perdoar a quem nos ofendeu, mas não cumprimos o que prometemos, não perdoamos o nosso irmão! Perdoar o nosso irmão, é condição para que possamos ser perdoados por Deus!  
O evangelho que a liturgia de hoje nos convida a refletir, fala da importância do perdão!  “Pedro, aproximou-se de Jesus e perguntou: Senhor, quantas vezes devo perdoar, se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes? Jesus respondeu: “Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete”. Em seguida, Jesus conta a parábola do servo cruel, que mesmo sendo perdoado pelo rei, não perdoou ao seu devedor e por isto ele foi duramente castigado pelo rei. Concluindo esta parábola, Jesus faz uma advertência que vale para todos nós: “É assim que meu Pai fará convosco, se cada um não perdoar de coração ao seu irmão”.
A falta de perdão fecha o nosso coração à graça de Deus, nos afasta do banquete da vida, que é  a Eucaristia!  Enquanto que a alegria do perdão é infinita, tanto para quem dá o perdão, quanto para quem o recebe!  Portanto, compensa nos esforçarmos em despir do nosso orgulho, para viver a alegria do perdão, a alegria de reaproximarmos de Deus, reaproximando do nosso irmão!
 Sabemos que não é fácil reconciliar com quem nos ofendeu, mas se recorrermos a Deus, Ele nos ajudará a vencer este desafio! 
O perdão é uma questão de decisão, de humildade, o nosso primeiro passo, deve ser, reconciliar com nós mesmos, reconhecendo as nossas imperfeições.  Somos todos, sujeitos a falhas, também cometemos injustiças, é a partir desta consciência, que se abre uma fresta no nosso  coração,  por onde Deus entra e abre o caminho para a  nossa reconciliação  com Ele na reconciliação com o  irmão. 
 É muito comum, sermos ofendidos, ou ofendermos o outro impensadamente, o que não significa que não amamos esta pessoa, geralmente, somos ofendidos, ou ofendemos as pessoas mais próximas de nós, portanto, não vale a pena guardar ressentimentos de pessoas que amamos, ou melhor, não devemos guardar ressentimentos de quem quer que seja!
Jesus nos deixou um grande exemplo de Perdão, quando pregado na cruz, Ele pronunciou estas palavras: “Pai perdoa-lhes! Eles não sabem o que estão fazendo”! Lc 23,34.  Quando sentirmos dificuldades em perdoar alguém, lembremo-nos deste grande exemplo de Jesus!
Muitas vezes, nós queremos receber o perdão de Deus, mas não estamos dispostos a perdoar o outro!
É importante termos a consciência, de que nós  não somos  modelo  de perfeição, não somos infalíveis, temos qualidades e defeitos, por isto todos nós merecemos uma nova chance, uma chance que deve partir de nós mesmos: no pedir e no dar o perdão!
 Assim como Jesus acolhe o pecador arrependido e esquece todo o seu passado, nós também devemos perdoar e acolher quem nos ofendeu, perdoar quantas vezes for necessário, perdoar sem limites!
Às vezes, a nossa  dificuldade em perdoar,  é porque enxergamos  as ofensas bem maiores do que na verdade elas são.  
Quem vê o irmão com o olhar de Jesus, vive a alegria do  perdão!

FIQUE NA PAZ DE JESUS! – Olívia Coutinho
Venha fazer parte do meu grupo de reflexão no Facebook:

Um comentário:

Mariano Silveira disse...

DEUS te ilumine e te abençoe.

Postar um comentário