.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

DEUS CONFIA A NÓS, A ADMINISTRAÇÃO DOS SEUS BENS!- Olivia Coutinho

 
Dia 27 de Agosto de 2016
 
Evangelho de Mt25,14-30

Quantos de nós, passamos pela vida escondidos no nosso mundinho particular não desenvolvendo os nossos talentos, ora por comodismo, ora por medo de nos expor e de sermos criticados. 
Quem se deixa irrigar pela fonte de água viva que é Jesus, tem a sua vida regada o tempo todo de estímulo, por isto multiplica os seus talentos, tem gosto pela vida!
A expansão do reino de Deus depende da nossa disposição em colocar as nossas capacidades e habilidades na construção do Reino, afinal, somos nós, os contratados para a obra do Senhor! No Batismo, assinamos este contrato!
É importante conscientizarmos, de que a obra do Senhor é gigantesca, nela, há trabalho para todos, ninguém pode dizer que não tem algo a oferecer nesta “empreitada,” pois o Senhor capacita todos, de acordo com a suas aptidões, cabe a cada um, descobrir em que setor ele se encaixa nesta obra que nunca terá fim, pois o Reino de Deus é construção permanente!
A eficiência do operário do senhor está em fazer a diferença no mundo, em não ficar somente na sua obrigação, afinal, quem está ajustado no Senhor da Messe, tem capacidade de fazer muito mais!
O evangelho que a liturgia de hoje nos apresenta, faz-nos perceber através de uma parábola, o quão é grande a nossa responsabilidade para com o que é de Deus!
Deus confia a nós, a administração de todos os seus bens, e para que possamos ser bons administradores, Ele nos concede talentos!
“Talentos,” podemos dizer que são indicativos de capacidade e de habilidade que Deus concede a cada um de nós diferenciadamente, cabendo a quem recebe; desenvolvê-lo!
A parábola nos fala de um patrão que antes de viajar para o estrangeiro, entregou os seus bens a três de seus empregados.
A cada um, foi dada a responsabilidade de administrar estes bens, de acordo com as suas capacidades, e quando ele voltou, pediu conta dos seus bens a cada um deles.
Os dois primeiros, por terem alcançado êxito na administração dos bens confiados a eles, receberem elogios do Patrão. Já o terceiro empregado, que por medo de arriscar enterrou o único talento que recebera não o fazendo multiplicar, foi duramente castigado pelo patrão. Este empregado simboliza todos os que têm medo de arriscar, os que vivem na passividade, que não agem e nem reagem, aqueles que não fazem nada de errado, mas também não fazem o bem!
Na administração dos bens de Deus, muitas vezes, precisamos ousar! É importante estarmos bem atentos, pois um dia, teremos que prestar conta ao Senhor, da nossa administração. Podemos estar certos de que nós, não seremos cobrados pelo o não êxito daquilo que fizemos, e sim, pelo o que deixamos de fazer!
De nada adianta, termos as mãos limpas para apresentarmos a Deus no juízo final, se elas estão vazias, se não fizemos nada com elas, em favor do Reino!
O empregado castigado pelo patrão,  escondeu o seu talento no chão, e muitos de nós, escondemos os nossos talentos dentro de nós mesmos, negando a fazer a nossa parte na construção do Reino de Deus!
A certeza de que um dia, teremos que prestar contas a Deus dos frutos que produzimos aqui na terra, não deve nos intimidar, pelo contrário, deve nos motivar a ir em frente, a ousar...
 
NA PAZ DE JESUS! – Olívia Coutinho
Venha fazer parte do meu grupo de reflexão no Facebook:

3 comentários:

José Ivan Ivan disse...

Muito bom começar obdia com essa mensagem

José Ivan Ivan disse...

Muito bom começar obdia com essa mensagem

Mariano Silveira disse...

DEUS te abençoe e te ilumine. Obrigado p/ reflexão.

Postar um comentário