.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

terça-feira, 5 de junho de 2018

-NÃO LEVEIS NADA PELO CAMINHO-José Salviano


11 de Junho – Ano B

Evangelho Mt 10,7-13

-NÃO LEVEIS NADA PELO CAMINHO-José Salviano

Jesus enviou os apóstolos e deu a eles muitos poderes, principalmente poder de curas. Jesus recomendou a eles que não levassem nenhuma provisão, nem mesmo roupa sobressalente. Pois por onde eles andassem, aqueles e aquelas que os recebessem, tinham a obrigação de abrigá-los e sustentá-los.
Com isso Jesus quer nos dizer que também nós temos o dever de sustentar os padres com os quais convivemos. Tudo o que eles necessitam para terem uma vida digna, somos nós que devemos lhes fornecer.
Fugir desse compromisso, é o mesmo que negar a Cristo e a sua missão.
Jesus recomendou aos apóstolos que não cobrassem por nenhuma cura, oração, ou coisa parecida. Pois os dons que eles se disponibilizavam, teriam sido recebidos de graça.
Portanto, se de graça recebeis, de graça devereis dar.
Hoje nós vemos por aí, certos “milagreiros” cobrando por seus serviços, e inclusive por orações. “Milagreiros” que de milagreiros mesmo só têm o nome. Pois muitas dessas curas são arrumações, ou seja, são truques combinados.
O trabalho daqueles e daquelas que se dedicam ao serviço do Reino, deve ser uma verdadeira doação de si mesmo.
Não tem cabimento exigir pagamento por nenhum tipo de serviço prestado aos fiéis.
Por outro lado, os fiéis devem ser conscientizados de que precisam colaborar. Os fiéis precisam saber que o sustendo dos ministros de Deus e da Igreja, está a nosso cargo. É nosso dever, pois, participar da coleta, e também colaborar quando recorremos aos serviços da Igreja, como por exemplo, um batizado, um casamento, uma unção dos enfermos. Não se trata de pagamento em si, mas sim de uma ajuda de custo, para a locomoção dos ministros, dos sacerdotes, ou mesmo da alimentação desses.
Se tudo o que temos nos veio de Deus, não é justo que cobremos pela realização de uma cura.
Se alguma alma caridosa quiser nos fazer uma doação, podemos aceitar de boa vontade. Porém, explicitar uma taxa, um tipo de pagamento pelos nossos serviços, é o mesmo que nos colocar em confronto com a determinação de Jesus.
Todo o nosso trabalho deve ser gratuito. Porém, repito, o povo deve ser conscientizado da nossa obrigação de ajudar a Igreja em sua caminhada terrestre.
Do mesmo modo, a paz, a alegria, o carinho de Deus para conosco, deve ser partilhado aos outros.
Jesus prometeu 100 vezes mais nesta vida, a quem largar tudo e se doar pelo serviço do Reino. Portanto, esse conforto que desfrutamos por estar a serviço do Pai, deve ser compartilhado com muito amor, a todos os nossos irmãos e irmãs.

Tenha um bom dia. José Salviano.


Um comentário:

Anônimo disse...

Eu, Jair Ferreira da cidade de Cruz das Almas - Ba todos os dias faço a leitura do dia e complemento com os comentários dessa equipe para complementar meus ensinamento e por em prática muito obrigado, que o Senhor Deus continue derramando benção a todos na Paz de Cristo.

Postar um comentário