.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

terça-feira, 17 de maio de 2016

“NÃO ESCANDALIZAR” (Pe. Jaldemir Vitório)


(Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta)


7ª Semana da Páscoa – 19 de maio de 2016
Evangelho: Marcos 9,41-50
 (Verde – Ofício do Dia)


A radicalidade com que Jesus tratou o tema do escândalo tem sua razão de ser.
Escandalizar, no Evangelho, significa tornar-se ocasião de pecado para alguém, afastá-lo do projeto de Deus, torná-lo merecedor de condenação. Como é possível que um discípulo do Reino se torne ocasião de pecado para seu semelhante, quando sua missão consiste, exatamente, em atraí-lo para Deus? Numa demonstração de realismo, Jesus alertou os discípulos a respeito desta possibilidade. Afinal, sua condição não os transformava em seres angélicos.
           
Os discípulos poderiam ser motivo de escândalo de vários modos: pela severidade e moralismo exagerados, pelo preconceito segregador, pela falta de paciência em se tratando de ajudar os mais fracos, pelo contra-testemunho e inautenticidade no modo de ser, pela omissão em caso de desvio grave, por não serem firmes quando necessário. Estas e outras atitudes afins podem resultar no afastamento dos indivíduos, do projeto de Deus, com graves conseqüências. A responsabilidade seria dos discípulos.
           
Para nos precavermos contra essa situação, Jesus indica, como remédio, cortar o mal pela raiz. Evidentemente, quem tem bom senso não interpreta ao pé da letra a ordem do Mestre: amarrar uma pedra ao pescoço de alguém e lançá-lo ao mar; cortar a mão ou o pé; arrancar o olho. A intenção de Jesus era mostrar aos discípulos a gravidade da situação e movê-los a por fim a uma situação inconveniente. Caso contrário, também eles seriam excluídos da salvação.

 Oração

Espírito de cautela, que eu seja criterioso no trato com meus semelhantes, de forma a não afastá-los de Deus e de seu projeto.





Santo do Dia / Comemoração (São Pedro Celestino):

Pedro nasceu em 1215 na Itália, fillho de pais camponeses. Segundo os escritos, decidiu que seria religioso aos seis anos de idade, quando revelou esse desejo à mãe. Cresceu estudando com os beneditinos e assim que terminou os estudos, retirou-se para um local isolado, onde viveu por alguns anos.

Depois foi para Roma recebendo o sacerdócio em 1239. 

Voltou para a vida de eremita e foi viver no sopé de um morro onde levantou uma cela, vivendo de penitências e orações contemplativas. Em 1251 fundou, com a colaboração de dois companheiros, um convento.

Rapidamente, sob a direção de Pedro, o convento abrigava cada vez mais seguidores. Assim, ele fundou uma nova Ordem, mais tarde chamada "dos Celestinos". Em 1292 morreu o Papa Nicolau V e Pedro foi eleito o novo papa. 

Entretanto a sua escolha foi política, por pressão de Carlos II, rei de Nápoles.

 Com temperamento para a vida contemplativa e não para a de governança, o erro de estratégia logo foi percebido pelos cardeais. Pedro Celestino exerceu o papado durante um período cheio de intrigas, crises e momentos difíceis. Reconhecendo-se deslocado, renunciou em favor do Papa Bonifácio VIII, seu sucessor. 

Para não gerar um cisma na Igreja, Pedro Celestino aceitou humildemente ficar prisioneiro no Castelo Fumone.

Ali permaneceu até sua morte. Dez meses depois de seu confinamento, Pedro Celestino teve uma visão e ficou sabendo o dia de sua morte. Assim, recebeu os Santos Sacramentos e aguardou por ela, que chegou exatamente no dia e momento previstos: 19 de maio de 1296. 

Colaboração: Padre Evaldo César de Souza, CSsR

 REFLEXÃO

O Espírito Santo concede a cada um de nós um dom específico. Viver esta vocação doada por Deus é sinal de sabedoria e união com a vontade de Deus. Quando trocamos nossa vocação por outros caminhos, fica-nos uma lacuna na vida. Assim, vamos encontrar em Deus nossa verdadeira vocação e responder ao chamado de Deus com alegria e fidelidade.


ORAÇÃO

 Deus eterno e todo-poderoso, quiseste que São Celestino V governasse todo o vosso povo, servindo-o pela palavra e pelo exemplo. Guardai, por suas preces, os pastores de vossa Igreja e as ovelhas a eles confiadas, guiando-os no caminho da salvação. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.



São Pedro Celestino, rogai por nós.



Enviado por: Ademilson Moura – Paróquia Santo Antônio – Pirassununga-SP.


Um comentário:

Anônimo disse...

Em Marcos 9, 41-50, Jesus fala à Igreja. É palavra profética, sobre o pecado do escândalo cometido contra os pequeninos, e sobre o que deveria acontecer àquele que o cometesse, ser melhor que fosse lançado fora, no mar, com uma pedra amarrada ao pescoço. São membros do corpo:uma das mãos, um dos do pés e um só olho. Ora, como um olho do nosso corpo pode pecar e o outro não? É claro que não fala do corpo humano. Aplica-se profeticamente e inegavelmente ao crime da pedofilia na Igreja, nos últimos tempos, que, por muitos anos, relevou essa questão ética, moral e espiritual, em nome da sustentação de uma falsa aparência, ferindo a verdade. Se um dos olhos peca, o outro não pode deixar de ver o pecado.

Postar um comentário