.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

terça-feira, 24 de maio de 2016

Firmes na oração e na ação-Helena Serpa

27/05/2016 - 6ª. Feira – VIII Semana do tempo comum – 1 Pedro 4, 7-13 – “somos administradores da graça de Deus”

Todos nós temos um desejo de imortalidade, pois a nossa alma anseia por viver eternamente. No entanto, sabemos que o nosso tempo aqui na terra é breve e que o “fim de todas as coisas está próximo”, como diz São Pedro nesta carta. Todavia, nós que temos fé, também sabemos que a nossa eternidade começa aqui, enquanto estamos na terra e, continua na outra vida, perto de Deus ou longe Dele, conforme a nossa escolha. Precisamos ter consciência de que Deus não quer perder nenhum de nós e que o nosso futuro depende das nossas opções de vida.    Para que desde já possamos vivenciar a “vida eterna”, em comunhão com Deus São Pedro nos ensina um caminho excelente. Ele nos convoca a viver com inteligência os nossos dias vigiando na oração, pois sem vida de oração não conseguiremos ter comunhão com Deus. Tudo o que vivermos será uma consequência da nossa intimidade ou não com o Senhor.  O Espírito Santo nos faz vivenciar o amor mútuo, a hospitalidade uns com os outros, sem reclamações e, principalmente, nos faz colocar à disposição dos outros os dons que recebemos de Deus. Precisamos também ter consciência de que nada nos pertence e que tudo nos foi dado, não para nosso próprio proveito, mas para o bem comum. Podemos entender então, que somos administradores da graça de Deus e não dos nossos próprios interesses. Todas as nossas aptidões foram providenciadas por Deus para o provimento do Seu Reino. Portanto, o dom de falar, o dom do serviço e outros tantos que existem nos foram concedidos para a glória de Deus em virtude de Jesus Cristo que é a razão de tudo. Tudo o que desfrutamos aqui na terra tem como motivo maior, Jesus Cristo, por isso, precisamos nos alegrar até nos sofrimentos, pois eles são a nossa participação na Cruz que Ele abraçou para nos revelar também a Sua glória. A maioria das pessoas, no entanto, passa a vida toda amealhando os dons para si mesmo e não entendem que o fim está próximo, aqui na terra, mas a outra vida nos espera. – Você tem comunhão com Deus? – Como você tem vivido? – Você tem colocado os seus dons a serviço de Deus? – Você já pensou que o fim está próximo também para você?

Salmo 95 – “O Senhor vem julgar nossa terra”

O Senhor Deus criou o universo e o deixou para o homem nele viver e administrar, no entanto, está atento a todas as nossas disposições e um dia virá para julgar a terra. Porém, não podemos esquecer de que Ele reina sobre todos nós, suas criaturas. O reino de Deus, no entanto, é um reino de paz e de justiça para os que vivem a Sua lei. Por isso, céu e terra se rejubilam e tudo que Ele criou espera a Sua vinda. Na Sua presença, um dia todos nós também nos rejubilaremos.

Evangelho – Marcos 11, 11-26 – “ firmes na oração e na ação

Neste Evangelho vemos Jesus agindo em três momentos diferentes nos levando a perceber a expectativa de Deus em relação a cada um de nós e como as coisas que nos acontecem são consequências das nossas ações. Primeiramente o evangelista Marcos ressalta que Jesus, ao entrar no templo de Jerusalém observou tudo, mas como era tarde seguiu adiante com os doze para Betânia. No outro dia ao voltar para Jerusalém, teve fome e procurou frutos na figueira e lá só encontrou folhas,... “ pois não era tempo de figos”. Por isso, a figueira foi amaldiçoada.  E depois, novamente no templo Jesus expulsa os vendilhões que faziam da casa de Deus uma “toca de ladrões”. Por fim, diante da figueira seca até a raiz Jesus revela aos Seus discípulos que com a fé e a oração eles poderiam fazer acontecer tudo aquilo em que acreditassem. A mensagem que podemos tomar para nós é que o Senhor também mantém expectativa para nós, nos observa e nos exorta a permanecermos firmes na oração e na ação a fim de que possamos dar frutos de santidade e de justiça. Ainda hoje Jesus sente fome dos nossos frutos bons, pois somos as “figueiras” de hoje onde Ele procura figos para saciar a Sua fome. Jesus tem fome do nosso amor expressado em atos concretos de santidade e de justiça, tem fome do nosso zelo pela Sua casa, da nossa oração, da nossa confiança, da nossa fé, no entanto, parece que só tem encontrado, quando muito, a nossa “boa vontade”. Isso acontece, porque muitas vezes, nós, como a “figueira”, nos preocupamos muito com a aparência, nos ocupamos com o ter conhecimento das coisas temporais, desejamos ser instruídos e, por isso, nos tornamos admiráveis aos olhos humanos. Queremos servir a Deus, mas nos revestimos de uma capa atraente sem nunca alcançar o tempo de dar frutos bons e agradáveis ao Senhor. Confundimos o que é do Espírito com o que é da nossa humanidade e mesmo até com o que é demoníaco. Por isso, nós, como a figueira, secamos e nos autodestruímos.  Jesus tem fome do fruto do Seu Espírito em nós. O fruto do Espírito é o AMOR que tem de ser colhido sempre, pois toda hora é tempo de semear e de colher amor. Amor semeado tem colheita certa. A figueira dá figos, o homem, amor! O homem e a mulher que não dão frutos de amor são estéreis. Muitas vezes, porém, nós estamos desvirtuados da nossa condição primeira, porque nos deixamos invadir pelos “vendilhões” e o templo do nosso ser torna-se também uma “cova de ladrões”!  São os maus pensamentos, as maquinações, a vaidade, a falta de perdão, o sentimento de vingança, etc.   Precisamos também, como Jesus, expulsar de dentro do nosso coração tudo que nos impede de dar frutos de santidade – Como está o templo do seu coração? – O que você tem pedido na sua oração? – Quais os frutos que você tem para matar a fome de Jesus? – A sua casa é uma casa de oração?


6 comentários:

Anônimo disse...

LINDA REFLEXÃO

Anônimo disse...

Belíssima reflexão!
Helena, vc é um fruto de agradável saber ao nosso Deus. Sempre nos esclarecendo a Palavra com muita sabedoria. Bom dia!

José Efigênio Pinto disse...

Helena Serpa; Que Deus continue te iluminando, com esta sabedoria que ele ofertou. Um grande abraço.

Anônimo disse...

MUITO BOA REFLEXAO DEUS TE ABENÇOE.

José Maria Nascimento disse...

Obrigado por compartilhar esta belíssima reflexão!!!

dominiki sousa disse...

Otima reflexao, como é o mes mariano podemos fazer uma lusao : templo , oraçao, frutos com as açoes de Nossa Senhora...

Postar um comentário