.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

terça-feira, 31 de maio de 2016

Deus dos vivos e não dos mortos-Helena Serpa

01/06/2016 - 4a. Feira – IX Semana do tempo comum  - 2 Timóteo 1, 1-3.6-12 –  “ somos chamados a uma vocação santa”
As palavras de São Paulo hoje se destinam a todo aquele que já conhece a força de Deus, porém encontra-se desanimado mediante as dificuldades próprias do seguimento de Jesus Cristo. Somente quando já vivemos uma vida de esperança em Deus, é que podemos compreender e absorver estas palavras.    Muitas vezes, apesar de termos consciência do poder de Deus, nós nos encontramos fracos (as) e impotentes, sujeitos (as) à ação do nosso maior inimigo, o desânimo.  Por isso, São Paulo nos exorta a reavivarmos a chama do dom de Deus (o dom de Deus é o Espírito Santo), para que tenhamos um espírito de fortaleza, de amor e de sobriedade. O Espírito Santo é quem nos renova e dá a motivação para que ponhamos em prática o projeto de Deus durante o tempo em que passamos nesta terra. Para que possamos enfrentar as armadilhas da nossa vida, dando testemunho ao mundo, sem constrangimento e de coração firme de que não recebemos a graça de Deus em vão, precisamos destas três virtudes fundamentais. A fortaleza que revela a nossa fé e confiança nos planos de Deus, o amor que dá sentido às nossas ações e a sobriedade para que possamos manifestar serenidade levando ao mundo a paz tão necessária.  O mundo espera e necessita do nosso testemunho de coragem, de solidariedade e de equilíbrio. Precisamos estar conscientes de que a razão da nossa fé é Aquele que nos chamou para uma vocação santa. Nós somos salvos e chamados para uma vocação santa, porque é este o desígnio do Pai, e da Sua graça em Jesus Cristo, desde sempre. A vocação santa não nos exime de vivenciarmos as dificuldades, pelo contrário, poderá ser passagem por um caminho áspero, mas na certeza de que o Senhor é capaz de guardar aquilo que nos foi confiado até o grande dia, isto é, o dia da nossa redenção. Isto não depende das nossas obras, mas da nossa adesão ao projeto  salvador que o  Pai tem para nós através da entrega de Jesus. Sabemos em quem colocamos a nossa fé, por isso, somos mais que vencedores do mundo e arautos do Evangelho. – Como você tem estado ultimamente, animado (a) ou sem esperança? -  Você acredita que um dia ressuscitará e viverá no céu com os anjos e os santos? – Você tem consciência de que foi chamado (a) para ser santo (a)? – O que você acha que precisa fazer para ser santo (a)? 


  Salmo 122 – “Ó Senhor, para vós eu levanto meus olhos”
Precisamos ter os nossos olhos sempre voltados para o Senhor já antevendo o céu que nos aguarda e sentindo no coração as primícias de uma vida perto do nosso Deus. Por isso, podemos rezar este salmo levantando os olhos para o céu, onde está Jesus e para onde um dia seguiremos. Mesmo que o mundo tente nos distrair nós podemos sempre recomeçar com a confiança de que o Senhor acolhe com misericórdia o nosso pedido de perdão. È do céu que virá o nosso socorro!

Evangelho – Marcos 12, 18-27 – “Deus dos vivos e não dos mortos ”
Os saduceus uniram-se para pregarem uma peça em Jesus e confundi-Lo fazendo-Lhe perguntas a espera de que Ele hesitasse na resposta, pois não acreditavam na ressurreição dos mortos e se baseavam nos preceitos que Moisés havia deixado. No entanto, Jesus facilmente esclareceu o caso se reportando às Escrituras e interpretando para eles os mistérios do Pai e fazendo com que enxergassem como estavam enganados! Assim também acontece com cada um de nós quando tiramos conclusões precipitadas sobre os mistérios da vida em virtude da nossa tendência a materializar o que é espiritual. Todos nós somos mais ligados à nossa dimensão material do que à nossa realidade espiritual. Por esse motivo não conseguimos interpretar o ensinamentos do Senhor por meio da Sua Palavra e confundimos os projetos de eternidade que Deus nos reserva deixando de enxergar as coisas espirituais. Consequentemente nivelamos a nossa vida depois da morte com a que experimentamos na terra. Jesus esclareceu-nos este mistério quando nos mostrou que “quando os mortos ressuscitarem, os homens e as mulheres não se casarão, pois serão como os anjos do céu.”  Por esta razão, precisamos desde já,  tentar  nos liberar do apego demasiado às pessoas, pois sabemos que todos somos propriedade de Deus Pai e é Ele quem nos reserva  o lugar no qual habitaremos eternamente, segundo a Sua misericórdia. Todo o fundamento do cristão está na ressurreição de Jesus e Nele esperamos também ressuscitar. Sabemos que Jesus está vivo e que é o Senhor dos vivos, não dos mortos, portanto, nós também continuaremos vivos, mesmo depois da nossa morte. Hoje, somos matéria e espírito, um dia seremos como os anjos do céu, não teremos mais apego a ninguém, seremos somente de Cristo e viveremos em perfeita harmonia com o Pai e com todos os nossos queridos.  – O que as palavras de Jesus causam em você: preocupação ou esperança? – Você é uma pessoa muito dependente das pessoas que o (a) cercam? -  Você acredita que um dia ressuscitará e viverá no céu com os anjos e os santos?   



Um comentário:

Anônimo disse...

A TUA PALAVRA SENHOR E SINAL DE ESPERANÇA PARA NOS,OBRIGADO SENHOR POIS ESTA MUITO CLARO E ESPLICADA ESTA VERDADE.SENHOR QUEM TEM OUVIDOS OUÇA E QUEM QUISER ENTENDER ENTENDA AMEM.

Postar um comentário