.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

terça-feira, 22 de novembro de 2016

VIGIAI PARA NÃO SER COLHIDO DE SURPRESA – Maria de Lourdes Cury Macedo.

        
         Domingo, 27 de novembro de 2016.
Evangelho de Mt 24,37-44.  

         Domingo, dia 02 começa o tempo do advento, que é tempo de espera, de preparação e de chegada. Advento significa: aquilo que há de vir. Nestes quatro domingos que antecedem o Natal, é o tempo do Advento que relembra o tempo que o povo de Deus viveu esperando o Salvador. Para nós que vivemos hoje depois de Cristo, a Igreja nos chama a relembrar o tempo de espera e nos convida a preparar o nosso coração para o nascimento de Jesus. De forma que Jesus possa renascer nos nossos corações, ser o rei, o Senhor da nossa vida.
Esperar alguém especial requer cuidadosa e amorosa preparação. Assim é o tempo do advento, tempo de preparar o coração para acolher Jesus que vai nascer. Tempo forte de conversão.
Mas, como nós podemos preparar o nosso coração de maneira eficaz? Estando vigilantes. Como? Nos corrigindo, vivendo como Jesus nos ensinou, vivendo o amor a Deus e ao próximo. Porque onde existe amor, existirá compreensão, paciência, solidariedade, fraternidade, justiça. Onde há Deus não há lugar para o ódio, rancor, inveja, ciúme, maldade, discórdia, falsidade, desunião, fofocas, calúnias. Estar vigilante é evangelizar nossa família, amigos, parentes, vizinhos, enfim colaborando na evangelização da nossa comunidade. Vigiar é um convite a um compromisso concreto com Jesus e com os irmãos.
Desta forma, neste tempo de preparação para o natal a Igreja nos convida fortemente a nos voltar para dentro de nós, para analisarmos como estamos vivendo. Esta é a maneira de estar vigilantes, porque não sabemos quando o Filho do Homem, que é Jesus voltará.
Este evangelho nos ensina uma lição que é atual para os homens de todos os tempos: é preciso estar sempre alerta. Para melhor entendermos, Jesus dá exemplos: Ele fala do povo no tempo de Noé, da atividade diária das pessoas, do seu trabalho e a do ladrão que chega quando ninguém espera.
 O Evangelho nos recorda que as pessoas que viveram na época de Noé não deram muita atenção para as advertências que ele fazia. O resultado foi que muitos foram apanhados de surpresa quando veio o dilúvio e arrastou a todos, assim será no retorno de Jesus no dia do juízo final: muitos serão encontrados despreparados. O povo da época de Noé levava sua vidinha de sempre: comiam, bebiam, casavam-se. A violência aumentou tanto até chegar a um ponto insuportável e só Noé se conservava na lei do Senhor e construía a arca da justiça. Aquele povo não percebeu, ou não se deu conta que vivendo daquela maneira não agradava a Deus.
Isto pode estar acontecendo hoje conosco, levamos nossa vida sem nos preocuparmos se estamos ou não agradando o Senhor. É preciso ter sensibilidade em relação ao momento presente, saber compreender o presente, o que Deus está nos falando, ensinado, corrigindo, mostrando, mas, ser parecidos com Noé, que era considerado uma pessoa justa..
Jesus nos alerta: Estejam atentos! Não podemos viver só preocupados com as coisas do mundo... Quem vive assim será pego de surpresa.
O exemplo dos dois homens trabalhando no campo e das duas mulheres moendo no moinho refere-se aos trabalhos diários de toda a humanidade. Trabalham juntos, mas um será levado e outro deixado. Os que estiverem preparados, porque estão vigilantes e praticando a justiça, o amor, serão levados; os que não estiverem preparados, porque não deram atenção à pratica da justiça e ao amor, serão deixados. Uns, serão levados outros deixados porque no mundo convivem juntos os justos e os injustos. A diferença está no estilo de vida que leva, no modo de ser, de agir, de pensar de cada um deles. Nem sempre quem faz o mesmo serviço será salvo ou condenado. Não é o serviço, mas a intenção com que faz.  Se, faz com amor, dedicação, justiça ou com ódio, inveja, de qualquer jeito, com descaso.
Assim. Pode acontecer que de dois empregados trabalhando na mesma firma, um capta qualquer sinal da presença de Deus, enquanto o outro nada percebe. De duas senhoras fazendo compras no supermercado, uma pode se dar conta de que Deus está com ela, enquanto a outra anda totalmente alienada.
Há pessoas e acontecimentos que para uns, marcam o início de uma nova história, uma nova vida; para outros, nada significam. Para uns, Cristo é o Filho de Deus, o Salvador; para outros, Ele não passa de um nome sem sentido. Para uns, a morte de Cristo numa cruz é simples loucura; para outros, é a maior prova do amor de Deus para com o ser humano... 
Portanto, a solução apresentada por Jesus é vigiar. “Fiquem vigiando”, diz Jesus. Vigiar é viver atento às próprias atitudes para não errar, para acertar sempre... Enquanto somos peregrinos e caminhantes, devemos marchar à luz de Cristo, nos caminhos de Jesus, vigilantes, mas com os olhos na meta final: nossa Salvação. Nossas atitudes, nossas obras é que pesarão na balança.
Com as palavras deste evangelho, Jesus não quis assustar ninguém e nem por medo. A nossa religião, a nossa fé não é uma religião de medo, medo de Deus, medo do castigo, mas devemos nos revestir do amor, da graça de Deus que Ele continuamente derrama sobre todos aqueles que querem e desejam a graça, desejam viver no amor, na justiça, na paz. O Evangelho é uma mensagem de alegria e esperança e não uma mensagem de medo, de terror e angústia, mas de Salvação.
Por isso enquanto estivermos vivos, em marcha para a casa do Pai, a atitude que o Senhor quer de nós é a de uma atenta vigilância, uma sábia vigilância para não errar, para não desviar do caminho do amor, do caminho da Salvação.
 Vigiemos sobre nós mesmos. Vigiemos nossa inteligência, nossa vontade, nossos sentidos, nosso coração. Não podemos nos entregar ao mal, porque na hora em que menos esperamos, o Filho do Homem virá. Ele vem sem avisar. Estejamos preparados, atentos, porque o fim do mundo será realidade e o fato se dará por sinais claros, facilmente perceptíveis. Mas virá de surpresa. Ninguém sabe quando isso se dará.
Este “momento da chegada do Senhor” se refere antes a nossa morte, e também ao fim do mundo. Mas a insistência de Jesus é que todos estejam preparados para a morte, que corresponde ao fim do mundo para cada um em particular. Importa a Jesus que todos estejam preparados para o encontro com Deus no fim da vida.
Aprendemos neste evangelho que caminhamos para a casa do Senhor, caminhamos ao seu encontro, mas que Ele também está vindo ao nosso encontro.
O Salvador Jesus quer nos ensinar que ele vem continuamente em nossa vida, para salvar-nos e trazer-nos felicidade. Deus sempre vem ao nosso encontro. Quem tiver os olhos abertos, quem esperar e preparar um mundo novo do jeito que Deus quer, sem dúvida vai reconhecer Jesus toda vez que Ele vier. E Ele vem, está presente nas palavras de quem nos orienta para o bem, nos gestos de amor aos irmãos, no esforço de quem se sacrifica para construir um mundo onde não haja mais fome, sofrimento, doença, violência. Ele está presente nas pessoas que constroem a justiça, a paz, a fraternidade.
Muitos não reconhecem ou não descobrem que Jesus está presente nestas pessoas, que Ele age  por meio delas. Por que Cristo vem até nós por meio desses nossos irmãos que trabalham para o bem, para fazer o mundo melhor, para que aja mais amor, justiça e paz no mundo.
A vigilância cristã faz com que nós descobrimos a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo através dos fatos da nossa vida diária. Jesus vem sempre, basta abrirmos os olhos para enxergar.
Queridos irmãos e irmãs, vamos neste advento ficar atentos para perceber cada vinda de Jesus em nosso meio, em nossa vida. É preciso que sejamos vigilantes e prudentes, agindo como Noé, o justo, que se pôs a construir a arca da justiça. Vamos nós também construir justiça, amor e paz na nossa vida. Dessa forma, a vinda do Senhor não nos pegará de surpresa, pois estaremos preparando a sua e a nossa casa, estaremos a sua espera.
Estar vigilantes é dizer Não ao pecado, à corrupção, a violência e à inveja. Este deve ser o nosso modo de viver e aguardar a vinda do Senhor.

Pensemos agora depois desta reflexão:
-  Estamos construindo justiça e paz no dia-a-dia, junto aos nossos irmãos?
-  Queremos acordar para perceber a salvação que Deus nos oferece ou preferimos continuar dormindo, desapercebidos de tudo?
-  Estamos vigilantes para rejeitar as obras das trevas, do mal, da injustiça e do desamor, empenhados em viver honestamente?
        
         Abraços em Cristo?


         Maria de Lourdes

2 comentários:

José Efigênio Pinto disse...

Maria de Lourdes; Bela reflexão, Deus estará sempre ao seu lado nesta caminhada por isto ele te deu este dom. Que ele continue te abençoando. Um grande abraço.

José Efigênio Pinto disse...

Maria de Lourdes; Bela reflexão, Deus estará sempre ao seu lado nesta caminhada por isto ele te deu este dom. Que ele continue te abençoando. Um grande abraço.

Postar um comentário