.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

segunda-feira, 31 de março de 2014

“QUERES FICAR CURADO?” – Olívia Coutinho


 01 de Abril de 2014
 
Evangelho - Jo 5,1-16
        
Estamos cada vez mais próximos da grande festa do amor: A Páscoa do Senhor Jesus!
A riqueza das leituras deste tempo de graça, nos levou ao desejo de conversão.
Manter o firme propósito de buscar a cada dia a nossa conversão é dar sentido a ressurreição de Jesus.
Para chegarmos renovados a  grande festa da vida, é  imprescindível que abandonemos tudo que é velho, tudo que nos distancia dos verdadeiros valores. 
Aproveitemos bem estes últimos dias deste tempo Quaresmal, para retirarmos  todos os resíduos que ainda nos impede de mergulharmos por inteiros, no mistério do infinito amor do Pai,  que enviou o seu Filho para nos libertar de todas as escravidões.
No evangelho de hoje, Jesus, ao  curar  um paralítico, nos ensina uma forma simples de nos aproximar do Pai, que é  aproximarmos  do  irmão que sofre!
A narrativa nos mostra mais uma vez, a preferência de Jesus pelos excluídos! 
Curando um  paralítico, Jesus  deixa transparecer a imensidão do seu amor e da sua compaixão para com os sofredores! 
O fato se deu, em Jerusalém, numa  festa  dos judeus.  Desta vez, Jesus não  subiu  ao templo, ficando no meio dos  coxos, dos  paralíticos, dos cegos, um povo sem vez e sem voz que buscava através de uma crença, a libertação  de seus males.
 Excluídos por uma sociedade que os ignorava,  aquele povo sofrido, ficava amontoado ao redor de uma piscina,   a espera de que um anjo viesse  movimentar a água da piscina. Eles acreditavam  que  depois do borbulhar da água, o primeiro doente que entrasse na piscina,  cuja água, eles atribuíam um poder  sobrenatural, ficaria curado.
Jesus, ao contrário dos fariseus, que estavam preocupados somente em guardar o sábado, permaneceu no meio daqueles doentes. O seu olhar paira sobre  um paralítico, um excluído dos excluídos,  que estava ali há 38 anos, (o que significa uma vida inteira) a espera do milagre.  Jesus pergunta-o: “Queres ficar  curado?”  o doente respondeu: “Senhor, não tenho ninguém que me leve à piscina, quando  a água é agitada. Quando estou chegando, outro entra na minha frente.” Jesus disse: “Levanta-te, pega sua cama e anda”. No mesmo instante, o homem ficou curado, pegou sua a cama e começou a andar. 
Podemos pensar: se Jesus já sabia que o paralítico estava ali há tantos anos a espera do milagre, porque Ele pergunta: “queres ficar curado?” Ao fazer esta pergunta ao paralítico,  Jesus,  dá a entender que a sua intenção, não era somente  fazê-lo andar fisicamente, mas também despertá-lo para a “vida”, é como se Ele quisesse dizer: acorde para a vida, não fique preso a essa deficiência física  a espera  do movimento da água,  movimente você mesmo, faça o que você pode fazer.
Hoje, Jesus pode também nos fazer perguntas semelhantes: o que queres? O que podes fazer?
 Não podemos ficar paralisados, presos no nosso comodismo, sem saber até mesmo o que queremos. Precisamos deixar de nos esconder atrás de pequenas “deficiências ” para justificar o nosso comodismo.
O paralítico que ficou 38 anos a espera de uma cura, representa  todo o povo oprimido, presos em suas deficiências,  e também aqueles que não lutam pelos seus direitos.
O texto nos chama a atenção também, para a nossa falta de solidariedade, ainda não aprendemos a enxergar o outro com olhar de Jesus, um olhar que não apenas constata a sua necessidade, mas que nos leve a fazer algo a seu favor!
 As águas que borbulhavam vez por outro na piscina, simboliza a imagem de um falso deus, um deus que lembra de vez em quando do seu povo, diferente do nosso Deus. O nosso “Deus” é um Deus verdadeiro,  um Deus presente, que nos ama, que nunca nos abandona!  Nós, é que muitas vezes o abandonamos, não correspondendo ao seu amor, principalmente quando somos indiferentes ao sofrimento dos  nossos irmãos! 
 Não podemos esquecer nunca: Não tem dia e nem hora, para ajudarmos os  nossos  irmãos necessitados.
Tenhamos o cuidado de não nos contaminar com a pior de todas as cegueiras: a cegueira de quem não quer enxergar.
Não esqueçamos nunca: Atrás de uma doença física, pode estar escondida uma ferida na alma! 
 
FIQUE NA PAZ DE JESUS! Olívia  

Um comentário:

Anônimo disse...

BELÍSSIMO COMENTÁRIO!
OBRIGADO: Paulo

Postar um comentário