.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Aos pés da Cruz-Helena Serpa


15/09/2016 – 5ª.feira - NOSSA SENHORA DAS DORES – 1a. Leitura – Hebreus 5, 7-9 – “Isto é salvação! ”
Em muitos momentos e muitas vezes, em oração, Jesus chorou rogando ao Pai por causa das dificuldades pelas quais teria de enfrentar na sua caminhada. Ele era homem e como nós, sentia as limitações próprias do ser humano, porém, confiava plenamente no Plano do Pai e na Sua proteção. Assim, Ele “dirigiu preces e súplicas, com forte clamor e lágrimas, àquele que era capaz de salva-lo da morte e foi atendido”!  Foi atendido em vista da Sua entrega a Deus, mas não sem antes passar pelo sofrimento, e pela Cruz. Jesus é para nós modelo de obediência e de submissão, pois mesmo sendo Deus acatou e se submeteu ao plano do Pai para a redenção da humanidade. Mesmo sendo Filho Jesus obedeceu e se submeteu a vontade de Deus Pai, para a salvação da humanidade. Se não fora a obediência de Jesus não teria havido Cruz e nem tampouco, salvação. Jesus era um homem livre e, por isso, poderia ter dito não à vontade de Deus, no entanto, se entregou inteiramente, pois tinha consciência de que aquele momento era precioso para que o plano do Pai acontecesse. A obediência de Jesus é, portanto, para nós modelo de como também nós podemos obedecer, mesmo que isso nos custe caro. Diante do sofrimento, mesmo cheio de temor Ele não se acovardou, mas se rendeu à vontade do Pai dizendo: “todavia não se faça o que eu quero, mas sim o que tu queres” (Mateus  26,39b).  Assim também precisa acontecer conosco nos momentos de aflição quando precisamos enfrentar horas tormentosas em favor de que algo maior aconteça.  Há ocasiões na nossa vida em que será preciso nos submeter totalmente ao sofrimento porque assim será feita a vontade do Pai. Nessas horas, contudo, o Senhor nos conforta, nos consola, toma-nos nos braços, nos ampara e transforma a nossa dor em amor. As nossas lágrimas se convertem em bênçãos e a nossa incapacidade em ação. Isto é salvação!  – Qual é a mensagem que você tira desta leitura para a sua vida atual? - A quem você deve obediência? Quem Deus constituiu com autoridade sobre você? - Como você se sente quando tem que acatar as ordens de alguém?- Você resiste ou aceita numa boa?
Salmo – 30 – “Salvai-me pela vossa compaixão, ó Senhor Deus!”
Este salmo fez parte da oração de Jesus, na Cruz, quando deu então um grande brado e disse: “Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito.” Com Jesus nós aprendemos que Deus é o nosso refúgio na hora da dificuldade e que só Nele devemos pôr a nossa esperança. Mesmo passando por momentos de tribulação o justo clama a Deus e é socorrido no tempo certo. Entregar-se nas mãos do Senhor é abandonar-se ao poder do Seu Espírito Santo sem questionar reconhecendo que o Seu Amor nos levará por caminhos seguros.

Evangelho – João 19, 25-27 – “aos pés da Cruz ”
Jesus usou a Cruz, como uma Cátedra para pronunciar as Palavras que legitimariam Sua Mãe, Maria como Mãe de toda a humanidade. E foi de pé, aos pés da Cruz, na hora do maior sofrimento, que Maria acolheu toda a humanidade como filha. A mesma humanidade que condenara o Seu Filho à morte de Cruz, representada agora pelo apóstolo João, lhe era entregue por Ele: “Mulher, este é o teu filho!” “Esta é a tua mãe!” Ao passar pelo momento mais angustiante da sua vida Maria tornou-se então, nossa Mãe e Mãe da Igreja. Por isso, ela, como Jesus, é para nós exemplo de aceitação da vontade do Pai ao assumir, submissa, a Sua vontade tornando-se partícipe do plano de redenção da humanidade. Para dar amparo a humanidade Jesus esperou pela hora da Cruz e nos deu o entendimento de que Maria estaria presente na nossa vida na hora da festa e na hora da dor como intercessora e modelo de fé e aceitação da vontade do Pai. Como mulher e como Mãe, Maria saberia compreender as nossas fraquezas, as nossas dificuldades e, assim, mesmo sem compreender nada tornar-se exemplo de fortaleza, de obediência e de acolhimento à vontade de Deus.  Acolher Maria é trazê-la conosco dentro do nosso coração como uma Mãe que está presente na nossa vida e na vida da nossa família.  - O que significa para você o “ficar de pé”, junto à Cruz?  - Você já levou Maria para a sua vida junto aos seus pertences? Ela faz parte de você, da sua casa, da sua família?   - Reze agora uma Ave-Maria e reflita sobre o significado das palavras desta oração tão simples!


5 comentários:

Anônimo disse...

Eu todos os dias faço a leitura do dia e complemento com os comentários dessa equipe para complementar meus ensinamento e por em prática muito obrigado, que o Senhor Deus continue derramando benção a todos na Paz de Cristo, Jair Ferreira.

Anônimo disse...

SENHOR EU AGRADEÇO POR TUA SANTA MISERICORDIA PARA COMIGO E DE TODOS OS MEUS AMADOS IRMAOS,NAO HA AMOR MAIOR SENHOR QUE O TEU PARA CONOSCO,UM DIA TODA A HUMANIDADE IRA COMPREENDER.

Anônimo disse...

Quem não tem Maria como mãe, não tem Deus como pai.

Mariano Silveira disse...

DEUS te abençoe e te ilumine. Obrigado p/ reflexão.

José Maria Nascimento disse...

Obrigado Senhor, obrigado Helena!!!

Postar um comentário