.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

O nosso próximo é aquele que age com misericórdia-Helena Serpa

03/10/2016 - 2ª. Feira – XXVII semana do tempo comum -  Gálatas 1, 6-12 – “ o Evangelho não segue os critérios humanos”
São Paulo abre os nossos olhos para que não queiramos adaptar o Evangelho de Cristo aos critérios das pessoas a quem ouvimos e admiramos.  Sabemos, pois, que o ser humano é por natureza, um ser pecador, instável e inconstante nas suas concepções, nas suas crenças. É por isso, que temos a tendência de escutar melhor, isto é, de “entender” mais as mensagens que agradam às nossas conveniências. Assim sendo, muitos de nós procuramos encontrar a solução para os nossos problemas nas crenças que nos acenam com prosperidade e vida fácil. São Paulo crítica os gálatas pela inconstância em relação ao Evangelho de Jesus Cristo que ele anunciava e por tê-lo abandonado tão depressa seguindo a outras pessoas que os atraiam com doutrinas vãs.   Precisamos ter consciência de uma coisa: servir a Cristo e viver o Seu Evangelho é uma expedição que exige de nós a Fé como primeira tarefa, a perseverança como sustentação e a confiança nas promessas de Deus, como alento. Não podemos nos impressionar com as doutrinas que pregam uma felicidade utópica, sem sofrimento e sem dificuldades. Somos aprovados por Deus na medida da nossa entrega e confiança nos Seus desígnios mesmo diante das barreiras e dos enigmas a que somos submetidos. Toda a Palavra de Deus é inspirada para nos edificar e nos fortalecer na fé. A nossa fidelidade a Deus se manifesta nos momentos em que exercitamos a nossa fé de uma maneira coerente e perseverante. – Você muda de opinião conforme a mensagem lhe convém? -  Você tem convicção em relação ao que o Evangelho o (a) ensina? – Como você tem conseguido permanecer fiel a Ele mesmo quando lhe é difícil vivenciá-lo?


Salmo 110 – “ O Senhor se lembra sempre da aliança”

Os preceitos do Senhor são estáveis e quando neles perseveramos com confiança, as promessas do Senhor se cumprem e são confirmadas na nossa vida. Nunca poderemos desanimar. Que permaneça eternamente o Seu louvor!



Evangelho – Lucas 10, 25-37 – “ o nosso próximo é aquele que age com misericórdia”


Para responder ao mestre da lei que continuamente procurava confundi-Lo, com perguntas impertinentes, Jesus nos conta a parábola do bom samaritano. Ele nos esclarece sobre o que precisamos fazer para receber a herança da vida eterna colocando como prioridade o Amor, a Deus e ao próximo, assim como a nós mesmos.  O mestre da Lei para pô-Lo à prova, perguntou-Lhe: “quem é o meu próximo”?  Ao devolver a pergunta ao mestre da Lei Jesus coloca a situação do próximo ao inverso do que sempre pensamos. Por isso, Ele diz: “Na tua opinião, qual dos três foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes? ” O mestre da lei, então, respondeu-lhe: “Aquele que usou de misericórdia para com ele”. Geralmente nós entendemos que o nosso próximo é alguém a quem encontramos no nosso caminho e que está necessitado e dependente de ajuda.  Não obstante, Jesus nos esclarece, que o nosso próximo é também alguém que se aproxima de nós para nos acolher e ajudar. São duas vias, são duas situações: às vezes, somos o necessitado, outras vezes, somos nós os bons samaritanos ou os donos da hospedaria, mas sempre seremos o próximo de alguém. Nenhum de nós é autossuficiente, pois sempre carecemos de alguém que seja instrumento de Deus para que recebamos a herança da vida eterna. Em qualquer situação que nos encontrarmos, como necessitados ou como cooperadores, todos seremos convidados pelo Senhor a amar o nosso próximo como a nós mesmos. Às vezes, ajudamos às pessoas e as socorremos por obrigação ou contra o nosso gosto, porém a própria Palavra do Evangelho nos esclarece:  o próximo “é aquele que usou de misericórdia para com ele”. A misericórdia, então, é o sinal para que sejamos “o próximo” de alguém. Agir com misericórdia é fazê-lo por amor a Deus e acolher a miséria do outro com o mesmo amor de Deus e não somente com o nosso amor imperfeito e interesseiro. – Como você costuma agir: como o sacerdote, como o levita, como o samaritano, como o hospedeiro? – Ou você sempre é aquele que desce de Jerusalém para Jericó, se mete em enrascadas e está sempre precisando que alguém se aproxime de si? - Você já experimentou ser aquele (a) que está necessitado (a) e espera o socorro de alguém? - Quando ajuda alguma pessoa você o faz por amor a Deus e com o amor de Deus?


4 comentários:

Anônimo disse...

SENHOR TE LOUVO POR TNTAS BENÇAOS QUE TEMOS RECEBIDO DE TI,O CORAÇAO DA HUMANIDADE UM DIA HA DE SENTIR E OS OLHOS HA DE ENXERGAR QUE SEM AMAR SEM ENXERGARMOS O NOSSO PROXIMO,NAO VAMOS ENCONTRAR A FELICIDADE VERDADEIRA,MAS COM A FORÇA DO TEU SANTO EXPIRITO IREMOS MUDAR AMEM

joão batista da silva Batista disse...

Que o Santo Espírito continue te iluminando sempre. Forte abraço.

Mariano Silveira disse...

DEUS te abençoe e te ilumine. Obrigado p/ reflexão.

José Maria Nascimento disse...

Obrigado Senhor, obrigado Helena!!!

Postar um comentário