.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

domingo, 4 de janeiro de 2015

Evangelhos Dominicais Comentados-Jorge Lorente

Evangelhos Dominicais Comentados

11/janeiro/2015 -- Batismo do Senhor

Evangelho: (Mc 1, 7-11)


Já estamos no segundo domingo do ano 2015 e na liturgia de hoje celebramos o batismo de Jesus. João relutou, mas diante de tanta insistência batizou o Mestre. Qual motivo teria levado Jesus ao Batismo? 

É importante ressaltar esse fato. Jesus, o próprio Deus, o mesmo Deus que instituiu o Sacramento do Batismo, fez questão de ser batizado. João não se considerava digno sequer de desatar-lhe a sandália, mesmo assim, Jesus insistiu para ser batizado por João. 

Convém lembrar que o batismo de João não é o mesmo Batismo-Sacramento, que foi instituído por Jesus e que nos faz cristãos. Trata-se do batismo de penitência, com que o Batista preparava o povo para a chegada do Messias.

Jesus tinha bons motivos para receber o batismo. Certamente não para converter-se ou tornar-se cristão. Com seu batismo, Jesus manifestou sua aprovação ao trabalho de João. Com seu exemplo, quis valorizar o Sacramento que ainda iria instituir.  

O gesto humilde de Jesus, aguardando sua vez para ser batizado é uma cena que não pode ser apagada da nossa memória. Deve ficar gravada em nossa mente para nos questionarmos: Se receber o batismo era, para Jesus, algo importante, imagine então a importância do batismo para nós e nossos filhos.                                       

Batismo é coisa séria, é o sacramento que nos incorpora a Cristo, nos torna membros da Igreja, templos do Espírito Santo, filhos de Deus e herdeiros do Céu. Portanto, o batismo não pode ser encarado como um simples ato social.

Não podemos batizar só por tradição ou só por batizar. Pais e padrinhos devem estar conscientes que, naquele momento seus filhos estão recebendo um Sacramento que Jesus ainda iria instituir e que também fez questão de receber.

Antes de iniciar sua vida pública, num ato de humildade, Jesus quis ser batizado. Era vontade de Deus que Jesus fosse batizado por João, mesmo que, diante dos homens, Ele fosse confundido com um pecador.

Jesus se mistura com os pecadores, recebe o batismo e o Pai proclama sua filiação divina diante da multidão. A atitude humilde e obediente de Jesus é publicamente recompensada através destas palavras: "Tu és o meu Filho amado, em ti ponho o meu bem-querer".

No momento do batismo de Jesus, aparecem claramente as três pessoas, distintas, da Santíssima Trindade: O Pai, o Filho e o Espírito Santo. O Filho é batizado, o Pai apresenta seu Filho e dá testemunho dizendo: "Este é o meu Filho!" E o Espírito Santo desce sobre Jesus em forma de pomba.

Isso não quer dizer que Jesus tenha recebido o Espírito Santo no batismo, como nós o recebemos. O Espírito santo habitava nele, em plenitude, desde o instante de sua concepção divina. Assim que foi batizado, o Filho de Deus iniciou a sua missão de paz entre os homens.

Essa é a lição que nos deixou o Messias, essa é a missão do cristão batizado: em nome da Santíssima Trindade deve promover a paz e evangelizar... deve levar aos povos a Boa Nova da salvação.                                                      

(4561)



Um comentário:

José Efigênio Pinto disse...

Jorge Lorente, que maravilha de reflexão, como seria bom se todos CATEQUISTAS pudessem ter em mãos esta reflexão para fazer um belo trabalho com os Catequizandos principalmente com os crismandos.

Postar um comentário