.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

“TENHO COMPAIXÃO DA MULTIDÃO...” Olívia Coutinho


 
Dia 28 de Abril de 2017
 
Evangelho de Jo6,1-15

O evangelho que a liturgia de hoje nos convida a refletir, mostra-nos mais uma vez, a sensibilidade de Jesus diante a necessidade humana!
O texto narra o episódio da multiplicação dos pães, o milagre da partilha!
O ponto fundamental deste acontecimento é o amor, pois é  o amor que leva à partilha! 
A narrativa nos diz que Jesus, ao ver uma multidão indo ao seu encontro, pergunta para Felipe: “Onde vamos comprar pão para que eles possam comer?” Jesus fez esta pergunta ao discípulo, para coloca-lo a prova. Tomado de compaixão, Jesus transforma uma situação aparentemente impossível de se resolver, isto é: saciar a fome de uma multidão com poucos recursos humanos.  Numa aula prática, Jesus ensina aos discípulos, que o problema da fome, se resolva com a abertura de coração, é a abertura de coração que nos leva a partilha.
Ao abençoar um pouco de pão e um pouco de peixe colocado em comum, acontece o milagre da partilha, o milagre do amor, quando todos são saciados!
Este episódio, deve nos conscientizar de que a fome é uma questão emergencial, quem está com fome, não pode esperar... 
Hoje, somos nós os encarregados de saciar a fome dos muitos irmãos perdidos nas periferias da vida, os famintos não somente do pão material, como também, famintos de justiça e de amor!
Ninguém pode dizer que não tem nada a oferecer, todos nós podemos ajudar aos que nada tem, afinal, quem de nós não tem alguns “pãezinhos” e alguns “peixinhos” para partilhar?
É também, compromisso cristão, promover o outro, conscientizá-lo da sua importância para Deus, mas antes, é preciso  matar a sua fome para depois criar no seu coração,  a necessidade de Deus. Foi o que Jesus fez, a partir da necessidade do pão material, Ele quis despertar no povo, a necessidade de Deus, ou seja, a necessidade do pão da vida eterna que é Ele!
Quem partilha o pão material, tem oportunidade de despertar no outro a necessidade de Deus, com o seu gesto concreto de amor. 
A fome de tantos irmãos, é uma ferida que sangra constantemente no coração de Jesus, não é Ele, quem vai vir alimentar os famintos, somos nós, os encarregados  a fazer isso! 
É difícil acreditar, mas é a mais triste realidade: num mundo de tanta fartura de alimentos, ainda hoje, morrem pessoas vítimas do nosso abandono, irmãos nossos, que continuam morrendo de fome por consequência do nosso egoísmo, é o egoísmo que nos fecha à partilha.
Como seguidores de Jesus, não podemos fechar os olhos diante às necessidades do nosso irmão e muito menos transferir para outros, a nossa responsabilidade para com ele!
Como filhos do mesmo Pai, somos corresponsáveis pela vida do outro, não podemos permanecer indiferentes aos seus problemas, problemas que também são nossos, pois somos irmãos! 
De nada adianta, erguermos as nossas mãos para louvar o Senhor, se não estamos dispostos a abaixá-las, para erguer o nosso irmão que está no chão!
Precisamos aprender a olhar o irmão com o olhar de Jesus, um olhar que não apenas constata a sua necessidade, mas que nos leve a fazer algo em favor dele.
Onde existe amor, existe partilha, onde existe partilha, Deus entra e o milagre da multiplicação acontece!

FIQUE NA PAZ DE JESUS!-Olivia Coutinho

Um comentário:

Mariano Silveira disse...

DEUS te abençoe e te ilumine. Obrigado p/ reflexão.

Postar um comentário