.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

“LANÇAI A REDE À DIREITA DA BARCA...” – Olivia Coutinho

 
OITAVA DA PÁSCOA!
 
Dia 21 de Abril de 2017
 
Evangelho de Jo21,1-14
 
A ressurreição de Jesus, marcou o início da sua presença definitiva no meio de nós!
A todo instante, Jesus se faz conhecer através de pequenos sinais, sinais, que muitas vezes passam despercebidos aos nossos sentidos, por estarmos com os olhos vendados pela a falta de fé. Enfraquecidos na fé, vamos deixando Jesus de lado, quando o que Ele mais quer, é estar conosco! 
Todos nós, somos chamados a dar testemunho da ressurreição de Jesus, não, com provas históricas, e sim, com o nosso testemunho de vida!
O evangelho que a liturgia de hoje nos convida a refletir, nos coloca diante o mar de Tiberíades onde se deu a terceira aparição de Jesus, segundo o evangelista João.
A narrativa nos leva a crer, que mesmo depois de dois encontros com Jesus ressuscitado, de receber as instruções Dele, os discípulos ainda não conseguiam dar passos na evangelização sem a presença física Dele.
Sem a presença física de Jesus, o grupo, parecia um pouco que perdido, sem saber por onde começar a missão que a eles fora confiada!
Talvez, uma fraqueza na fé, os fizera retroceder, voltar a profissão de antes.
Por um momento, seguindo a iniciativa de Pedro (" Eu vou Pescar") os discípulos abandonam o barco de Jesus, isto é, abandonam a missão de pescadores de homens e voltam a profissão de antes: pescadores de peixes.
Deste texto, cheio de simbolismo, podemos tirar seguidas lições, mensagens que poderão nos ajudar muito na nossa caminhada de fé!
O mar de Tiberíades significa o mundo, ou seja, o campo de trabalho onde o discípulo de Jesus deve atuar. O numero grande de peixes (153) significa a grande quantidade de pessoas a serem “pescadas”, ou seja, a serem atraídas para o Reino de Deus!
O insucesso da pesca vem nos alertar sobre o perigo da nossa autossuficiência, de falarmos por nós mesmos, de não estarmos unido a Jesus no exercício da nossa missão! 
A pesca abundante, fala-nos da importância da nossa obediência a Deus. Os discípulos, só tiveram sucesso na pesca, porque foram obedientes a Jesus quando Ele disse “Lançai a rede à direita da barca e achareis.” 
A partir do mar de Tiberíades, abriram-se as cortinas de uma nova era, sinalizando os primeiros passos da igreja missionária, uma Igreja fundamentada no amor de Cristo, que através do testemunho dos apóstolos, tornou Jesus conhecido em todos os rincões da terra!
Depois da pesca milagrosa, os discípulos entraram de vez, na "Barca" de Jesus, foi  através deles, que o anuncio do Reino se espalhou por todo o universo, como fagulhas de fogo incendiando o coração da humanidade com a presença do Cristo Ressuscitado, tirando uma multidão, da solidão das trevas, replantando em seus corações, a semente da fé e da esperança!
Quando sentimos o horizonte da fé, fugindo de nós, quando nos entregamos ao desanimo, é sinal de que não estamos reconhecendo a presença de Jesus em nossa vida. 
Jesus é o horizonte novo, é Ele, quem nos indica o local onde devemos atuar, onde devemos lançar as suas "redes!" 
É a fé no Cristo ressuscitado, que nos devolve a alegria de viver, que reacende em nossos corações a chama da esperança, devolvendo o brilho ao nosso olhar!

FIQUE NA PAZ DE JESUS! – Olívia Coutinho
Venha fazer parte do meu grupo de reflexão no Facebook

3 comentários:

Mariano Silveira disse...

DEUS te abençoe e te ilumine. Obrigado p/ reflexão.

LUIZ SALES Luzia disse...

Linda e rica reflexão. Que Deus continue te abençoando e iluminando.

Anônimo disse...

Eu todos os dias faço a leitura do dia e complemento com os comentários dessa equipe para complementar meus ensinamento e por em prática muito obrigado, que o Senhor Deus continue derramando benção a todos na Paz de Cristo, Jair Ferreira.

Postar um comentário