.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Pescadores de homens - Helena Serpa

DIA 26 DOMINGO-Mt 4,12-23

1ª. Leitura Isaías 8, 23-9,3 – “a luz que nos tira da escuridão”

“No passado, os habitantes do norte de Israel, (a terra de Zabulon e de Neftali), foram vitimados por tropas estrangeiras, que invadiram o território judeu. Além disso, para impor sua dominação, trocaram a população local por outra, trazida do exterior. Daí em diante, apelidou-se de “Galiléia dos Pagãos” o território ocupado por populações não judaicas, tendo abatido sobre elas, desde então, um grande desprezo”.(Retirado do site
 http://www.domtotal.com)
Refletindo, então, sobre o texto de Isaías nós percebemos que as profecias sobre a vinda do Messias nos revelam que a misericórdia e o poder de Deus se manifestam a todo o momento na vida dos homens. Uma terra que havia sido humilhada e desprezada pelos antigos tornou-se morada do Salvador que viria como Luz para iluminar as trevas. Deus está sempre a acenar para o homem dando a este, motivos para que tenha esperança de dias melhores. Na verdade, todos nós vivíamos na escuridão do pecado sem perspectiva de libertação, fadados a uma morte eterna. O jugo que nos oprimia, era a ignorância nas coisas de Deus, a angústia, tristeza, depressão, vazio, dureza de coração. As trevas vêm do mal, do demônio e seus anjos. A Luz vem do bem, de Deus e todos os que creem em Jesus são retirados da escuridão. Jesus Cristo é a Luz de Deus que veio ao mundo nos tirar das trevas do pecado e da morte. Portanto, o tempo passado, tempo da ignorância e do desconhecimento de Deus já não existe para nós assim como não existiu para os habitantes da terra de “Zabulon e de Neftali”. Peçamos, portanto, ao Senhor que Ele ilumine o nosso coração e tire de dentro de nós as trevas que porventura teimem em persistir. Que o Senhor abata em nós a carga que pesa sobre os nossos ombros, o pecado que às vezes, ainda nos escraviza. Que Ele nos renove e faça de nós, homens e mulheres novos, no Seu Amor. – Você ainda vive preso (a) ao passado, tempo em que você ainda não conhecia o amor de Deus? – Você consegue olhar para o futuro com esperança confiando nas promessas do Senhor? – Ainda existem trevas no seu coração? – Você sabe esperar com paciência pelas coisas que o seu coração deseja? – Você acha que a humanidade está perdida ou ainda há esperança?

Salmo 26 – “O Senhor é minha luz e salvação. O Senhor é a proteção da minha vida.”

Dentro do nosso coração, às vezes, há ainda muito medo e dúvidas, por isso, é muito bom que rezemos este salmo com bastante contrição. As perguntas que costumamos fazer a Deus quando não entendemos os acontecimentos da nossa vida, podem muito bem serem substituídas pelas afirmações e indagações do salmista: “O Senhor é minha luz e salvação; de quem eu terei medo? O Senhor é a proteção da minha vida, perante quem eu tremerei”? Assim fazendo nós iremos exercitando a nossa fé e confiança nos planos de Deus para nós. O que precisamos dia a dia pedir e desejar é estar com Ele por toda a nossa vida, conscientes de que a Sua bondade é experimentada por nós, desde já.

2ª. Leitura – 1 Coríntios 1, 10-13.17 – “Será que Cristo está dividido?”

São Paulo nos exorta, em nome de Jesus, a não repartir o Corpo de Cristo com divisões e contendas entre nós, mas manter a unidade no Espírito Santo. As nossas preferências e discriminações em relação aos nossos irmãos vão minando a integração do Corpo de Cristo, que aqui é representado pela Igreja, pela Comunidade, pela Família e todos os cristãos. Apesar de sermos diferentes e únicos, cada um com a sua missão, com seus dons, atribuições e jeito de sermos nós precisamos, porém, ter um só objetivo, o mesmo ideal, com a mesma motivação. Jesus Cristo foi crucificado por amor a cada um de nós em particular, portanto, não há um melhor que o outro. Todos nós, somos iguais perante Ele. Isso vale também para cada circulo do qual nós participamos, dentro do nosso trabalho, na nossa família, na comunidade, no meio em que vivemos. Quando nós caminhamos tendo como preceito a Palavra de Deus nós conseguimos acolher os dons de cada um enxergando as suas virtudes e aceitando os seus defeitos, do mesmo modo que também reconhecemos as nossas falhas e assumimos os nossos talentos. Muitas famílias estão divididas e enfraquecidas por causa das preferências, das comparações, das rivalidades, sem razão de ser. Pela Palavra nós percebemos que diante de Deus todos nós somos maravilhosos e preciosos aos Seus olhos, por isso Ele cuida de cada um com zelo e carinho. Não podemos, portanto, perder o tempo que temos para Deus, em contendas com os Seus filhos. – Você já tem consciência de que todos nós somos importantes para Deus? – Você costuma fazer distinção entre as pessoas? – Para você, alguém tem mais valor do que os outros? – Na sua família, você é traço de união ou barra de divisão? – Como você encara as pessoas que têm mais sucesso que você, no trabalho?

Evangelho – Mateus 4, 12-23 ou 12-17 – “pescadores de homens”

Jesus deixou Nazaré e foi morar em Cafarnaum, justamente na região de Zabulon e Neftali que no passado fora considerada pagã, para que se cumprisse a profecia de Isaias: “o povo que vivia nas trevas viu uma grande luz”… Desde então, Ele começou a cumprir a Sua missão de Salvador da humanidade anunciando o reino de Deus. No entanto, Jesus não quis fazer tudo sozinho, embora tivesse o poder do Espírito Santo para isso. E começou a chamar os Seus discípulos no meio do povo, não procurou os mestres da lei nem os entendidos. Ao mesmo tempo em que Ele exortava: “Convertei-vos, porque o reino dos céus está próximo” Ele também dizia: “Segui-me, e eu farei de vós pescadores de homens”. Jesus não se preocupou com o fato daqueles homens serem ignorantes e cheios de defeitos, mas com firmeza e convicção, os convocou para viver um tempo novo, abandonando tudo o que era velho. É assim que Ele faz até hoje, conosco também. Jesus nos chama, não porque sejamos os melhores e mais preparados, mas porque nos ama e quer nos regenerar, ao mesmo tempo em que, nos capacita a trabalhar no serviço do Seu reino. Jesus chamou os pescadores que eram homens acostumados com a busca do dia a dia, sem previsão de nada, sem planos, entregues à lida e às intempéries. Assim também é a missão de quem serve ao reino de Deus. Vai aonde Deus os manda e enfrenta todas as barreiras confiando somente Naquele que o chamou. Podemos dizer também que somos pescadores de homens e estamos a serviço do reino se nos desapegarmos das redes que nos amarram deixando-nos presos a nós mesmos e às nossas preocupações. Jesus chamou os seus discípulos, dois a dois, como para nos alertar que não podemos viver sozinhos entregues aos nossos ideais egoístas, mas precisamos uns dos outros para termos sucesso na nossa missão. Damos prova de que temos um coração convertido quando saímos de nós mesmos e buscamos salvar as almas para Jesus. – Você já aceitou o convite de Jesus? – Você acha que tem capacidade para pescar almas para Jesus? – Você ainda vive muito amarrado (a) aos seus ideais e suas preocupações? – Qual é a rede que o (a) prende e não o (a) deixa seguir a Jesus?

Helena Colares Serpa

4 comentários:

kerigma psea disse...

boa noite

kerigma psea disse...

Elena Colares Serpas obrigado pois través de sua reflexão pude me orientar e realizar uma ótima ma celebração da palavra,que deus te ilumine hoje e sempre.

Anônimo disse...

parabens elena,agradeço as palavras tenho certeza que vai ajudar na celebraçao ,que deus abençoe

Anônimo disse...

Sempre acompampanho essas suas reflexoes e me preparo para celebrar na minha comunidade.

Postar um comentário