.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

3o Domingo do Advento-Jorge Lorente

Evangelhos Dominicais Comentados

17/dezembro/2017 – 3o Domingo do Advento

Evangelho: (Jo 1, 6-8.19-28)

Houve um homem enviado por Deus, de nome João. Ele veio como testemunha, para dar testemunho da luz, a fim de que todos cressem por meio dele. Ele não era a luz, mas veio para dar testemunho da luz. Este foi o testemunho de João, quando os judeus lhe enviaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para lhe perguntar: “Quem és tu?” Ele confessou e não negou: “Eu não sou o Cristo”. E lhe perguntaram: “Mas então quem és? És Elias?” Ele respondeu: “Não sou”. “És o Profeta?” E ele respondeu: “Não”. Disseram-lhe então: “Quem és afinal, para darmos resposta aos que nos enviaram? Que dizes de ti mesmo?” Ele disse: “Eu sou a voz que clama no deserto: endireitai o caminho do Senhor, segundo disse o profeta Isaías”. Os enviados eram da parte dos fariseus. Perguntaram-lhe ainda: “Se não és o Cristo, nem Elias, nem o Profeta, por que então batizas?” João respondeu-lhes: “Eu batizo com água, mas no meio de vós está alguém que vós não conheceis. É ele que vem depois de mim, de quem não sou digno de desatar a correia das sandálias”. Isto aconteceu em Betânia, do outro lado do Jordão, onde João batizava.

COMENTÁRIO

Mais uma vez nos encontramos para meditar a palavra de Deus. Já estamos no terceiro Domingo do Advento, tempo de preparação nesta caminhada para comemorarmos, com muita alegria, o nascimento de Jesus. Somente alguns dias nos separam dessa grande data.

É tempo de alegria e de esperança, é Jesus que vem! É o Menino Deus que vem para consertar o que a humanidade destruiu. Vem para derrubar as barreiras que separam e que isolam. Vem para unir, salvar e para trazer a paz.  

No evangelho de hoje, novamente, nos deparamos com João Batista e, como sempre, lá está ele testemunhando Jesus. João dedicou toda sua vida para anunciar a vinda do Messias. Ainda no ventre de sua mãe, na visitação de Maria, João estremeceu de alegria ao testemunhar a presença da Verdadeira Luz.




Os sacerdotes e levitas queriam saber dos mínimos detalhes. Os fariseus estavam preocupados com João. Como é que pode batizar, como pode pregar o jejum, a penitência e, até mesmo a conversão, alguém sem nome e sem títulos? "Se não és o Messias, nem Elias ou algum profeta, quem és afinal?” – perguntavam.

As perguntas foram muitas, João poderia dizer tanta coisa a seu respeito, ele poderia vangloriar-se do privilégio de ser o anunciador do Messias, mas não foi nada disso que fez. Ele não se exaltou e humildemente disse: "Sou a voz que clama no deserto: aplainem o caminho do Senhor!"

"No meio de vocês está alguém de quem eu não sou digno sequer de desamarrar a correia de sua sandália". João fez questão de ressaltar a grande diferença entre o batismo de Jesus e o seu. "Eu batizo com água, Ele, porém, vos batizará com o Espírito Santo" – disse. 

O batismo de João não perdoava os pecados, mas levava ao arrependimento, o sentimento básico para se obter de Deus o perdão. Era um rito que simbolizava a renovação interior, a mais adequada preparação para receber o Messias e o seu Verdadeiro Batismo.

Como dissemos, João Batista foi o primeiro missionário. Cumpriu muito bem sua tarefa de preparar os caminhos. Apesar de sua humildade, demonstrava uma personalidade vigorosa, clara e firme. Ele não era a luz, mas como ninguém, soube dar testemunho da Luz. Preparou muito bem o terreno para Jesus lançar as sementes do Reino.

Uma vez cumprida sua missão, ele desaparece do cenário e deixa Jesus agir. A grande prova que João tinha consciência da divindade de Jesus está contida nestas palavras que, mais tarde ele diria aos seus discípulos: "É preciso que Ele cresça e eu diminua".

Vamos imitar o João e deixar Jesus agir. Vamos fazer a nossa parte e cumprir a nossa missão. Se prepararmos os caminhos e os terrenos, os homens caminharão sem tropeços e as sementes germinarão; se nos fizermos menores entre os irmãos, seremos grandes perante Deus.

(4561)



Um comentário:

Ude Macedo disse...

Jorge, aprecie demais suas reflexões, para mim elas servem de parâmetro. Parabéns! Que o menino Deus continue iluminando sua vida! Abraços!
Maria de Lourdes

Postar um comentário