.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

segunda-feira, 11 de julho de 2016

A melhor parte é estar com o Mestre-Helena Colares Serpa

17/07/2016 - XVI Domingo do Tempo comum -  1ª leitura – Gênesis 18, 1-10 – “os anjos nos anunciam as promessas de Deus”
A promessa de que Sara, mulher de Abraão, teria um filho aos noventa anos foi transmitida pelos três anjos, mensageiros do Senhor, que o visitaram “quando ele estava sentado à entrada da sua tenda, no maior calor do dia”.  Portanto, nesta primeira leitura, percebemos como Deus se utiliza de pessoas aparentemente carentes para nos dar mensagens e até nos fazer promessas. Percebendo a mão de Deus, Abraão, não só se mostrou solícito, oferecendo tudo de que eles precisavam, mas, principalmente, permanecendo junto deles respondendo-lhes as perguntas e escutando atentamente o que lhe falavam. Na nossa trajetória de vida precisamos estar atentos pois, Deus também se “disfarça” e se apresenta a nós de várias maneiras, às vezes, na pessoa do doente, do necessitado, da criança, do indigente, do forasteiro, ou de alguém que nunca pensaríamos pudesse ser um enviado para nos ajudar. Às vezes por estarmos, ”no maior calor do dia”, isto é, afogados nos nossos problemas, tentando resolver mil e uma questões, entendemos que os que nos procuram estão necessitados apenas, da nossa “esmola”.  Não refletimos na possibilidade de que, alguém quando nos procura ou vai à nossa casa, mostrando-se visivelmente, carente e necessitado, possa ser um instrumento de Deus para nos auxiliar. O Senhor pode estar colocando alguém à nossa disposição, não somente para que exerçamos com elas a “caridade usual”, mas para fazê-las mensageiras dos Seus projetos a nosso respeito.   Nada está oculto ao juízo de Deus, por isso, Ele conhece as necessidades de todos nós e sabe bem o que compete a cada um. Os três anjos a quem Abraão se dirigia como a um único Senhor, eram uma manifestação de Deus, para avisá-lo de que Sara, sua mulher iria ter um filho, coisa aparentemente impossível de acontecer. Com Abraão nós aprendemos a estar atentos aos mensageiros de Deus que nos visitam e dão esperança de que coisas impossíveis de acontecer na nossa vida, são parte do plano de Deus para nós. Reflita – Como você tem acolhido “os necessitados” que batem à sua porta? – Você se envolve com eles ou prefere mandar a esmola pela sua “empregada”? – Você acha que Deus pode usar uma pessoa humilde para lhe dar um conselho? – Você, alguma vez já recebeu a visita de Deus?

Salmo 14 – “Senhor, quem morará em vossa casa?”

O salmista nos dá um roteiro de como nós podemos morar na casa de Deus. Poucas vezes nós nos damos conta de que para morar na casa do Senhor, isto é, ter intimidade com Ele e sentir realmente o Seu amor, nós precisamos cultivar a verdade no nosso coração. O nosso coração é a morada do Senhor e os nossos pensamentos podem nos delatar e, mesmo que ainda nem soltemos a língua para caluniar, já estamos deixando de acolher no coração a fonte do amor, que é Deus. Portanto, observemos que a boa qualidade dos nossos pensamentos, palavras e ações em relação ao nosso próximo são a regra primeira para que possamos estar juntinhos de Deus, morando na mesma casa.

2ª. Leitura – Colossenses 1, 24-28 – “ grande mistério é a presença de Cristo em nós ”

Em todos os momentos, e, mesmo no meio dos grandes sofrimentos e tribulações podemos sentir alegria porque estamos unidos a Cristo. A presença de Cristo dentro de nós é um grande mistério! No entanto, quando colocamos as nossas lutas, tribulações e dificuldades na Cruz de Cristo, isto é, em solidariedade à Sua Paixão por nós, percebemos que conseguimos também vencer todas as barreiras como Ele venceu. Quando servimos ao Corpo de Cristo, isto é, à Sua Igreja, na pessoa dos nossos irmãos e nos envolvemos com eles transmitindo-lhes o mistério da presença de Cristo por meio da Sua palavra nós nos tornamos partícipes da missão de Jesus. Deste modo, também podemos nos considerar santos, pois estamos a serviço do Santo que vive em nós. A presença de Cristo no nosso coração é para nós a esperança   da glória futura e quanto mais O anunciamos e ensinamos a outros, com toda sabedoria, a como encontrá-Lo, mais forte será a nossa união com Ele. Por este motivo, podemos também, como São Paulo nos alegrarmos até pelas tribulações que sofremos em nome de Jesus. – Você tem plena consciência de que Jesus vive dentro do seu coração? – Você sente a manifestação do Espírito Santo na sua vida? – Você se alegra mesmo nas tribulações? - Você tem dado testemunho disso à outras pessoas que ainda não fizeram essa experiência? 

Evangelho – Lucas 10, 38-42 – “a melhor parte é estar com o Mestre”


Por meio das atitudes de Marta e de Maria Jesus nos ensina a harmonizar as nossas ações de acordo com a nossa oração. Como uma dona de casa, Marta demonstrava ter muitas preocupações com os afazeres a fim de receber aquela visita ilustre. Maria, a irmã, pelo contrário, estava completamente desligada das “obrigações sociais”, por isso, “sentou-se aos pés do Senhor e escutava a Sua Palavra”. Diante daquele quadro Jesus fez ver à dona da casa que ela estava equivocada, pois perdia seu precioso tempo, “agitada por muitas coisas”, enquanto Maria “escolheu a melhor parte e esta não lhe será tirada”. Jesus também nos ensina a saber acolhê-Lo em nossa casa aproveitando a oportunidade para auferir os Seus ensinamentos de verdadeiro Mestre. Quantas vezes temos convidado Jesus para entrar na nossa vida, queremos conhecê-Lo, desejamos “receber” as Suas graças de cura, de libertação e solução para os nossos problemas, no entanto, nos esquecemos de sentar para escutá-Lo, não abrimos a Sua Palavra para conhecê-Lo melhor e nos agitamos preocupados (as) em fazer alguma coisa para agradá-Lo. Fazemos promessas, jejuamos, rezamos novenas, até O servimos na Igreja ou na comunidade, mas não paramos para fazer a nossa oração pessoal que é a oportunidade de aprender com Ele a palavra chave que nos oferece o remédio para curar as nossas enfermidades. Há muitas pessoas que entendem ser o trabalho uma oração, desde que ele seja para a glória de Deus, e isto também é verdade.  Todavia, quando agimos assim, dentro de nós haverá sempre o silêncio e o vazio que a ausência da oração pessoal provoca. A ação que agrada a Deus é aquela que advém do nosso diálogo com Ele, pois só assim iremos descobrir qual é a nossa parte na Sua obra. O que fizermos com as nossas mãos, o que providenciamos com o nosso trabalho incessante, poderá passar, mas o que apreendermos com Jesus, será como um tesouro inesgotável que nunca nos será tirado. Deus também gosta de estar conosco e de nos ter aos Seus pés, isto é, diante Dele, recebendo o Seu carinho e a Sua atenção. Façamos, pois, hoje ainda o convite para que Jesus nos visite, porém deixemos de lado todas as preocupações para agradá-Lo e nos postemos quietos à Sua disposição para que Ele faça em nós tudo que é da vontade do Pai, pois somente Ele a conhece. – Você também tem convidado Jesus para ir à sua casa? – Qual tem sido a sua conduta ante a visita de Jesus? – O que mais você tem feito: rezado novena ou meditado com a Palavra de Deus?  -Você é Marta ou Maria no seu dia adia?  - Você tem feito esforço para sentar-se aos pés de Jesus e pedir a Ele orientação para os seus afazeres?

2 comentários:

Anônimo disse...

SENHOR QUEM ENTRARA,JESUS RESPONDE AQUELE QUE FAZ A MINHA VONTADE.SENHOR EU PRECISO MUITO DESSA FORÇA QUE SO EM TI POSSAMOS ENCONTRAR..SENHOR QUE PRESTEMOS ATENÇAO EM TUA PALAVRA AMEM

wilmeika disse...

Quanto ensinamento adquerido ao ler este comentário da liturgia. Deus o abençoe.

Postar um comentário