.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

quarta-feira, 27 de julho de 2016

A FELICIDADE ESTÁ NAS COISAS SIMPLES – Maria de Lourdes Cury Macedo.

Domingo, 31 de julho de 2016.
Evangelho de São Lucas 12, 13- 31.


Na época de Jesus era muito comum recorrer aos rabinos para resolverem problemas familiares, inclusive de herança, bens matérias.
Jesus sempre esteve pronto para auxiliar o povo, mas nesta questão de herança não quis se envolver e ateve-se a sua missão espiritual. Jesus lembra que para resolver esses problemas, há os tribunais que julgam, há as leis que regulam. Ele veio para salvar as almas e não para resolver esse tipo de situação. E sem entrar no assunto de bens materiais, Jesus condena a cobiça, a ganância pelos bens terrenos, que originou o conflito, e lembra a importância do desapego dos bens deste mundo. E para ficar claro o que Ele gostaria de ensinar conta uma parábola que ilustra os valores que o ser humano deve priorizar.
A parábola narrada por Jesus mostra a preocupação de um avarento e ambicioso: trabalhar para se enriquecer. Depois de rico, trabalha mais ainda, como se tivesse necessidades maiores. Pensa em destruir os celeiros para construir outros maiores ainda. Quanto mais ele se preocupa em acumular bens, mais desejo tem de acumular. E se tiver que gastar, seria para gozar a vida em prazeres e vícios, nunca lembrando em ajudar o próximo.
Com essa parábola Jesus quer nos dizer que não devemos colocar todas as nossas esperanças em bens materiais, mas construir tesouros para a vida eterna. A vida terrestre é passageira, os bens terrenos acabam. Os espirituais são eternos. A vida neste mundo é uma preparação para a vida eterna. Quem vive neste mundo preocupado com as coisas de Deus é rico, rico para o Reino de Deus. “Buscai primeiro o Reino de Deus e tudo o mais lhe será acrescentado”.
As riquezas deste mundo não nos acompanharão quando partirmos desta vida, quem quer ser rico, no conceito de Deus, não deve acumular tesouros para si, mas deve saber empregar bem tudo aquilo que possui, partilhando seus bens com o próximo.
Esse Evangelho nos leva a refletir quais são os valores, aos quais  damos maior importância. O ser humano em sua maioria se preocupa muito com os valores materiais, se preocupa em ter mais, se preocupa com status, beleza física, se preocupa com coisas passageiras, descartáveis e se esquecem dos valores duradouros, que são as coisas eternas.
Jesus não diz que não devemos trabalhar, nem proíbe poupar para o futuro. O que Ele nos chama a atenção é com a preocupação exagerada em acumular bens, ser ganancioso, tapear o próximo para levar vantagem e enriquecer, não se importando com a pessoa que está sofrendo o golpe.
Jesus não quer que cruzemos os braços, devemos trabalhar sim, confiando na Providência Divina. Colocando nosso trabalho, nosso esforço nas mãos de Deus, acreditando que Ele cuida de nós, que Ele nos ajuda. Se temos inteligência, disposição para o trabalho, se tudo que fazemos dá certo, foi porque Deus nos deu esses dons, e tudo o que temos devemos partilhar com quem tem menos.
Jesus dá o exemplo dos pássaros para nos ensinar exatamente que Ele cuida de nós. Se ele cuida dos pássaros que são criaturas pequenas, que só tem a vida terrena, muito mais cuidará de nós que somos seus filhos e que teremos a vida eterna. Jesus quer lembrar-nos que não temos poderes sobre nossa vida de prolongá-la ao nosso gosto.
Jesus se referindo aos lírios quer nos ensinar que as flores embelezam e enfeitam o campo, mas elas são passageiras, sua vida é curta e no fim são queimadas servindo de gravetos para os fornos. No entanto, Deus cuida com carinho. Aos poucos Jesus mostra para seus discípulos uma doutrina mais perfeita, não devemos ser avarentos, não podemos viver preocupados demais com as coisas passageiras deste mundo.
Jesus nos ensina que primeiro devemos nos preocupar com o Reino de Deus, não desprezando as necessidades materiais. Não proíbe buscarmos os meios de subsistência, pois necessitamos deles para viver. Não quer que vivemos como se tudo conseguíssemos sem Deus. O Reino de Deus consiste na justiça e santidade de vida. Os outros bens são acréscimos de pouca importância. O cristão deve trabalhar guiado pela fé, reconhecendo que tudo vem de Deus e que o ser humano nada é sem a bênção  divina.
Esse evangelho nos leva a pensar em nossas atitudes e nas atitudes de tantos ricos. Vamos nos esforçar para não nos deixar escravizar pelo dinheiro, pelo poder, pela ganância, porque a vida do ser humano não consiste na abundância de seus bens.

Abraços em Cristo!

Maria de Lourdes 





6 comentários:

José Efigênio Pinto disse...

MARIA DE LOURDES, bela reflexão, que Deus te abençoe.

José Efigênio Pinto disse...

MARIA DE LOURDES, bela reflexão, que Deus te abençoe.

José Efigênio Pinto disse...

MARIA DE LOURDES, bela reflexão, que Deus te abençoe.

José Efigênio Pinto disse...

MARIA DE LOURDES, bela reflexão, que Deus te abençoe.

Unknown disse...

Gostei muito de sua reflexão.

Unknown disse...

Gostei muito de sua reflexão.

Postar um comentário