.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

terça-feira, 9 de maio de 2017

-Eu vim ao mundo como luz-José Salviano

10 de Maio de 2017
Cor: Branco
Evangelho - Jo 12,44-50


Naquele tempo:
44Jesus exclamou em alta voz:
'Quem crê em mim,
não é em mim que crê,
mas naquele que me enviou.
45Quem me vê,
vê aquele que me enviou.
46Eu vim ao mundo como luz,
para que todo aquele que crê em mim
não permaneça nas trevas.
47Se alguém ouvir as minhas palavras e não as observar,
eu não o julgo,
porque eu não vim para julgar o mundo,
mas para salvá-lo.
48Quem me rejeita e não aceita as minhas palavras
já tem o seu juiz:
a palavra que eu falei
o julgará no último dia.
49Porque eu não falei por mim mesmo,
mas o Pai, que me enviou,
ele é quem me ordenou o que eu devia dizer e falar.
50E eu sei que o seu mandamento é vida eterna.
Portanto, o que eu digo,
eu o digo conforme o Pai me falou.'
Palavra da Salvação. (CNBB).
Se andarmos  pela casa escura podemos bater a cabeça na parede, ou em outra coisa, e nos machucar. Viajar a noite por uma estrada numa noite muito escura, podemos cair no penhasco, ou sofrer grande desastre ao entrar em uma curva.
A luz é indispensável para que possamos seguir o caminho reto, nos desviando dos obstáculos. Durante o dia, temos a grande luz do Sol, que foi um presente de Deus para que possamos trabalhar, e tocar a nossa vida. À noite, Deus nos deixou sem luz para que possamos nos recarregar, e no outro dia continuar a caminhada. Porém, Ele nos deu também a inteligência para descobri a luz artificial, a qual necessitamos em muitos lugares e momentos do período noturno.
Jesus é a Luz do mundo, a claridade que necessitamos para não cairmos nos buracos da estrada da vida.  Quem foge dessa Luz terá grandes complicações. Pois sem a luz divina não seremos absolutamente nada. Só nos resta os nossos recursos humanos, os quais são por demais limitados.
Neste Evangelho Jesus explica quem é Ele e para que veio a Terra.  E nos faz um aviso, um alerta muito sério: “Quem me rejeita e não aceita as minhas palavras já tem o seu juiz”.  Ou seja, quem não crer já está condenado.  
        
Jesus deixa bem claro que quem crer nele está acreditando no Pai que o enviou ao mundo.  Tem gente por aí que vive dizendo: meu Deus, meu Deus, juro por Deus, creio em Deus Pai, Deus me livre... porém não aceitam Jesus, uma das três pessoas da Santíssima Trindade. Tais pessoas que se dizem crer em Deus, ignoram o Evangelho, e,  portanto estão ignorando Jesus Cristo.
        
Neste Evangelho Jesus frisa muito bem que Ele é o próprio Deus descido do Céu, o próprio Deus visível, humano e divino, o próprio Deus feito homem.  Desse modo, quem viu Jesus, viu o Pai: “Quem me vê, vê aquele que me enviou”.   E Jesus disse estas palavras em alta voz, sem medo do que o esperava por afirmar que Ele era Deus.
        
Jesus disse mais: “Eu vim ao mundo como luz, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas”.
        
Deus criou o mundo e separou o dia da noite. Durante o dia o Sol, essa bola de fogo composta de matérias incandescentes, nos ilumina, nos deixa espertos para o trabalho, para a buscar a nossa sobrevivência. A luz do sol nos ilumina para que não tropeçamos nos buracos do caminho.

Depois do dia vem a noite que nos convida ao repouso, a recarga da nossa bateria, para que no outro dia possamos recomeçar com disposição a nossa caminhada, a nossa luta diária pela sobrevivência.

A luz do Sol nos lembra a luz divina. Jesus veio nos iluminar a nossa mente, veio nos mostrar como devemos ser, como devemos fazer, como devemos nos desviar dos perigos do corpo e da alma.

Jesus é a Luz que nos mostra o caminho certo, sem tropeços. O caminho da justiça, da honestidade, da fraternidade, da ajuda, do perdão, da oração, da aceitação do outro, e da união do cristão, com a Trindade Santa. Este é o caminho certo, o caminho que um dia nos levará a casa do Pai.

Jesus não foi um impostor como muitos judeus pensaram. Jesus não foi apenas um homem sábio, ou um mágico, que falava por si mesmo. Mas sim, Jesus falava o que o Pai ordenou para ele dizer.

E assim é que devemos ser quando vamos catequisar. O que sai da nossa boca, não deve ser coisa nossa, mas sim, devemos falar o que o Espírito de Deus nos manda falar.  Portanto, precisamos estar unidos a Cristo pela Eucaristia, pela oração e pelo amor ao próximo.


Tenha um bom dia. José Salviano
   


Um comentário:

Anônimo disse...

Eu todos os dias faço a leitura do dia e complemento com os comentários dessa equipe para complementar meus ensinamento e por em prática muito obrigado, que o Senhor Deus continue derramando benção a todos na Paz de Cristo, Jair Ferreira.

Postar um comentário