.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Paz real e não apenas de palavras vazias-Helena Serpa


16/05/2017 - 3ª. Feira V Semana da Páscoa  -  Atos 14, 19-28 –confiança, oração e jejum”
Paulo e Barnabé apesar de tudo que enfrentavam continuavam a sua peregrinação e a sua pregação para evangelizar os pagãos, ancorados no poder do Espírito Santo e entregues à graça de Deus. A experiência com Jesus ressuscitado fez com que eles atravessassem as maiores dificuldades para anunciar o reino de Deus sem desanimar diante dos obstáculos. As suas grandes armas eram a confiança em Jesus, a oração e o jejum. Eles estavam sempre reunidos em comunidade e partilhavam tudo o que Deus realizava por meio de cada um na missão que desempenhavam.  De tal modo, eles se ajudavam mutuamente e exortavam uns aos outros para que permanecessem firmes na fé.    Eles se amparavam reciprocamente e, para proteger um ao outro  usavam de estratégias as mais diversas.  Eles mesmos encorajavam-se com palavras de alento: “É preciso que passemos por muitos sofrimentos para entrar no reino de Deus”.    Nesse relato nós vimos que os discípulos rodearam e formaram um círculo em volta de Paulo a fim de que este não fosse avistado enquanto entrava na cidade na qual estavam proibidos de pregar     Dessa maneira, a Igreja crescia e as portas da fé eram abertas para os pagãos. A experiência dos discípulos serve de modelo para nós, hoje, na missão que temos de levar o Nome de Jesus a todas as nações. Precisamos estar muito convictos de que nunca teremos a paz à moda que o mundo dá. A paz que o mundo dá é convite à acomodação, à boa vida, às coisas fáceis e por isso, passageiras. Ao contrário, nós somos chamados (as) a nos desinstalar, a nos despojar, a orar, jejuar, porque somente assim as portas da fé se abrirão também para a nossa família, os nossos amigos e todos àqueles (as) a quem nós pretendemos evangelizar. A confiança no plano de Deus, a oração e o jejum, portanto, são as armas com as quais sairemos vencedores em todas as nossas batalhas.   - Qual o exemplo que Paulo e os outros discípulos deram a você hoje nesta leitura? – Você prestou atenção à solidariedade dos discípulos? – Você é uma pessoa solidária? – Qual tem sido a sua grande arma para anunciar Jesus? – Qual a característica primeira de um bom evangelizador? – Como você tem evangelizado? 

Salmo 144 -  “Ó Senhor, vossos amigos anunciam vosso reino glorioso”
Anunciar o reino glorioso é Evangelizar! Evangelizamos quando espalhamos os prodígios de Deus entre os homens a fim de que todos percebam que o reino de Deus é para sempre e que nós podemos experimentá-lo desde já. A boca que canta a glória do Senhor transmite a graça de Deus de geração em geração. Você sabia que quando você canta louvores ao Senhor você espalha a glória de Deus fazendo com que ela alcance àqueles (as) que já se foram e os (as) que ainda virão?                           
Evangelho – João 14, 27-31 – “ paz real e não apenas de palavras vazias”

Ao nos deixar a Sua Paz Jesus quis nos conscientizar de que a paz que Ele nos deixou não é medida pela falta de dificuldades nem tampouco pela carência de tribulações. Assim, pois Ele falou: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; mas não a dou como o mundo”! O mundo nos acena com uma paz que se baseia na abundância de coisas materiais e que tudo prospere sem atropelos e contratempos. Jesus, porém, nos esclarece que a verdadeira paz é vivenciada justamente no meio da desarrumação do mundo e dos desafios, dificuldades e tribulações. Ele não nos garante uma vida sem problemas, mas nos acena com a paz no meio dos problemas da nossa vida, pois a paz que  Ele veio nos dar é real e não apenas paz de palavras vazias. A paz que o mundo prega é uma paz que se conhece apenas por meio de slogans, palavras soltas, discursos políticos, demagogia, mas nem sempre ela acontece. “Vou, mas voltarei a vós. ” Jesus também nunca enganou a seus discípulos e sempre lhes dava uma mensagem de otimismo e de esperança. “Se me amásseis ficaríeis alegres porque vou para o Pai.” Portanto, precisamos ter confiança de que a Palavra de Jesus tem força e continuamente irá acontecer em nós e através de nós. Aprendendo com Jesus nós transmitiremos palavras verdadeiras de conforto e de paz para as pessoas com as quais nos encontrarmos, como uma expressão do que o nosso coração deseja. Nunca poderemos, em Nome de Jesus, enganar os nossos irmãos e fingir que estamos lhes desejando paz quando no nosso coração ruminamos o ódio. Se, porém, cultivarmos dentro de nós sentimentos verdadeiros, também conseguiremos levar esperança para o nosso próximo e estaremos fazendo com que a paz de Jesus, que é real,  aconteça na sua vida.      – Quando dá a paz à pessoa que está do seu lado na missa, você o faz de coração ou apenas o deseja com palavras? - Você tem conseguido viver em paz? – Você transmite aos outros a paz que possui no coração? – Você tem transmitido esperança para as pessoas   – Você vive a paz de Jesus ou na paz do mundo?

4 comentários:

Jose Maria Nascimento disse...

Obrigado !!!

Mariano Silveira disse...

DEUS te abençoe e te ilumine. Obrigado p/ reflexão.

joao lessa disse...

NOSSO DEUS NOSSO PAI PERDAO POR MEUS PECADOS E PELO PECADOS DO MUNDO,OBRIGADO POR TUDO QUE SOU POR TUDO QUE TENHO,IRMAOS E IRMAS QUE A PAZ ESTEJA COM TODOS AMEM

Anônimo disse...

Eu todos os dias faço a leitura do dia e complemento com os comentários dessa equipe para complementar meus ensinamento e por em prática muito obrigado, que o Senhor Deus continue derramando benção a todos na Paz de Cristo, Jair Ferreira.

Postar um comentário