.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Se Jesus nós nos tornamos galhos secos, sem utilidade-Helena Serpa


17/05/2017 – 4ª. Feira V Semana da Páscoa  – Atos 15, 1-6 – “as divergências de opiniões e a diversidade de conceitos são naturais”
As divergências, diferenças de opiniões, assim como também, discussões e confusão, aparecem na medida em que a comunidade cristã cresce. Esse é um processo natural e foi o que aconteceu na comunidade dos primeiros cristãos, em virtude da prática da circuncisão. A circuncisão era uma regra judaica do Antigo Testamento, a qual não haveria mais sentido de ser utilizada, depois da entrega de Jesus na Cruz para a salvação do homem. Porém, existiam naquele tempo, como existem hoje, aqueles (as) que são “zelosos (as)” da lei e das regras, mas esquecem de que o objetivo da Lei de Deus é que os homens possam viver no SEU AMOR.  Com grande sabedoria, para chegar a um comum acordo, os apóstolos resolveram reunir-se a fim de que o próprio Espírito Santo os conduzissem nas suas resoluções. Por isso, ao mesmo tempo em que divergiam eles também se alegravam com os prodígios e a conversão daqueles que nunca haviam ouvido falar de Jesus. Este exemplo também deverria ser seguido por todos nós que nos propomos a viver em comunidade, em família e em grupos sociais. Deus nos deu inteligência e nos concedeu o Seu Espírito para que pudéssemos, iluminados por Ele, chegar à unidade de pensamento, de ideal e de objetivo.  Na nossa comunidade e na nossa família precisamos também agir assim e não nos inquietarmos com as divergências de opiniões e a diversidade de conceitos. Se nos reuníssemos e colocássemos os nossos pensamentos e sentimentos à mostra de todos, sob a luz do Espírito Santo, com certeza, conseguiríamos acertar as arestas, perceber o que é essencial e, baseados (as) na regra do Amor e na Palavra de Deus, nós também chegaríamos à unidade, apesar das nossas diferenças.   -  Você se aflige quando há divergências na sua casa ou na comunidade? -  O que você tem feito quando elas acontecem? – Você foge das dificuldades com medo de enfrentar as pessoas? – Você tem enxergado os pontos positivos da sua família e da comunidade? – Você tem se alegrado com eles?
Salmo 121 – “ Que alegria quando ouvi que me disseram: vamos á casa do Senhor!”
Jerusalém é a cidade santa e significa para nós a Igreja que mesmo ainda caminhando tem um desígnio de santidade. Por isso, nós que nos consideramos Igreja ficamos alegres porque caminhamos para a casa do Senhor. Jerusalém também é cada um de nós que somos moradas do Senhor.
Evangelho – João 15, 1-8 – “ Se Jesus nós nos tornamos galhos secos, sem utilidade”


Jesus fazia com que os Seus discípulos compreendessem a Sua mensagem se valendo de figuras inerentes à vida cotidiana deles, na maioria, agricultores e pescadores. Usando a parábola da videira, (planta que cresce apoiando-se sobre outra ou sobre qualquer superfície), como mensagem para a nossa vida e baseados nas figuras que Jesus usou, nós também podemos nos amoldar à mensagem da Palavra nos situando no contexto proposto por Ele. Jesus faz, então, uma comparação belíssima entre a figura da videira, com o Pai, o Filho, o Espírito Santo e todos nós que estamos unidos num só Amor.  O Pai é o agricultor, Jesus, a árvore verdadeira, o Espírito Santo é a seiva do amor do Pai que alimenta a árvore e nós, os galhos que precisamos de um apoio para crescer e, por isso, devemos estar unidos à arvore a fim de recebermos o nutriente que nos faz produzir frutos bons. O Pai cuida de nós a fim de que permaneçamos na árvore, no entanto, não podemos estar na árvore somente por estar. Necessitamos crescer em beleza e proficuidade. Quando estamos com aparência feia, isto é, quando exibimos as deficiências por causa do pecado, o Pai, então, como faz o agricultor, nos poda, nos purifica e lança fora tudo o que estava nos tornando feios e nos impedindo de dar frutos. O galho que não permanece preso à árvore é jogado fora. Portanto, quando não estamos em Jesus, unidos a Ele em espírito e em verdade, nós nos tornamos galhos secos, sem utilidade. Vivemos a desesperança, a frustração, a tristeza, o desânimo e acabamos sós. Assim, nunca seremos felizes porque nos falta a seiva do Espírito que nos alimenta e fecunda o nosso coração. Dentro de nós foi plantada a semente do Amor do Pai, que é o Espírito Santo, porém só permaneceremos nesse Amor, se conservarmo-nos ligados ao Seu Filho, Jesus Cristo. - Você se sente como um ramo  ligado à  árvore que é Jesus? – Você tem intimidade com Deus? – Os frutos que você tem oferecido ao mundo são frutos doces ou amargos? – O que precisa acontecer para que você dê frutos melhores? – Você acha que tem permanecido em Jesus e Ele em você?

4 comentários:

joao lessa disse...

NOSSO DEUS E NOSSO PAI PERDAO POR MEUS ECADOS E PELOS PECADOS DO MUNDO,OBRIGADO POR TUDO QUE SOU POR TUDO QUE TENHO,IRMAOS E IRMAS QUE A PAZ ESTEJA COM TODOS AMEM

Mariano Silveira disse...

DEUS te abençoe e te ilumine. Obrigado p/ reflexão.

Anônimo disse...

Eu todos os dias faço a leitura do dia e complemento com os comentários dessa equipe para complementar meus ensinamento e por em prática muito obrigado, que o Senhor Deus continue derramando benção a todos na Paz de Cristo, Jair Ferreira.

Jose Maria Nascimento disse...

Obrigado Senhor, obrigado Helena !!!

Postar um comentário