.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

FESTA DA SAGRADA FAMÍLIA - José Salviano

A SAGRADA FAMÍLIA FOGE PARA O EGITO
29 de Dezembro de 2013

Evangelho - Mt 2,13-15.19-23

            Um anjo aparece em sonho a José, e o avisa dos perigos iminentes, assim como as providências que ele precisa tomar. É a comunicação divina direta com José. É Deus Pai intervindo para salvar a vida de Deus Filho contra as maquinações de Herodes, que já sabia do nascimento do Menino Jesus, e de seus poderes celestiais. Portanto, ele sentindo-se ameaçado em seus poderes terrenos, ficou inquieto, tenso, e decidido a fazer qualquer coisa para anular a existência desse Menino poderoso que estava para vir ao mundo.
            O Menino Jesus aparece na narrativa materna da sua infância como o novo Moisés que é perseguido por Herodes, outro faraó, mas Deus cuida dele e o livra daquele tirano. José e Maria depositam total confiança na proteção divina obedecendo as orientações do anjo que diz para eles fugirem às pressas em direção ao Egito. Nós também fazemos isso? Seguimos as orientações de Deus em nossas vidas? Escutamos a voz de Deus? Pedimos sua orientação? Deixamos Deus dirigir os nossos passos? Ou queremos fazer tudo por nossa conta?
            Logo após o nascimento de Jesus, uma grande tragédia aconteceu em Belém. Herodes deu ordem para que fossem mortos todos os meninos recém nascidos. O rei tinha sido avisado do nascimento de um menino que seria um novo rei. Então com medo de perder o seu poder,  ordenou a morte de todos os recém-nascidos do sexo masculino para se garantir que nenhuma criança poderosa viesse lhe tomar o trono. Desta forma, apavorado por causa do seu possível concorrente, cometeu esse crime bárbaro, o crime da morte dos inocentes. E foi por isso que José e Maria tiveram de fugir rapidamente para o Egito a fim de salvar a vida do Menino Jesus.
            Tempos depois, José recebeu no Egito a visita do anjo que o avisou da morte de  Herodes, e que eles, José Maria e o Menino já poderiam voltar para Israel.
               Como já dissemos aqui em outras reflexões.  O Filho de Deus poderia ter vindo ao mundo de várias maneiras: Poderia ter aparecido no Templo em um dia de grande festa, poderia ter caído do céu em forma de um meteoro, com grande barulho, poderia ter vindo em uma nuvem vermelha em pleno entardecer, ao escurecer para que todos o visse, sei lá...  O certo é que Deus planejou para Jesus aparecer silenciosamente no meio de uma família escolhida por Ele. José e Maria. Isso para nos mostrar a importância da família para a formação e equilíbrio da sociedade.
               A família é um dos bens mais preciosos da humanidade. Costumamos dizer que ela é a célula mãe da sociedade. Uma sociedade sem família seria uma sociedade desarticulada. Um grupo social onde as famílias são organizadas, firmes e fortes, é um grupo social coeso, e difícil de ser destruído por qualquer força externa. Já uma sociedade sem famílias, seria uma desorganização social fácil de ser dominada por qualquer força ou invasão estrangeira. Pois é na família que acontece a rede de relações pessoais, mediante a qual cada pessoa é introduzida em um grupo celular coeso, forte, unido. Foi por isso que Deus escolheu a família para que Jesus experimentasse a sua condição humana. Assim, para Jesus a família foi a primeira escola de amor, carinho, bondade, de compreensão recíproca, de verdadeira  humanidade autêntica.
               Neste domingo, a festa da Sagrada Família nos lembra que Jesus, ao encarnar-se, santificou a família, e através dela, santificou toda a humanidade, e santifica sempre a  todos aqueles que o aceita como o verdadeiro Deus.
            A liturgia deste domingo nos faz celebrar o mistério da presença de Deus vivo no meio de nós. O mistério do Verbo encarnado que assumiu a natureza humana. Ele assumiu a nossa condição humana para assim melhor poder nos mostrar os caminhos do Reino de Deus.
            Jesus teve um pai e uma mãe como qualquer um vivente terreno, para nos mostrar a necessidade de uma família na formação da sociedade. É importante lembrar portanto, que todos os esforços para construir uma sociedade justa e saudável, o mais próximo possível da perfeição, serão inúteis se não começarmos pela boa formação da família. Tudo deve partir da família: Os valores morais, o respeito a Deus e ao próximo, que geram o progresso social. Caso contrário, é predestinar o caos da sociedade. Uma família desunida onde não se cultivou a presença de Deus, vai formar uma sociedade também desunida, muito egoísta, sem Deus e sem paz.
            A família necessita sempre da atenção dos governantes, pois ela é uma organização social sujeita a crises. Pois se trata de uma comunidade formada por um número limitado de pessoas onde deve existir o amor, a compreensão, a colaboração, o respeito mútuo,  acima de tudo a presença de Deus, para vencer os vendavais da vida e continuar coesa, unida.
               Mas infelizmente o que vemos hoje é a união dos jovens fora da família, ser protegida e estimulada pelos poderes públicos, através de todo apóio que está sendo prestado às mães solteiras. Não estamos querendo dizer que essas mães deveriam ser ignoradas pela assistência social. O que  lamentamos, é que elas não estão recebendo nenhum tipo de orientação no sentido de dar boa formação aos seus filhos. Recebem assistência médica, e mais nada. Isso acaba se transformando num estímulo a proliferação de acasalamentos seguidos de gravidez indesejada, cujos filhos são apenas jogados no mundo, quando não são jogados na lixeira pública, sem nenhuma forma de preparação moral, educacional, profissional e social para  suas vidas futuras. 
               Por isso,  a família de hoje parece que está com seus dias contados. A catequese do mal está fazendo um trabalho muito forte diante dos jovens, os quais estão aprendendo que o negócio é "ficar" uns tempos curtindo sexualmente uns aos outros, sem nenhum compromisso, e depois quando enjoar, quando se cansar, quando vierem os desentendimentos da vida a dois, as dificuldades financeiras, as dificuldades normais geradas pelos  defeitos de cada um, é só se separar, é só "pegar o beco" e depois procurar outra pessoa para se ACASALAR  e tudo começa novamente . Ninguém está pensando no futuro dos filhos, pois o prazer e o egoísmo é que determinam a conduta dos dois. Jesus, Deus, Evangelho, são coisas do passado são coisas dos avós, conforme aprenderam  da catequese do mal.
E o pior de tudo é que tem pais apoiando os filhos nessa nova modalidade de vida sem limites. Tem pais que dão total apoio aos filhos homens principalmente, pois afinal eles têm de serem machos.
Tem mães ajudando e apoiando as filhas em suas aventuras perigosas, e ainda dizem para as amigas: No meu tempo a gente não vivia. Deixa ela se divertir!
Meu Deus! Meus! O que é isso?  Porque nos abandonastes?  
               Meninas viciadas em craque deixam os filhos recém-nascidos na lixeira, ou nos pontos de ônibus...
Jovens de 15 anos se orgulham de já serem sexualmente ativos,  Onde vamos parar?   Cadê a família? Ela foi destruída pelo cinema, pelas novelas que preconizam a traição, as separações,etc.
Os jovens brincam de engravidar, sem a menor responsabilidade!
Como será o nosso futuro?
Os filhos das mães viciadas em craque já nascem com sérias complicações de saúde, e não vemos nenhuma providência ser tomada no sentido de educar corretamente a juventude a respeito da preservação dos valores que garantem o equilíbrio moral individual e social. Lamentavelmente estamos caminhando para um caos social!  
               Colocar uma criança no mundo é uma decisão mais séria do se pensa. É uma decisão cheia de responsabilidade por causa das consequências. Porque os cuidados com a criança que acaba de nascer são muito grandes. Será preciso cuidar de sua saúde, do alimento, da proteção, da escola... e os seus jovens pais querem mais é continuar a curtir a vida, querem mais é se divertir, e portanto não têm tempo para essa tarefa enfadonha de cuidar do bebê. É por isso que ele acaba caindo nas mão da  avó, ou são jogados fora...
               Meus irmãos. O que estamos fazendo para solucionar este grave problema familiar e social? Invadir a "cracolândia" e expulsar dali os viciados que parecem zumbis será que está resolvendo esta tragédia moral e social? Distribuir camisinhas para os jovens? Isso é o mesmo que dizer a eles: Divirtam-se! Não precisam ter nenhuma responsabilidade nem se preocupar com as consequências da sexualidade sem nenhum limite. Estamos nos esquecendo que estamos contribuindo para um futuro sombrio no qual também estarão os nossos netos!

Conclusão:
               Meus irmãos. os jovens estão substituindo Deus pela embriaguês, pelo prazer, e brincando de engravidar, depois jogam os filhos na lixeira, ou nas portas das casas...  e nós? o que estamos fazendo? assistindo essa barbaridades pelos noticiários da T.V. e continuando a nossa vidinha...  Será que alguém já parou para pensar como será o nosso futuro?  O futuro dos nossos próprios descentes familiares? Cadê a família?  Uma sociedade sem família é um aglomerado de gente,  não é uma sociedade coesa, articulada.  Para destruir um país, a primeira coisa a fazer é destruir a família. E estão conseguindo!  Pois são poucos hoje os jovens que ainda valorizam a família. Querem mais é se juntar, sem nenhum vínculo ou compromisso moral, religioso ou social. Tudo isso para facilitar na hora que chegar a  separação. Para  não ter nenhuma dificuldade maior ao se desligar do compromisso paternal.
               Caríssimos. Deus não nos abandonou. Nós é que O abandonamos!

               Vamos lá! Vamos fazer a Catequese do bem! Não vamos desanimar! Deus está conosco.  Jesus prometeu isso. Vamos fazer uma catequese bonita, atraente, forte de impacto diante das mentes dos jovens.  Vamos lutar com a ajuda do Poderoso, pela construção de um mundo melhor. Nada de  pensar que não podemos fazer mais nada, que não tem mais jeito.  Podemos sim.  O pouco que cada um fizer, somado no final, significa o muito que é necessário para transformar esse mundo sem Deus.   Apesar de tanto barulho, aqueles que seguiram o caminho do mal ainda são minoria diante do restante da população total. Vamos nos unir, vamos lutar vamos das as mãos para salvar esse mundo!  Amém.
         
          José Salviano



Um comentário:

Anônimo disse...

Assino em baixo, tudo o que foi dito deve ser lido, interiorizado e transmitido constantemente no dia a dia, no trabalho, no roda de amigos. Concordo também que o mundo não está perdido, EU posso ser a diferença, como qualquer um também pode ser essa diferença. Não vamos desistir, porque cristão não desiste nunca.

Postar um comentário