.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

quarta-feira, 14 de maio de 2014

A verdadeira paz-Helena Serpa

20 DE MAIO - Evangelho - Jo 14,27-31a

Atos 14, 19-28 – “A experiência dos primeiros discípulos de Jesus ”

Por meio desse trecho dos Atos dos Apóstolos nós percebemos a forma como que os discípulos de Jesus continuavam a Sua pregação, mesmo debaixo da perseguição dos judeus. A experiência com Jesus ressuscitado os fazia ir em frente, por isso, Paulo e os outros discípulos atravessaram as maiores dificuldades a fim de anunciar o reino de Deus sem desanimar diante dos obstáculos. Eles usavam de todos os meios para protegerem-se mutuamente. Assim foi que rodearam e formaram um círculo em volta de Paulo a fim de que ele não fosse visto enquanto entrava na cidade na qual ele estava proibido de pregar. Ancorados no poder do Espírito Santo e entregues à graça de Deus, eles se ajudavam mutuamente exortando uns aos outros para que permanecessem firmes na fé. Assim, pois, encorajavam-se com palavras de alento: “É preciso que passemos por muitos sofrimentos para entrar no reino de Deus”. As grandes armas para que continuassem firmes na missão eram a confiança em Jesus, a oração e o jejum. Deste modo eles estavam sempre reunidos em comunidade e partilhavam tudo o que Deus realizava por meio de cada um na incumbência que desempenhavam. Assim sendo, a Igreja crescia e as portas da fé eram abertas para os pagãos. A experiência dos discípulos serve de modelo para nós, hoje, na nossa missão de levar o Nome de Jesus a todas as nações. Todos nós precisamos estar muito convictos de que nunca teremos a paz à moda que o mundo dá. A paz que o mundo dá é convite à acomodação, à boa vida, às coisas fáceis e somos chamados (as) a nos desinstalar, a nos despojar, a orar, jejuar, porque somente assim as portas da fé se abrirão também para a nossa família, os nossos amigos e todos àqueles (as) a quem pretendemos evangelizar. - Qual o exemplo que Paulo e os outros discípulos deram a você hoje nesta leitura? – Você prestou atenção à solidariedade dos discípulos? – Você é uma pessoa solidária? – Qual tem sido a sua grande arma para anunciar Jesus? – Qual a característica primeira de um bom evangelizador? – Como você tem evangelizado?

Salmo 144 - “Ó Senhor, vossos amigos anunciam vosso reino glorioso”

Evangelizar é testemunhar, espalhando os prodígios de Deus entre os homens a fim de que todos percebam que o reino de Deus é para sempre e que podemos experimentá-lo desde já. A boca que canta a glória do Senhor transmite a graça de Deus de geração em geração. Você sabia que quando você canta louvores ao Senhor você espalha a glória de Deus fazendo com que ela alcance àqueles (as) que já se foram e os (as) que ainda virão? 

Evangelho – João 14, 27-31 – “a verdadeira paz”

Neste Evangelho Jesus nos dá consciência de que a verdadeira paz procede do Pai e vem a nós por meio da Palavra que sai da Sua boca. A Palavra de paz que Jesus nos prometeu é muito diferente das palavras sem consistência dos homens. “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; mas não a dou como o mundo”! Assim sendo, Jesus nos recomenda que não nos perturbemos nem tenhamos medo diante das reviravoltas que o mundo dá, pois Ele veio nos dar a paz real e não apenas paz de palavras vazias. A paz que o mundo prega é uma paz que se conhece apenas por meio de slogans, palavras soltas, discursos políticos, demagogia, mas nem sempre ela acontece. Quando vivemos sob o domínio da paz do mundo, nós estamos sujeitos a altos e baixos como um barco entregue às ondas turbulentas do mar, cheios de medo. A paz de Jesus, no entanto, é a paz de coração, que nos leva a atravessar as tempestades com firmeza e esperança. Jesus sempre foi fiel e verdadeiro e nunca enganou a seus discípulos nem os deixava entregues à insegurança. Por isso, afirmou: “Vou, mas voltarei a vós.” Ele sempre lhes dava uma mensagem de otimismo e de esperança. “Se me amásseis ficaríeis alegres porque vou para o Pai.” Aprendendo com Jesus todos nós podemos transmitir por meio da nossa boca palavra de conforto e de paz para as pessoas com as quais nos encontramos. No entanto, as nossas palavras também precisam ser expressão do que o nosso coração deseja para que sejam consideradas verdadeiras. Nunca poderemos em Nome de Jesus enganar os nossos irmãos e fingir que estamos lhes desejando paz quando no nosso coração rumina o ódio. Se, porém, cultivarmos dentro de nós sentimentos verdadeiros, também conseguiremos levar esperança para o nosso próximo e estamos fazendo com que a paz de Jesus, que é real, aconteça na sua vida. – Quando você dá a paz à pessoa que está do seu lado na missa, você o faz de coração ou apenas o deseja com palavras? - Você tem conseguido viver em paz? – Você transmite aos outros a paz que você possui no coração? – Você tem transmitido esperança para as pessoas – Você vive a paz de Jesus ou na paz do mundo?

Helena Serpa

3 comentários:

José Maria Nascimento disse...

Obrigado!!!

creuza caldas disse...

muito bom

elza disse...

maravilhoso !!!!!

Postar um comentário