.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

.

DIA 24 DE JANEIRO-TERÇA-FEIRA

“QUEM É MINHA MÃE E QUEM SÃO MEUS IRMÃOS?” – Olivia Coutinho

DIA 22 DE JANEIRO-DOMINGO

JESUS, A GRANDE LUZ PARA OS POVOS – Maria de Lourdes Cury Macedo.


“SEGUI-ME, EU FAREI DE VÓS PESCADORES DE HOMENS.”- Olivia Coutinho.




03º Domingo do Tempo Comum – Ano A-Dehonianos


MAIS HOMILIAS DESTE DOMINGO
----------------------------------------------

·                     MENSAGEM DE NATAL-2-Olívia Coutinho

·                     MENSAGEM DE FIM DE ANO-José Salviano


MEU FACE

PREZADOS LEITORES
VAMOS AUMENTAR OS ACESSOS. MANDE O LINK DESTE BLOG PARA SEUS AMIGOS E PARENTES



==============================


PARA ENTRAR NO NOSSO CANAL NO YOU TUBE É SÓ CLICAR AQUI
ou
ou ainda...
 ENTRE NO YOU TUBE E DIGITE: J.SALVIANO

PRÓXIMO DOMINGO
MAIS HOMILIAS DESTE DOMINGO
================


VISITE  A NOVA PÁGINA

REFLEXÕES RECENTES E ANTIGAS
 CLICA AQUI

REFLEXÕES RECENTES E FUTURAS


DIA 22 DE JANEIRO-DOMINGO

JESUS, A GRANDE LUZ PARA OS POVOS – Maria de Lourdes Cury Macedo.


“SEGUI-ME, EU FAREI DE VÓS PESCADORES DE HOMENS.”- Olivia Coutinho.




03º Domingo do Tempo Comum – Ano A-Dehonianos


O povo que andava nas trevas viu uma grande luz- Reflexão do falecido Pe. Queiroz


DIA 23 DE JANEIRO-SEGUNDA-FEIRA

-Disseram que Jesus estava possuído por Belzebu-José Salviano



É o noivo que recebe a noiva- Reflexão do falecido Pe. Antônio Queiroz CSsR


DIA 24 DE JANEIRO-TERÇA-FEIRA

“QUEM É MINHA MÃE E QUEM SÃO MEUS IRMÃOS?” – Olivia Coutinho




DIA 25 DE JANEIRO-QUARTA-FEIRA


DIA 26 DE JANEIRO-QUINTA-FEIRA

Enviou-os dois a dois- Reflexão do falecido Pe. Antonio Queiroz


DIA 27 DE JANEIRO-SEXTA-FEIRA

A semente germina pelo poder de Deus-Dehonianos


É a menor de todas as sementes-Reflexão do falecido Pe. Antonio Queiroz


DIA 28 DE JANEIRO-SÁBADO

Jesus e a tempestade-Reflexão do falecido Padre Queiroz


DIA 29 DE JANEIRO-DOMINGO

04º Domingo do Tempo Comum – Ano A-Dehonianos


Reflexão do falecido Padre Antonio Queiroz-As bem-aventuranças


DIA 30 DE JANEIRO-SEGUNDA-FEIRA

Jesus tem poder para nos tirar do cativeiro-Helena Serpa


Espírito impuro-Reflexão do falecido Pe. Antônio Queiroz CSsR


DIA 31 DE JANEIRO-TERÇA-FEIRA

Não precisamos lutar só!-Alexandre Soledade




QUARTA-FEIRA
QUINTA-FEIRA
SEXTA-FEIRA
SÁBADO
DOMINGO
========


Jesus tem poder para nos tirar do cativeiro-Helena Serpa


COMUNIDADE CATÓLICA MISSIONÁRIA UM NOVO CAMINHO
ROTEIRO PARA REFLEXÃO COM A PALAVRA na semana de
24 a 30/01/2017



30/01/2017 - 2ª. feira –IV Semana do tempo comum -  Hebreus 11, 32-40 – “Vivemos na plenitude dos tempos”
Estamos vivendo na plenitude dos tempos e já experimentamos a salvação desde o agora da nossa vida, por isso, todos nós somos agraciados. A carta aos Hebreus nos fala do testemunho de homens e mulheres da Bíblia que venceram barreiras e dificuldades confiando nas promessas de Deus, mas mesmo assim, seus olhos não viram, aqui, a Salvação de Jesus.  Deus previu para nós algo melhor, por isso, podemos dizer que somos privilegiados e o nosso testemunho tem ainda mais força e poder. O Espírito Santo de Deus luta a nosso favor e, por isso, somos mais que vencedores, em Nome de Jesus Cristo! Com efeito, cheios de fé poderemos desbravar montanhas, abrir novos caminhos e desvendar os mistérios do reino tendo a  certeza absoluta de que temos um intercessor diante do Pai. Vivemos no tempo da graça e da misericórdia e o nosso testemunho é a grande arma que temos para provar a nossa fidelidade a Deus.  -  O Espírito Santo tem lhe dado ousadia para testemunhar a Salvação de Jesus? – O que você está esperando mais para fazê-lo? – Você tem certeza absoluta que Jesus já lhe salvou?

Salmo 30 – “Fortalecei os corações, vós que ao Senhor vos confiais!”
A confiança no Senhor nos encaminha para a Sua proteção. Só quem confia em Deus poderá sentir a Sua presença protetora e o Seu amparo. Isso acontece quando nós cessamos de nos lamentar e ficamos firmes, certos (as) de que o Senhor sempre ouve a nossa súplica. Fortalecer o coração é saber confiar no amor de Deus que nos guarda com carinho em Sua tenda.

Evangelho Marcos 5, 1-20  - “Jesus tem poder para nos tirar do cativeiro
Assim como libertou o homem possuído por uma legião de espíritos maus, Jesus também tem poder para nos tirar do cativeiro e nos livrar da morte eterna, resgatando a nossa filiação divina. Muitas vezes estamos também perambulando no mundo como quem caminha dentro de um cemitério, cercados pelos mortos e Jesus nos ressuscita, nos tira do sepulcro jogando para longe de nós os espíritos que nos prendiam: orgulho, autossuficiência, egoísmo, amor próprio. Ainda hoje Ele está pronto para nos libertar de toda sujeição aos espíritos maus, os “espíritos de porco”, que gostam de infernizar a nossa vida.   Assim como aquele homem já estava acostumado a viver assim e pedia a Jesus para não tirá-lo daquela situação, nós também vemos hoje as pessoas acomodadas na escravidão ao pecado, miséria, violência parecendo até que aquela circunstância já lhes é familiar.  Quando temos um encontro pessoal com Jesus e sentimos a Sua ação libertadora, nós também queremos logo segui-Lo literalmente, no entanto, Ele nos liberta do mal e nos manda de volta para nossa casa, para junto da nossa família anunciar as maravilhas que Ele fez em nós e viver a missão de amar. Quando no nosso coração existem o amor e a misericórdia de Deus, nós sabemos expressá-los dentro da nossa casa e nos lugares por onde andarmos. Jesus só nos pede que sejamos Suas testemunhas.  – Você já teve um encontro pessoal com Jesus? -  Você é uma pessoa livre para amar? - Você ainda se vê caminhando entre os mortos ou já se sente capaz de amar na sua própria casa?  - O que Jesus quer de você? – O que Ele lhe pede, hoje?



A batalha entre nós e nós mesmos-Helena Serpa



29/01/2017 - IV Domingo do tempo comum - 1ª leitura – Sofonias 2, 3; 3,12-13 –“fomos feitos para viver a santidade desde já”
A Palavra nos fala que somente um resto, compreenderá o significado do chamado que Deus nos faz. Nem todos conseguem essa proeza, mas quem busca a humildade encontra refúgio no Senhor para os dias maus. Sentir-se necessitado (a), carente e dependente de Deus nos faz viver em sintonia com Ele. Na maioria das vezes, nos tornamos pretensiosos, soberbos e cheios de “sabedoria humana” e por isso, não conseguimos ver a Deus nem receber suas bênçãos. Quando, porém, nos conscientizamos da nossa incapacidade e conseguimos nos entregar ao Senhor, vemos enfim brilhar em nós a estrela da esperança, pois justo é o Senhor nos seus desígnios e nos seus mandamentos. Precisamos nos fazer incluir nesse povo humilde e pobre que ficará, porque somos Sua criação e fomos feitos para viver a santidade desde já. Ser santo (a) é, pois, ser separado (a) e consagrado (a).  O Senhor hoje nos convoca a deixar cair por terra toda a nossa pretensão e, simplesmente, nos deixar ser conduzidos pelos Seus preceitos.   – Será que você faz parte do povo pobre que conhece a justiça de Deus? – Você confia na sua própria sabedoria ou tem se deixado conduzir pelo Senhor?
Salmo 145 – “Felizes os pobres em espírito porque deles é o reino dos céus!”
 Todos nós que nos sentimos necessitados e dependentes do Senhor somos testemunhas da Sua justiça e da sua proteção. Quando nós conseguimos reconhecer a nossa limitação, a nossa carência e indigência, a misericórdia do Senhor se manifesta vivamente no nosso coração. Aí  então,  nós experimentamos toda a verdade que o salmista proclama. Somos nós, os oprimidos, os famintos, os cativos, os cegos, a viúva e o órfão, portanto somos felizes.
2ª. leitura – 1 Coríntios 1, 26-31  “para confundir os sábios e os fortes”
Somente entende o chamado de Deus o homem e a mulher que não se consideram sábios, fortes e importantes à moda do mundo. Por isso, São Paulo chama a atenção de todos nós que dizemos ser seguidores de Jesus Cristo, isto é, batizados em Seu Nome para que sejamos verdadeiros filhos de Deus Pai. Ele escolheu o que o mundo considera estúpido, fraco, sem importância e desprezado para confundir os “sábios”, os “fortes”  e os “importantes”. Assim sendo, tudo o que o mundo valoriza e considera inteligente, contradiz o pensamento de Deus. Jesus Cristo é, para nós, a sabedoria, justiça, santificação e libertação que vêm de Deus, por isso, a nossa única glória é a de sermos herdeiros da Sua promessa de salvação. O Senhor, portanto, é a nossa glória e a nossa sabedoria. “Quem se gloria, glorie-se no Senhor”, diz São Paulo.  Seguindo o Seus passos nós vivemos, respiramos e caminhamos para a santidade. – Você se considera uma pessoa muito sábia e inteligente para as coisas do mundo? – Você é muito entendido (a) nas coisas de Deus? – A quem você tem dado glória pelos sucessos que você tem alcançado? – Qual é o conceito que você faz de si mesmo (a)?

Evangelho – Mateus 5, 1-12 -   “a batalha entre nós e nós mesmos
O conceito de felicidade que o mundo prega é completamente diferente da felicidade que Deus planejou para a nossa vida. Por essa razão, os nossos planos humanos atrapalham a vivência das bem-aventuranças e nos impedem de ser feliz, como Jesus nos ensinou. O possuir, o prazer e o poder são desejos que nos aprisionam. Os nossos objetivos dão a direção para a nossa vivência. Se tivermos em mente que queremos ser ricos e poderosos, lógicos que a nossa vida será pautada nisso. Assim sendo, estaremos perseguindo um ideal e não a felicidade.

Ser pobre, aflito, manso, faminto, misericordioso, puro de coração, promotor da paz, perseguido, insultado, na concepção humana é, na realidade, uma infelicidade. Porém, se nos aprofundarmos na sabedoria de Deus, o Espírito nos convencerá de que tudo isso é inerente à nossa condição humana.  Quando nós nos reconhecemos completamente dependentes da misericórdia do nosso Pai, todas essas dificuldades transformam-se em ocasiões para que experimentemos o Seu Amor infinito, e aí então, seremos realmente felizes. A nossa felicidade aqui na terra está condicionada à nossa experiência pessoal com o Amor de Deus. Ela foi conquistada por Jesus, porém, para que nos apossemos dela, precisamos também enfrentar uma grande batalha entre nós e nós mesmos. Não é passe de mágica. É uma caminhada íngreme e que exige perseverança. Consequentemente, todas as ocasiões em que formos mais provados serão justamente os momentos em que mais teremos a amostra da  ação de Deus na nossa vida e sentiremos Sua graça se manifestar.   - Você já experimentou alguma vez a felicidade nessa perspectiva? – Para você o que significa ser feliz? – Você já foi perseguido (a) por causa do reino de Deus?  - Você já sentiu a graça de  Deus se manifestando dentro do Seu coração?

A Barca de Jesus é a Igreja-Helena Serpa


28/01/2017 – Sábado -   III semana comum  – Hebreus 11, 1-2.8-19 – “ Somos, hoje, as testemunhas da fé,”
A esperança é o fundamento da fé, é um modo de já possuirmos o que ainda estamos esperando e de ver o que ainda não enxergamos! Os nossos antepassados da Bíblia enquanto aqui estiveram esperaram, no entanto, morreram na fé e não viram a salvação, isto é, a realização da promessa de Deus. Mesmo assim, salvos porque Jesus Cristo veio para salvar os vivos e os mortos.  Pela fé, nós, como Abraão, saímos da nossa terra e buscamos uma terra prometida. Sair da nossa terra é sair da nossa vida velha e dar o passo em busca de uma nova maneira de viver.  Enquanto aqui estamos a nossa alma anseia por uma pátria melhor, pela cidade que Deus preparou para vivermos a felicidade plena, porém a nossa caminhada aqui na terra já nos dá a certeza da pertença a este mundo celeste. Agora, neste momento, nós já podemos viver as primícias do reino de Deus, dentro de nós!  Que possamos nos guiar pelo exemplo de fé de Abraão que entregou o seu filho único para ser sacrificado, pois estava convencido de que Deus tem poder até de ressuscitar os mortos. Não podemos desanimar diante das situações de morte, miséria e sofrimento que presenciamos hoje no mundo, mas manter a esperança como bandeira para dar testemunho de fé àqueles que ainda não têm consciência da verdade de Cristo. Somos, hoje, as testemunhas da fé, do século XXI! Na nossa vida também acontecem os milagres, todos os dias. Precisamos testemunhá-los no mundo.  – Você confia que Deus pode lhe dar uma vida nova?  – Você sabia que a sua vida está escondida em Cristo? – Você sabia que mesmo estando aqui na terra você já é cidadão (ã) do céu? – O que você acha da fé de Abraão? – O que lhe marcou nessa narrativa?

Salmo – Lucas 1 – “Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque a seu povo visitou e libertou!”
Este é o canto que Zacarias, pai de São João Batista, cheio do Espírito Santo entoou quando na sua velhice Deus lhe concedeu um filho! Ele se reporta ao juramento que Deus fez a Abraão e aos seus descendentes os quais esperaram a realização das promessas de Deus. A promessa do Pai se concretiza através de todas as gerações e no tempo devido. Por isso, nós também podemos já cantar glórias ao Senhor e proclamá-Lo bendito pelas graças que esperamos e que ainda tornar-se-á realidade na nossa vida.

Evangelho Marcos 4, 35-41 – “ A Barca de Jesus é a Igreja”

Jesus hoje também nos chama para a outra margem, isto é, para um lugar mais próximo Dele, longe do mundo e das suas concepções. Os discípulos tiveram medo mesmo sabendo que Jesus estava presente na barca.  Nós também, quando entramos na Barca de Jesus, que é a Igreja e assumimos o serviço do reino, dentro da comunidade e na nossa família, começamos a temer, pois, achamos que estamos entregues à nossa própria limitação e incapacidade. Dizemos também como aqueles: “Mestre, estamos perecendo e tu não te importas?” O medo é consequência da falta de Fé!   Na nossa vida nas horas de tempestade e tribulação nós, às vezes, temos a sensação de que fomos abandonados e que Jesus não está nem aí para nós. Quantas crises nós também, como Igreja, povo de Deus, como família e como comunidade experimentamos pela nossa falta de fé? Os momentos de dificuldade, de sofrimento, de sufoco são ocasiões propícias para que possamos exercitar a nossa fé. Ainda que a Barca de Jesus balance ao sabor dos ventos contrários, nós, que confiamos no poder do Espírito Santo, não poderemos nos atemorizar. Jesus Cristo tem poder para ordenar ao vento que estremece o mar o da nossa existência: “Silêncio! Cala-te!” Eis que tudo fica calmo quando nós confiamos em Jesus: os nossos medos se tornam fumaça e nós conseguimos atravessar as tempestades, certos de que Jesus não está dormindo, ele apenas espera a manifestação da nossa fé!”  - Você confia que Jesus está no comando da Igreja? – Como você tem atravessado as tempestades da sua vida?  - Você tem sido exercitado (a) na sua fé? -  O que lhe dá medo? – Você já apelou para Jesus ou tenta vencer a tempestade sozinho (a)?   Por que você tem medo? - Você tem consciência de que Jesus está presente na sua vida?  

A semente do reino-Helena Serpa


27/01/2017 - 6ª. Feira  III semana comum  - Hebreus 10, 32-39 – “o justo viverá pela fé
Quando nós perseguimos a justiça e resolvemos abraçar a vivência dos ensinamentos do Senhor são muitas as dificuldades que temos de enfrentar. A provação é uma característica própria da vida de quem se envolve com as coisas de Deus.  “O meu justo viverá por causa da fé”, diz o Senhor, “mas se esmorecer não encontrarei mais satisfação nele”!  As palavras que nós lemos aqui são destinadas, justamente, a todas as pessoas que já começaram a sua caminhada espiritual e que, às vezes, sentem-se desestimuladas a continuar trilhando o caminho proposto por Deus, em vista das perseguições.  Muitas vezes, como nos fala a leitura, nós poderemos ser atribulados, presos em armadilhas, ver confiscados os nossos bens, destruído os nossos sonhos, porém, a perseverança na fé será a arma para que alcancemos o livramento.   Portanto, a nossa fidelidade e a nossa constância manifestam ao mundo a satisfação de Deus por causa de nós. Se, perdermos o alento e desistirmos de buscar “as coisas do alto”, por causa das dificuldades perderemos também o brilho e a luz.  Que possamos também afirmar constantemente e incentivar a todos os que estão conosco nessa caminhada: “Nós não somos desertores, para a perdição. Somos homens, da fé, para a salvação da alma”. – Você é uma pessoa fiel a Deus? – Você tem momentos de desânimo por causa de perseguições? – Como você se mantém firme no caminho? – Você confia no Plano de Deus para a sua vida?


Salmo 36 – “A salvação de quem é justo vem de Deus!”
O salmo nos ensina a nos mantermos firmes no caminho do Senhor. A confiança que tivermos em Deus e o bem que fizermos sobre a terra serão meios eficazes para que conservemos a alegria e recebamos do Senhor tudo o que o nosso coração anseia. O Senhor é o justo juiz que diante dos homens fará brilhar a nossa luz. É ele quem nos sustenta pela mão e nos protege nos momentos de aflição. Justo é, portanto, que esperemos Nele e nos apoiemos nas Suas promessas para nós. Não precisamos desanimar nem perder a coragem porque a nossa salvação vem do Senhor.


Evangelho – Marcos 4, 26-34 “a semente do reino”
Jesus nos conscientiza de que a ação do reino de Deus dentro de nós é como a semente que germina e que dá frutos. O reino dos céus é plantado no interior do nosso coração como uma semente que é semeada na terra. Vai crescendo de mansinho sem que percebamos e, assim como a planta em que aparecem primeiramente, as folhas depois, as espigas e por fim, os grãos que enchem as espigas, o reino vai aumentando aos poucos e mudando a nossa mentalidade, os nossos pensamentos, sentimentos e a nossa maneira de agir. O reino de Deus é semeado em nós pela ação da Palavra que é acolhida e apreendida de coração.  Quando a terra do nosso coração acolhe a semente da Palavra e do Amor de Deus e nós a deixamos germinar, temos como consequência, uma vida frutuosa, plena de abundante utilidade. Mesmo que tenhamos pouca fé, e às vezes nem entendamos muito, Deus vai realizando em nós o grande milagre do amor. E ninguém que haja sido tocado pelo Amor de Deus, poderá ficar estagnado, infeliz e descrente. A Palavra de Deus nos faz ser como árvore que dá abrigo a muitas pessoas e luz que brilha nas trevas do mundo.  De tal modo, haveremos de sair semeando a semente do amor por onde passarmos exalando o seu perfume onde estivermos. -  Você tem notado o crescimento do reino de Deus em você?

- Quais as mudanças que aconteceram em você?  - Você se sente mais feliz, hoje do que antes? - Você já está sendo árvore que dá sombra? – Você exala um perfume de aroma agradável por onde passa?

A paz é fruto da justiça de Deus-Helena Serpa


26/01/2017 – 5ª.feira - Santos Timóteo e Tito - 2 Timóteo 1, 1-8 –  “ o motivador da nossa fé é o Espírito de Deus.  
São Paulo exorta a Timóteo a não descuidar e sempre reavivar a fogo do Espírito Santo recebido no seu Batismo. Timóteo, considerado por São Paulo como um filho espiritual veio de uma família de quem herdou uma fé sincera. Da mesma forma, a exortação de São Paulo serve também para nós hoje. Temos fé, cremos na salvação de Jesus, porém precisamos sempre reavivar a chama do Espírito Santo todos os dias da nossa vida. A fé se manifesta em nós por meio do que ouvimos, apreendemos e vivenciamos, contudo, o motivador da nossa fé é o Espírito de Deus. Se, nos deixarmos levar pela voz do mundo, das nossas ocupações e preocupações, com certeza o fogo do Amor de Deus em nós vai sendo apagado aos poucos e já não conseguiremos mais experimentá-Lo como antes. Portanto, ouçamos e estejamos atentos: “Deus não nos deu espírito de timidez, mas de fortaleza, de amor e sobriedade”. Não podemos nos descuidar e desperdiçar as oportunidades que temos na oração, na meditação da Palavra, no serviço em comunidade, que nos levam pela ação do Espírito Santo, a dar testemunho de nosso Senhor Jesus Cristo, sempre e em todo o lugar. As dificuldades na missão acontecem, justamente para provar a nossa fidelidade e o poder do Espírito Santo agindo em nós. Apesar de sermos fracos (as), o Espírito Santo age em nós e somos transformados (as) em pessoas ousadas, decididas, corajosas e fortes. Como São Paulo, somos também chamados a sofrer pelo evangelho de Jesus Cristo, prisioneiros da Palavra de Jesus, mas fortificados pelo poder de Deus.  – Como você tem reavivado a chama do dom de Deus?  Você tem sido assíduo (a), à reflexão da Palavra, à participação da Eucaristia, ao seu Grupo de Oração? – Você sente o fogo do Amor de Deus no seu coração? – Você tem um espírito decidido?

Salmo 95 – “Anunciai entre as nações os grandes feitos do Senhor!”
Cantai, anunciai, publicai, são verbos no imperativo que nos dão consciência de que a Palavra de Deus é para valer. Não temos outra opção!  Somos criação de Deus e só seremos felizes se nos conscientizarmos de que Ele é o Rei do Universo e só alcançamos o destino para o qual fomos criados se dermos a Ele a glória que é devida ao Seu Nome! “Reina o Senhor”! Este é o anúncio que nos cabe publicar a todos!

Evangelho – Lucas 10, 1-9 – “a paz é fruto da justiça de Deus”

Anunciar o reino de Deus é anunciar o próprio Jesus que permanece muito próximo de cada um de nós. Assim sendo, por meio de nós Jesus deseja, manifestar Sua misericórdia, compaixão e amor. Por isso, Ele quer entrar em toda casa, em todo o coração, levando a paz de Deus que excede a todo o conhecimento humano!  Somos chamados a ser mensageiro da paz de Jesus deixando de lado as coisas que pesam e complicam a nossa vida.   Assim como mandou Seus discípulos, Ele hoje nos manda ir à Sua frente preparar o caminho para que possa chegar perto de todos aqueles (as) que ainda não O perceberam na sua vida.  Deus providencia a paz para quem anuncia que o reino está próximo, porque o trabalhador é digno do seu salário Quem encontrou o reino de Deus, não precisa “preocupar-se” em levar bolsa, sandália, sacola, quando sair em Nome Dele, mas somente apossar-se da paz que é fruto da justiça de Deus para com o homem. Bolsa, sacola, sandálias significam as coisas que acumulamos dentro de nós e que prejudicam o nosso relacionamento com Deus e com os irmãos: ódio, ressentimento, discriminação, julgamentos, riquezas, apegos etc. A nossa missão é muito importante: somos trabalhadores da messe do Senhor, missionários do Seu amor. Ele nos envia e nos orienta a fim de que o nosso trabalho seja frutuoso e não nos percamos no meio do caminho.  É por meio do nosso testemunho de vida com o irmão (ã) que podemos anunciar a proximidade do reino, por isso, Jesus nos mandar ir dois a dois. Os nossos relacionamentos, a nossa convivência fraterna, a unidade com que vivenciamos as nossas diferenças, darão testemunho ao mundo de que já vivemos o reino, aqui, desde já.   – Você já sente no seu coração a paz dos que vivem o reino de Deus? – Você tem dificuldades de relacionamento? – Você precisa do irmão, da irmã de comunidade para viver, ou pode passar sem eles?  – Será que não existe aí perto de você alguém que precisa conhecer a Salvação e a cura? –  Para você é difícil falar de Jesus para alguém? -   Você tem medo de evangelizar as pessoas?

Vida nova pela fé e conversão-Helena Serpa


25/01/2017 – 4ª. feira - Conversão de São Paulo – Atos 22, 3-16 –“Saulo, agora, apóstolo de Jesus e defensor do cristianismo”.
Zeloso pela causa de Deus, Saulo perseguia os cristãos, no entanto, foi escolhido para ter um “encontro pessoal” com Jesus no momento em que, cheio de razões, se dirigia a Damasco com o intuito de prender a todos a quem encontrasse seguindo o Seu nome. Saulo era um ferrenho defensor da Lei, mas lutava contra o próprio Deus e, em nome desta Lei perseguia os seguidores do Filho de Deus. Naquele dia à caminho de Damasco, a sua história mudou e ele, diante da Luz se rendeu impotente, entendendo a grandeza do chamado de Deus e passando a ser apóstolo de Jesus e defensor do cristianismo. Como Saulo, nós também, muitas vezes, achamos que estamos “zelando” pela causa de Deus baseados na lei e nas “obrigações”, porém, na verdade lutamos contra Deus quando não compreendemos o que Ele quer nos revelar. Assim como fez com Saulo o Senhor também providencia a ocasião para que tombemos do cavalo e humilhados, finalmente, percebamos a nossa incoerência. A luz de Jesus não nos deixa mais na dúvida e, diante dela, todos nós somos obrigados a nos abaixar ofuscados pelo Seu poder. Só Deus sabe o caminho certo para nós. A travessia da nossa vida é projeto Dele e Jesus Cristo é o dono da nossa existência. O nosso encontro pessoal com Jesus tem como consequência o colocar abaixo todas as nossas ideias e concepções próprias, vindas da nossa humanidade e do nosso “zelo” exagerado e sem razão de ser das coisas de Deus a fim de nos rendermos ao Seu Amor e assim poder amar mais e compreender o nosso próximo. Assim como aconteceu com Saulo de Tarso poderá também suceder com cada um de nós. Mesmo diante da rebeldia e prepotência que nos impedem de enxergar a verdade o Senhor nos manda os “Ananias” que tiram a venda dos nossos olhos  para que sejamos Suas testemunhas diante de todos os homens. Dar testemunho do Amor de Deus por nós é o que precisamos também fazer. O amor de Deus acontece em nós e nós o fazemos acontecer no mundo. Depois que teve um encontro com Jesus Ressuscitado Saulo não foi mais o mesmo, recebeu o Batismo e começou a pregar em Seu Nome. Nós também fomos batizados em Cristo, portanto, que possamos nos apropriar da verdade que possuímos para sermos cristãos autênticos que irradiam a Sua Luz por entre as nações. - Você já teve um encontro com Jesus? – As suas ideias e os seus propósitos estão compatíveis com o Evangelho? – Para você o que significa cair por terra? – Você já se rendeu a Jesus Cristo e deixou de perseguir os Seus seguidores?  – Com que lente você tem enxergado as pessoas que estão à sua volta: com a lente do mundo ou com a lente de Deus?

Salmo 116 – “Ide por todo o mundo, a todos pregai o evangelho!”
Pregar o Evangelho é dar testemunho do grande amor de Deus a todas as gentes, em todos os lugares e por onde andarmos. O Amor de Deus é comprovado por meio das nossas ações com o nosso próximo, pois quanto mais nos deixarmos amar por Deus mais teremos amor para amar. Assim, podemos festejar e cantar seus louvores, com o coração agradecido porque Ele é fiel para conosco.

Evangelho – Marcos 16, 15-18 – “vida nova pela fé e conversão”

A fé em Jesus Cristo e na Sua Palavra é o primeiro passo para que possamos aderir ao projeto de salvação que o Pai traçou para nós. A liturgia de hoje, então, nos propõe assumir a vida nova que Jesus Cristo veio nos trazer pela fé e conversão.  Converter-se é assumir o compromisso com o reino que Jesus veio instaurar por meio da mudança de mentalidade e da participação efetiva na missão que Ele nos destinou. Consequentemente, quem crer e for batizado, diz o Evangelho, será salvo e quem não crer será condenado. Só podemos mudar a realidade à nossa volta quando também nós conseguimos mudar o nosso coração e somente a fé em Jesus poderá operar em nós as transformações e os milagres. Pela fé em Jesus seremos capazes de fazer as maiores façanhas, como, expulsar demônio, falar novas línguas, pegar em serpentes, beber veneno, curar doentes.  É pela força milagrosa do Amor de Deus que podemos testemunhar os sinais que Jesus nos autorizou realizar. Eles acontecem na nossa vida e na vida daquelas pessoas a quem anunciamos Jesus quando desafiamos as dificuldades, a doença, a morte, a tristeza com a esperança, com a alegria, com o poder do Cristo ressuscitado. Nem precisaremos realizar coisas difíceis nem tampouco muitas obras, mas apenas crer e dar testemunho da ação do Espírito Santo na nossa vida!  Quando falamos a nova linguagem do Amor de Deus nós verificamos as mudanças, as transformações, as conversões em nós e naquelas pessoas por quem oramos e intercedemos! Os demônios que perseguem a humanidade se rendem quando fazemos tudo por amor a Jesus! O pecado, veneno mortal, não consegue mais ter influência na vida daqueles que nos escutam falar em Nome de Jesus! Se formos obedientes ao mandado de Jesus, os sinais, com certeza, nos acompanharão. - Você já percebe estes sinais na sua vida? – Você já usa nos seus relacionamentos a linguagem do amor? - Qual é o maior veneno para a humanidade, hoje? – Qual será o seu antídoto?  – O seu testemunho tem convertido alguém? – Os milagres que acontecem na sua vida, você os tem propagado? – O que você tem esperado acontecer para assumir a missão que o Senhor lhe destinou?