.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

quarta-feira, 29 de junho de 2016

.

PARA ENTRAR NO NOSSO CANAL NO YOU TUBE É SÓ CLICAR AQUI

ou
ou ainda...
 ENTRE NO YOU TUBE E DIGITE: J.SALVIANO
VEJA AQUI MAIS OPÇÕES DE VÍDEOS
No próximo sábado, dia 02/julho, estarei lançando oficialmente o meu novo livro "Fala Senhor...que teu servo escuta!"

Um forte abraço e até lá!

Jorge Lorente
 Escritor e colaborador deste Blog

30 DE JUNHO-QUINTA

“CORAGEM FILHO, OS TEUS PECADOS ESTÃO PERDOADOS!” - Olívia Coutinho

-O paralítico foi perdoado e curado-José Salviano

O pecado tem tamanha influencia em nossas vidas - Alexandre Soledade


 


HOMILIAS DO PRÓXIMO DOMINGO
03 DE JULHO-DOMINGO

A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos-Dehonianos

O Espírito Santo, que nos convence da verdade e ilumina a nossa inteligência-Helena Serpa

PEDRO E PAULO, DOIS GRANDES SANTOS DA IGREJA - Maria de Lourdes Cury Macedo

 


VEJA AQUI MAIS HOMILIAS DESTE DOMINGO

================

 

 

VISITE  A NOVA PÁGINA

REFLEXÕES RECENTES E ANTIGAS

 CLICA AQUI



REFLEXÕES RECENTES E FUTURAS


26 DE JUNHO-DOMINGO

“O FILHO DO HOMEM NÃO TEM ONDE REPOUSAR A CABEÇA.” - Olivia Coutinho.

O CAMINHO DO DISCÍPULO DE JESUS – Maria de Lourdes Cury Macedo

Evangelhos Dominicais Comentados-Jorge Lorente


27 DE JUNHO-SEGUNDA-FEIRA

Seguir Jesus é viver conforme o Seu Evangelho-Helena Serpa

Enterremos o que nos mata!-Fr. José Luís Queimado


28 DE JUNHO-TERÇA-FEIRA
·      

29 DE JUNHO-QUARTA-FEIRA

Jesus Cristo veio à terra para nos salvar e nos libertar do Mau!-Helena Serpa



30 DE JUNHO-QUINTA-FEIRA

“CORAGEM FILHO, OS TEUS PECADOS ESTÃO PERDOADOS!” - Olívia Coutinho

-O paralítico foi perdoado e curado-José Salviano


O pecado tem tamanha influencia em nossas vidas - Alexandre Soledade


01 DE JULHO-SEXTA-FEIRA

-Não vim para chamar os justos-José Salviano

 


02 DE JULHO-SÁBADO


03 DE JULHO-DOMINGO

A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos-Dehonianos

PEDRO E PAULO, DOIS GRANDES SANTOS DA IGREJA - Maria de Lourdes Cury Macedo

 

O Espírito Santo, que nos convence da verdade e ilumina a nossa inteligência-Helena Serpa


04 DE JULHO-SEGUNDA-FEIRA

A fé em Jesus Cristo é que nos salva!-Helena Serpa


05 DE JULHO-TERÇA-FEIRA

Porque temeis, homens de pouca fé?-Dehonianos

 


06 DE JULHO -QUARTA-FEIRA

A primeira aula prática dos doze-Diac. José da Cruz



07 DE JULHO-QUINTA-FEIRA
08 DE JULHO-SEXTA-FEIRA
09 DE JULHO-SÁBADO
10 DE JULHO-DOMINGO

11 DE JULHO-SEGUNDA-FEIRA
TERÇA-FEIRA
QUARTA-FEIRA
QUINTA-FEIRA
SEXTA-FEIRA
SÁBADO
DOMINGO

SEGUNDA-FEIRA
TERÇA-FEIRA
QUARTA-FEIRA
QUINTA-FEIRA
SEXTA-FEIRA
SÁBADO
DOMINGO




========

A primeira aula prática dos doze-Diac. José da Cruz

QUARTA FEIRA DA 14ª SEMANA DO TC 06/07/2016
1ª Leitura  Oséias 10,1 – 3.7.8.12
Salmo  104 (105) , 4b “Procurai continuamente a face do Senhor”
Evangelho Mateus 10, 1-7

                                      “A primeira aula prática dos doze”
Parece que neste evangelho terminou o primeiro período de formação dos apóstolos e agora, chamando-os pelos nomes os que foram aprovados, Jesus irá envia-los para a primeira missão que tem um caráter experimental. O Mestre transfere a eles todos os seus poderes e agora finalmente irão “entrar em campo” para o primeiro jogo, que vale como treino ou um teste.
Um bom técnico de futebol, depois de todas as orientações e treinos técnico e tático, não irá expor a sua equipe em um jogo contra um adversário duro e difícil, mas escolhe uma equipe em igualdade de condições onde o importante é o treino e o exercício. E assim vem a recomendação para que anunciem primeiro as ovelhas perdidas da Casa de Israel, evitando a cidade dos Samaritanos e a terra dos pagãos, locais estes onde a missão será bem mais difícil.
Jesus não está querendo poupar seus apóstolos, ou está discriminando os Samaritanos e Pagãos, antes, quer avaliar como se sairão os seus apóstolos, evangelizando primeiro os de casa. Surge aqui uma boa pergunta a todos nós: em nossas casas, em meio á nossa Família, vivemos de maneira autêntica o Santo Evangelho? Todas as pessoas, inclusive as que conosco convivem, devem ser permanentemente evangelizadas, quer pelo anúncio ou pelo testemunho.
E se em nossa família não convencemos a ninguém, podem ter certeza de que aí no “mundão” a missão será bem mais difícil, pois, para convencer, é preciso que estejamos convencidos pelo anúncio do evangelho, uma vez que ninguém poderá dar algo que não têm.
Há também nesse evangelho o desafio de se ser comunidade. O grupo dos doze tem muitas diferenças, e no meio deles também está Judas, o Traidor. Mas naquele momento estavam unidos em torno da  mesma e única missão : anunciar que o Reino dos Céus está próximo.
Nós cristãos do terceiro milênio não precisamos nos  preocupar com o que fazer, nossa missão é a mesma dos apóstolos e a mesma de Jesus, entretanto, passados três milênios de anúncio e de Vida em Missão, da nossa Igreja, deveríamos estar bem “calejados” para saber que a nossa missão de anunciar o Reino, está no “mundão” onde pessoas tão difíceis como os pagãos e samaritanos daquele tempo, estão a espera de quem lhes anuncie a Verdade que Salva, redime e liberta.  (Diácono José da Cruz – Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim SP -  E-mail cruzsm@uol.com.br



A Messe do Senhor-Diac. José da Cruz


TERÇA FEIRA DA XIV SEMANA DO TC 05/07/2016
1ª Leitura Oséias 8, 4-7. 11-13
Salmo 113(114), 17 “Israel, confia no Senhor; ele é teu amparo e teu escudo”
Evangelho Mateus 9, 32-38

___ Hei  São Mateus, parece que neste seu evangelho os ensinamentos estão todos misturados, isso é, com assuntos diferentes.
São Mateus ____Vejamos então o final do evangelho “ A Messe é grande mas os operários são poucos...”. O que faz primariamente os operários na Messe do Senhor?
___Bom, eles são anunciadores do Evangelho e do Reino...
São Mateus___Está vendo? O evangelho começa a falar de um mudo que foi curado por Jesus e que, quando começou a falar, causou admiração no povo....Ele não falava de qualquer coisa mas anunciava a Boa Nova do Evangelho que o libertara da mudez...
___Então, os operários são poucos, porque a maioria não conhece as maravilhas de Deus e por isso estão “mudos”, não fizeram ainda essa experiência libertadora com Jesus?
São Mateus___Isso mesmo, os poucos que têm, não atendem a demanda, as pessoas querem conhecer algo novo, querem ser libertas e terem algo a anunciar. Se os cristãos não anunciarem, quem irá anunciar?
____Bom, só falta uma coisinha São Mateus...e esse versículo que fala sobre este sentimento de compaixão de Jesus em relação á multidão?
São Mateus ___Jesus nosso Senhor e Mestre presta atenção nas pessoas, não as vê como consumidoras de um produto, mas tem sensibilidade para perceber do que elas precisam. Por isso é movido de compaixão, sofre junto com elas, mas também junto com elas busca algo que as encante,  que dê sentido á sua vida.
____Tudo bem, mas aí no caso, só ele sozinho dava conta do recado! Se  eram como ovelhas sem pastor, agora têm diante de si o melhor de todos os pastores. Por que o apelo para Deus envie mais operários?
São Mateus ____Essa multidão que Jesus vê e pela qual sente compaixão, é toda a humanidade, a do seu tempo, anterior a ele, e a humanidade futura, que precisa ter uma esperança nova, algo inédito que lhes mude a existência. E aí é que entra a Igreja presente no mundo aí no ano de 2014. A Igreja, como Jesus, teve ser movida pela compaixão ás pessoas, percebendo que a real necessidade delas, para serem felizes e realizadas, é tomarem  consciência de que são filhas de Deus.
___Pronto São Mateus, fechou o pensamento: nossa Igreja é formada pelos operários que somos cada um de nós, e a nossa missão primeira é trabalhar na grande messe, anunciando o evangelho a todos, porém, nosso método de trabalho, deve ser exatamente igual ao método de Jesus, ter compaixão, sofrer junto com os que sofrem, e perceber suas necessidades básicas onde descubram a Deus que é todo amor, nisso consiste a Boa Nova anunciada.  (Diácono José da Cruz – Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim SP-
E-mail cruzsm@uol.com.br)



Cura e Ressurreição: sinais do Reino-Diac. José da Cruz


SEGUNDA FEIRA DA XIV SEMANA DO TC 04/07/2016
1ª Leitura Oséias 2, 16-17b
Salmo 144(145) “O Senhor é clemente e compassivo”
Evangelho Mateus 9, 18-26
                                                 “Cura e Ressurreição: sinais do Reino”
A cura de todo tipo de enfermidades e a ressurreição de mortos, eram por excelência sinais de que o Reino Messiânico havia chegado e estava no meio dos homens. Quando restringimos o nosso foco á cura física e a ressuscitação de cadáveres, estamos esvaziando a nossa Fé Cristã que é tão rica e eficiente.
Jesus não ressuscitou todos os que morreram, no seu tempo, e nem curou todos os enfermos do seu tempo, mas os relatos principais dessas curas e prodígios, são uma resposta a Fé das pessoas por ele curadas ou ressuscitadas. Milagres são necessários e acontecem ainda hoje mas como um meio e não como o fim, e aqui não falamos dos milagres televisivos das igrejas da Mídia, mas sim das nossas comunidades cristãs, onde o poder de Jesus continua a ser manifestado.
Mas que milagres são esses? Quase não ouvimos falar neles? Parece que os Néo –Pentecostais fazem muito mais sucesso do que a nossa Igreja Católica. Se pensarmos nos milagres apenas físicamente, vamos ser obrigados a admitir que nossa atuação é muito fraca nesse campo. Prestem atenção no que o evangelista diz desse Chefe que se aproximou de Jesus...”aproximou-se, inclinou-se profundamente diante dele e disse ...Minha Filha acaba de morrer: Mas vem, impõe suas mãos sobre ela e ela viverá....” Aproximar-se e inclinar-se significa que ele encontrou em Jesus o Deus da sua vida, depois professa sua Fé de que Jesus é também o Deus da Vida, que consegue com a imposição de mãos, reanimar a Vida de quem estava morto.
Há tantos sinais de morte em nossos tempos, não só da morte física, mas a relação é muito grande: morte dos casais que se separam, de pais e filhos que não mais se entendem, de jovens vítimas das drogas e da dependência química, da morte das injustiças sociais, desigualdades, preconceitos, da morte das divisões, da violência e dos desentendimentos, da morte da honestidade e da integridade humana. Tudo isso é um processo de morte que está aí no quotidiano. No Poder de Jesus, o que nós cristãos estamos fazendo? Se como este Chefe não acreditarmos em Jesus como o Deus Supremo da Vida, não veremos o milagre acontecer.
Mas a nossa Fé tem de ser de qualidade, segura e consistente como o dessa mulher, que nem exigiu de Jesus um ritual de cura, e para ela foi suficiente tocá-lo em meio a multidão e Jesus faz questão de identifica-la pois agora ela não é mais uma anônima em meio a multidão, mas um exemplo de Fé. E fica então a segunda pergunta desta reflexão:  nossas ações cristãs, movidas pela Fé, nos identifica perante o mundo como Homens e Mulheres que creem, ou continuamos a ser Cristãos anônimos, sem nenhum compromisso em fazer o Reino acontecer?  (Diácono José da Cruz – Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim SP – E-mail cruzsm@uol.com.br)



SOLENIDADE PEDRO E PAULO-Diac. José da Cruz


SOLENIDADE PEDRO E PAULO 3/07/2016
1ª Leitura Atos 12, 1-11
Salmo 33(34),5 “Procurei o Senhor e ele me atendeu, livrou-me de todos os temores”
2ª Leitura 2Timóteo, 4-6-8.17-18
Evangelho Mateus 16, 13-19
As Colunas da Igreja...
Festa de São Pedro e São Paulo, que celebramos nesse domingo, nos faz pensar na origem de nossas comunidades. Como tudo começou? Quando foi a primeira celebração, quem fez? Como é que a comunidade cresceu e se desenvolveu para chegar aos dias de hoje? Uma coisa é muito certa, o fundador ou fundadores, deve ter feito uma experiência muito profunda com Jesus Cristo, pois sem isso, a comunidade não teria um alicerce, alguém em quem apoiar-se para poder crescer e cumprir a sua missão.
Comecemos a falar primeiro de Paulo, cuja teologia, isso é, o modo como ele começou a pensar as coisas de Deus, depois do encontro com Jesus no caminho para Damasco, foi tão marcante na vida das comunidades, que esse apóstolo é mencionado como o segundo fundador da nossa Igreja. De fato, seria difícil pensarmos em uma igreja universal, presente no mundo inteiro, em outras culturas e nações, sem nos lembrar de Paulo, aquele que pregou aos gentios que eram pessoas de outra cultura. Paulo não ficou só na mística, se assim o fizesse, teria fundado uma outra religião e arrastaria milhares de adeptos, porém, sistematizou alguns pontos doutrinários importantes, organizou as comunidades que havia iniciado, e o mais bonito, mesmo pensando um pouco diferente do Chefe dos Apóstolos, manteve-se firme em comunhão com ele e os irmãos da Igreja de Jerusalém, com quem aliás, sempre foi solidário , ao organizar coletas que levava para a Igreja mãe.
São Paulo é o modelo fiel do cristão autêntico, que faz a experiência com Jesus, se encanta com o seu ensinamento, desfaz o seu projeto de vida por causa dele e torna-se um fiel seguidor do evangelho, dando por ele a própria vida como aconteceu em seu martírio.São Paulo sempre acreditou nas comunidades, mesmo quando havia indícios de desunião, problemas internos, contendas e divisões, acreditava nas pessoas e mantinha com elas uma boa relação, mesmo que se tratasse de Pedro, que tinha uma linha mais tradicionalista, causa de algumas divergências bastante sérias entre ambos mas Paulo nunca deixou de amá-lo por causa disso. Ele mesmo manifestava essa sua flexibilidade, quando afirmava que se fazia um com todos e não tinha dificuldade de conviver com as pessoas. Outra coisa importante na pessoa de Paulo, é que ele promoveu uma ação evangelizadora em ambiente hostil á Cristo e ao seu evangelho, era corajoso e nunca teve medo de anunciar a Verdade. Isso nos leva a pensar que muitas vezes somos negligentes, quando ficamos esperando que as pessoas venham procurar nossa pastoral ou movimento, parece que a gente não se sente seguro para falar do evangelho no meio do mundo, lá onde as pessoas precisam escutar esse anúncio, porque achamos que não vão gostar e que algumas vão ser contra. Se São Paulo pensasse assim, milhares de pessoas, ontem e hoje, não teriam conhecido a Jesus.
São Pedro é chamado o príncipe dos apóstolos, isso é, aquele que iniciou o apostolado, e vemos no evangelho de hoje, porque o próprio Cristo o constituiu chefe da sua igreja. Ele conseguiu enxergar em Jesus algo muito mais do que se falava, o povo via nele um Messias Profeta, comparável a João Batista ou a Elias, outro grande profeta na História de Israel, mas esse pensamento era fruto de uma ideologia, e a era messiânica que todos aguardavam com ansiedade, representava uma nova política, uma inversão do quadro, o Messias era um libertador Político, enviado por Deus sim, porém, com uma missão terrena.
O apóstolo Pedro, que fala em nome do grupo, consegue fazer essa transição, do Messias Histórico e Ideológico, para o Messias Espiritual, ele não era enviado por Deus mas sim o próprio Deus. O que Jesus falava e fazia, todos viam, e a partir disso embalavam o sonho e a esperança de dias melhores para o povo de Israel, mas sempre em uma perspectiva terrena.
A confissão de Pedro manifesta pela primeira vez no meio do grupo, a Fé em uma Salvação que supera toda e qualquer realização humana, onde o homem atinge a plenitude do seu ser, divinizando aquilo que é humano. Cesaréia de Filipe é terra de pagãos, cercado por rochas sobre as quais há edificações habitadas pela elite do império romano. A igreja de Cristo está no meio do mundo, porém edificada sobre a fé professada por toda comunidade, que tem como base a fé professada por Pedro, naquele dia.
Como Pedro e Paulo, que sejamos nessa igreja um apoio seguro para os que ainda não crêem, porque não conhecem a Cristo e acima de tudo, nunca nos esqueçamos que Jesus Cristo edificou o reino sobre pessoas como Pedro e Paulo, instrumentos aparentemente fracos, mas que pela ação da graça operante e santificante do Batismo que receberam, tornaram-se perenes, transpondo fronteiras e todas as barreiras que separa os homens, para anunciar Jesus Cristo, o Filho de Deus, aquele que plenificou o nosso existir. ( Diácono José da Cruz - Paróquia Nossa Senhora Consolata - Votorantim SP - E-mail jotacruz3051@gmail.com.br) )






Quando o Jejum não têm sentido-Diac. José da Cruz


SÁBADO DA XIII SEMANA DO TC 02/07/2016
1ª Leitura Amós 9, 11-15
Salmo 84 (85), 9 “Escutarei o que diz o Senhor Deus, porque ele diz palavras de paz ao seu povo”
Evangelho Mateus 9, 14-17
                                                 “Quando o Jejum não têm sentido”
Aviso aos navegantes: este evangelho não é uma crítica a quem tem o costume de jejuar, Jesus não é contra o jejum, ele mesmo jejuou no deserto por 40 dias quando se preparava para iniciar o seu ministério publicamente. O problema aqui é outro, por que jejuar ? Os discípulos de João e os Fariseus jejuavam, mas os discípulos de Jesus não. O que isso significa?
Naquele tempo o jejum também era uma forma de suplicar a Deus para que mandasse o prometido Messias pois Jejum ( que significa estar privado de alimentação que é essencial) queria significar exatamente isso, que sem o Messias Enviado de Deus, o homem estava privado da Verdadeira Vida. Jejum era dizer a Deus, que mais importante do que o alimento material que sustenta o corpo, era o alimento da Salvação, que alimentava a alma.
Pronto! Agora ficou fácil entender a censura que Jesus faz nesse evangelho. Exatamente porque os seus discípulos já estavam saboreando a bênção e a graça do seu messianismo, enquanto que os discípulos de João e os Fariseus, mais preocupados em seguir a Lei e a tradição, ainda estavam a espera do tal Messias, sem se dar conta de que ele já estava no meio deles.
Tudo o que os outros suplicavam e esperavam, para que suas vidas fossem mudadas, os discípulos de Jesus já estavam experimentando essa mudança interior. O Jejum de hoje tem quase esse mesmos sentido, nosso único e verdadeiro alimento é Deus pois dele em Jesus Cristo nos vêm a Vida Nova, é portanto, apenas Dele que temos necessidade. Jejuar na quaresma, nos dois dias determinados pela Igreja: Quarta Feira de Cinzas e Sexta Feira Santa, é reafirmamos a nossa Fé e esperança em Cristo Jesus, pois a sua morte na cruz tornou possível  essa Vida Nova em nós, cuja necessidade supera até a nossa fome material. Claro que o jejum vem acompanhado pela oração e práticas de caridade, sem isso, ele não têm sentido nenhum e de nada nos valerá. (Diácono José da Cruz - Paróquia Nossa Senhora Consolata - Votorantim SP - E-mail jotacruz3051@gmail.com.br)




Jesus chama Mateus-Diac. José da Cruz

SEXTA FEIRA DA 13ª SEMANA DO TC – 01/07/2016
1ª Leitura Amós 6,406.9-12
Salmo Mt 4,4  "Está escrito: não só de pão vive o homem, mas de toda palavra que precede da bpca de Deus"
Evangelho Mateus 9, 9-13
“Jesus chama Mateus, um escândalo para os Fariseus...”
___Olha São Mateus,  o Senhor poderia nos falar sobre aquele dia que o Mestre passou na sua banca e o chamou para ser discípulo?
___Bom, foi um dia inesquecível, eu pensei que o Galileu fosse pagar algum imposto, mas de repente vi o seu olhar sobre mim, não era um olhar acusador como o da maioria do povo, mas era um olhar firme, que me deixou encantado, suas palavras apenas expressaram o que os seus olhos já me haviam dito...
___É Verdade que o Farisaísmo entrou em polvorosa?
___Nossa, e como ! Eles consideravam muito o Mestre e tinham grande admiração e respeito por ele, mas certas atitudes os desconcertavam, e esse chamado que ele me fez, ali diante deles, foi realmente muito desconcertante, imagine eu, um Cobrador de impostos, explorador do povo e a serviço do poder romano, ser chamado por Jesus. E o que é pior, ele foi jantar em minha casa naquela noite....Deu o maior "buchicho"
___Pois é, percebe-se no seu relato, eles começaram a "apertar" os discípulos, o por que desse jantar em sua casa...
___Sim, mas não só isso, meus amigos cobradores de impostos também vieram, achei que o Mestre iria nos fazer um discurso moralista, prá gente mudar de vida e ....
___Ué, mas então ele não pregou a palavra, não fez ameaças para vocês se converterem? Pensei que ele tivesse dado uma "dura" no seu grupo de pecadores...
___Pois é, eu também pensei assim, e até achava que aquele jantar seria bem chato, pelo clima que o Mestre iria criar. Mas...me surpreendeu o fato dele ter ficado á vontade em minha casa, sabe, parecia um de nós, comia, bebia, falava, ria de coisas gozadas que a gente falava, e uma hora até ameaçou uma dança, como era nosso costume....Foi uma festa imemorável, descobri que ele nos queria muito bem, apesar de sermos uns "casos perdidos".
___Então não foi o discurso ou ensinamento que te levou a mudar de vida e segui-lo ?
___Não, de modo algum! Foi a sua atitude e o modo como se relacionou comigo e com os outros, Jesus é simplesmente encantador, é impossível não segui-lo, quando se experimenta o quanto ele nos ama... daí sim é que vem a conversão.....
___Conclusão: daí o Império Romano perdeu um excelente cobrador, e o Mestre ganhou um novo discípulo, e nós enquanto igreja,  ganhamos um grande Santo e Apóstolo.......(Diácono José da Cruz - Paróquia Nossa Senhora Consolata - Votorantim SP - Email jotacruz3051@gmail.com.br )