.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

quinta-feira, 28 de julho de 2016

.

PREZADOS LEITORES
VAMOS AUMENTAR OS ACESSOS. MANDE O LINK DESTE BLOG PARA SEUS AMIGOS E PARENTES


29 DE JULHO-SEXTA-FEIRA





PARA ENTRAR NO NOSSO CANAL NO YOU TUBE É SÓ CLICAR AQUI
ou
ou ainda...
 ENTRE NO YOU TUBE E DIGITE: J.SALVIANO
VEJA AQUI MAIS OPÇÕES DE VÍDEOS



HOMILIAS DO PRÓXIMO DOMINGO

A FELICIDADE ESTÁ NAS COISAS SIMPLES – Maria de Lourdes Cury Macedo.

·      
·                     18º DOMINGO DO TEMPO COMUM-Dehonianos


VEJA AQUI MAIS HOMILIAS DESTE DOMINGO
================


VISITE  A NOVA PÁGINA
REFLEXÕES RECENTES E ANTIGAS
 CLICA AQUI

REFLEXÕES RECENTES E FUTURAS
25 DE JULHO-SEGUNDA-FEIRA
·                     O pedido da mãe-Canção Nova

26 DE JULHO-TERÇA-FEIRA
·                     O que vemos e o que ouvimos-Helena Serpa

27 DE JULHO-QUARTA-FEIRA


28 DE JULHO-QUINTA-FEIRA




29 DE JULHO-SEXTA-FEIRA




30 DE JULHO-SÁBADO

·                     A morte de João Batista-Dehonianos

31 DE JULHO-DOMINGO

A FELICIDADE ESTÁ NAS COISAS SIMPLES – Maria de Lourdes Cury Macedo.

“TOMAI CUIDADO COM TODO TIPO DE GANÂNCIA...” - Olivia Coutinho

·                     18º DOMINGO DO TEMPO COMUM-Dehonianos

01 de AGOSTO-SEGUNDA-FEIRA
·                     Cinco pães e dois peixes-Dehonianos



02 de AGOSTO-TERÇA-FEIRA

03 de AGOSTO-QUARTA-FEIRA

A Graça Poderosa atinge a todos.-Diac. José da Cruz


04 de AGOSTO-QUINTA-FEIRA

05 de AGOSTO-SEXTA-FEIRA

06 de AGOSTO-SÁBADO

07 de AGOSTO-DOMINGO

08 de AGOSTO-SEGUNDA-FEIRA

Um Reino do Céu, mas que está na terra-Diac. José da Cruz


09 de AGOSTO-TERÇA-FEIRA
10 de AGOSTO-QUARTA-FEIRA
11 de AGOSTO-QUINTA-FEIRA

12 de AGOSTO-SEXTA-FEIRA

A decisão de amar por toda a vida, não pode ser revogada-Diac. José da Cruz


SÁBADO
DOMINGO
SEGUNDA-FEIRA
TERÇA-FEIRA
QUARTA-FEIRA
QUINTA-FEIRA
SEXTA-FEIRA
SÁBADO
DOMINGO

========


Lázaro. Vem para fora!-José Salviano



O Evangelho de hoje mostra claramente as  duas pessoas de Jesus. Os seus dois lados o humano e o divino.  O Jesus-homem  ficou tão triste com a morte do amigo, que até chorou. O Jesus-Deus, apesar da demora, chegou na casa de Marta e mandou ver. Num grito forte, Ele devolveu a vida do seu amigo, para o espanto dos seus inimigos ali presentes. Lázaro. Vem para fora!  Reparem que Jesus antes de dizer esta frase, fez uma oração ao Pai, e pediu que aquela manifestação de seu poder divino fosse para que todos cressem que Ele era o enviado de Deus.   
        Como em todo velório, estavam presentes na casa de Lázaro pessoas que realmente eram amigas sinceras e, portanto pesarosas com a sua morte, por outro lado, também estavam ali, os falsos amigos, fingindo pesar pelo acontecido, porém cochichavam aos cantos dizendo que se Ele era poderoso e tão amigo de Lázaro, por que não veio logo para socorrer? Por que deixou o pior acontecer?
        Lázaro, que era de Betânia, apesar de ser um judeu, era um homem honrado que tinha herdado uma boa herança, incluindo vinhedos e um sepulcro na propriedade que era uma caverna natural em uma pequena elevação do terreno de cerca de dez metros, no qual os seus ancestrais haviam sido sepultados.
        Como naquele tempo não havia telefone, nem ônibus ou qualquer meio de comunicação, as irmãs de Lázaro, Maria e Marta, enviaram um mensageiro até Jesus para avisar-lhe da doença de seu amigo com relativa antecedência. Ao receber o recado, Jesus não esquentou a cabeça, e disse: 'Esta doença não leva à morte;
ela serve para a glória de Deus, para que o Filho de Deus seja glorificado por ela.'

          Ao contrário do que se esperavam, Jesus  não se apressou em ir à casa de seu amigo, pelo contrário, Jesus ficou ainda dois dias no lugar onde se encontrava.
        E muitos estranharam a calma de Jesus, a sua demora em atender ao pedido de socorro urgente da irmã de seu amigo.
        Por que será que Jesus geralmente não atende os nossos pedidos de socorro prontamente? Na hora que lhe pedimos, do jeito que lhe pedimos?
        Outro dia uma senhora viúva estava se lastimando que vieram morar ao lado de sua casa uns vizinhos injustos que lhe incomodavam  com muitos tipos de barulhos: festas e bebedeiras, gritos, aparelhos de sons ligados a todo volume até altas horas, cinco cachorros que não param de latir, entre outros abusos. Ela tentou dialogar no início, e eles a trataram mal e disseram para ela se mudar. Aquela pobre e desvalida senhora começou a rezar diariamente, mas nada mudou. Parece que Deus não me ouve! Disse ela com lágrimas nos olhos. Meu sofrimento é muito grande! ...
        Iguais a esse caso temos milhares de outros acontecendo neste momento pelo mundo inteiro. As pessoas injustiçadas rezam, e o sofrimento continua. Por quê? Será que Deus nos abandona, às vezes?
        Caro leitor. O tempo de Deus é diferente do nosso tempo. Muitas vezes pedimos, mas pedimos mal. Muitas vezes só nos lembramos de Deus quando o circo pega fogo. Muitas vezes pedimos sem a devida fé, sem a devida caridade, ou seja, pedimos o mal para o nosso agressor, como por exemplo, a sua morte. Ou nos esquecemos dos nossos pecados, esquecemos que somos pecadores e que o sofrimento  nos é muito útil para a nossa purificação. Se você se encontra em uma situação semelhante a que mostramos, não se desespere. Não pare de rezar.  Não perca as esperanças, e jamais se revolte contra Deus! Pelo contrário, ofereça o seu sofrimento como penitência pelos seus pecados que, com certeza, não devem ser poucos, assim como os pecados de todos nós.
        E, assim como aconteceu a Marta, Jesus vai atender os seus clamores, embora pareça de início, que Ele nos ignora. Deus não nos abandona. Nós é que nos afastamos de Deus. Poderíamos repetir a frase de Marta quando Jesus finalmente chegou, com outras palavras: "Jesus, se você estivesse aqui, nada disso estaria acontecendo." E Jesus poderia nos responder. Se Você estivesse  realmente comigo, isso não teria acontecido.       
        Ah! Aquela senhora hoje está fora de perigo. No terreno daquela casa maldita, está sendo construído um prédio. Espera-se que seus novos vizinhos não a incomodem também!
        Jesus demorou para atender o pedido de Marta, porque sabia exatamente o que iria fazer.  'O nosso amigo Lázaro dorme. Mas eu vou acordá-lo.'
        Mãe, não se desespere se seu filho está preso, baleado ou coisa parecida. Continue pedindo a Deus por ele! Pode demorar, mas o socorro de Deus não lhe faltará. Às vezes Deus permite o sofrimento para testar a nossa fé. Para ver até onde realmente somos fiéis. Para ver até onde somos realmente o que mostramos ser diante das pessoas. Apresentamo-nos confiantes, seguros, e diante do perigo molhamos as calças, amarelamos, porque na verdade, a nossa fé não é tão grande quanto parece. " ...por que temeis, homens de pouca fé?"  foi o que Jesus disse naquele dia em que os discípulos tremeram nas bases, acharam que iriam morrer por causa daquela tempestade!
        Caríssimos. Vamos ter mais confiança em Deus! Naquele que disse: 'Teu irmão ressuscitará.' 'Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, mesmo que morra, viverá. E todo aquele que vive e crê em mim, não morrerá jamais. Crês nisto?' 
            Para merecermos  o pronto atendimento de Jesus, além de crermos, também precisamos evitar o pecado.
        Paulo em sua carta aos Romanos escreveu sob a inspiração do Espírito Santo que aqueles que vivem segundo a carne não podem agradar a Deus. E nos recomenda para que vivamos segundo o Espírito, para que este mesmo Espírito possa morar  em nós.
        Prezados irmãos: Para não viver preso aos prazeres da carne, primeiro precisamos fazer o jejum dos olhos. Evitar olhar a toda a imagem que nos incita ao pecado carnal. Então se dominarmos os pecados da carne, poderemos então ser morada do Espírito Santo e realmente pertencer a Cristo, conforme as palavras inspiradas de Paulo.
        Confiemos em Deus, porém faremos por onde merecer o que diariamente lhe pedimos.



Tenha um bom dia . José Salviano

JESUS VISITA MARTA E MARIA -Canção Nova



As duas irmãs acolhem Jesus. Querem servir bem a Jesus. Só que de modos diferentes. Uma pela escuta atenta. Maria não se preocupa. Senta-se aos pés de Jesus como os discípulos no Oriente se sentam aos pés de seu mestre. Marta repreende Maria. Jesus a defende. Para ele basta pouca coisa. Marta passa a imagem daquela mulher trabalhadora, dona de casa, que tem prazer em receber as visitas e acolhê-las, desmanchando-se em cortesias. Ela é a típica mãezona das nossas cidades interioranas. As casas dessas senhoras são impecáveis em matéria de limpeza e organização. Os enfeites na geladeira, na estante da sala, nas paredes… A comida deliciosa, feita na hora e servida até a visita dizer que não agüenta mais comer. Só quem visita uma casa que tem uma “Marta” sabe o que é ser bem acolhido.
A alegria de mulheres assim é ver que a sua ilustre visita se sente bem em sua casa. Esse é o maior prazer que ela pode sentir. Mas esta atitude não basta para Jesus. Acabamos de ouvir como no Evangelho, quando Marta pede que Jesus mande sua irmã Maria ajudá-la. É bem provável que Jesus tenha dado aquele sorriso acolhedor para Marta, e as suas palavras devem ter sido bem mais amenas do que as escritas por Lucas. Jesus deve ter dito, com um sorriso: “Ô Marta, por que te preocupas tanto? Isso que você está fazendo é importante, mas vocês podem deixar para fazer noutra hora. Maria escolheu a melhor parte! Não a recrimine. Mais tarde ela vai lhe ajudar. Por enquanto, sente-se aqui conosco”. E Marta deve ter percebido que, de fato, estava deixando passar uma oportunidade rara de receber os ensinamentos do mestre Jesus, e deve ter se sentado para ouvi-lo.
Portanto, o importante é ouvir. Jesus certamente apreciava o trabalho de Marta, mas não aprovava que ela pensasse só no trabalho. Hoje devemos juntar as duas coisas: o trabalho e a escuta da Palavra, porque a melhor parte não é aquela que multiplica as coisas; a melhor parte é aquela que torna Deus presente em nós; então, o silêncio é mais eloqüente do que todas as palavras. No meio da escuridão do mundo de hoje, a escuta se torna difícil.
Vivemos num mundo apressado hoje. Corre para aqui corre para lá! Mas nos esquecemos que correr não quer dizer crescer. Na fúria consumista, o homem perde os valores da contemplação e da prece. O Senhor pede para parar um pouco e ouvir. Escute Deus falar-lhe das coisas do céu! Não tenha pressa de sair  quando está na missa. Ou na oração. Esqueça o tempo do mundo e viva o tempo da graça de Deus e com Deus.
Você escuta voluntariamente a Palavra de Deus? Na missa, o sermão não se torna enjoativo? O povo prefere estar parado na frente da televisão. O jornal e o rádio têm preferência à palavra divina proclamada na igreja.
Eu não saí muito da Santa Marta original do Evangelho… Todavia, conheço bem as “Santas Martas” que convivem em nosso meio: mães, avós, tias, vizinhas, amigas, que nos acolhem tão bem em suas casas, por mais ingratos que sejamos. Elas apenas oferecem o que têm de melhor. E, às vezes, precisam ser lembradas que ainda mais importante do que deixar a casa impecável para recebê-lo, é preciso abrir a porta do coração para receber Jesus.
Pai, que o meu agir não seja movido por um ativismo insensível à Palavra de Jesus. Antes, seja toda a minha ação decorrência da escuta atenta da Palavra do Teu Filho que é o Caminho, a Verdade e a Vida.



“TOMAI CUIDADO COM TODO TIPO DE GANÂNCIA...” - Olivia Coutinho

 
18º DOMINGO DO TEMPO COMUM
 
Dia 31 de Julho de 2016
 
Evangelho de Lc12,13-21
 
 
A ausência de Deus  desvia o homem de sua verdadeira origem! A obsessão pela riqueza, cega a pessoa, tornando-a gananciosa. Quem é  ganancioso está distante de Deus, porque não enxerga o outro, não é sensível ao seu sofrimento.
Devemos ter cuidado para não cairmos na tentação da riqueza, de  querer colocar a garantia do nosso futuro nos bens materiais.
O melhor investimento que podemos fazer, é tornarmos  ricos diante de Deus preservando os  valores que devem nortear a nossa vida, como  o  amor, a fraternidade,  o perdão... Estes sim, são os bens que nos garantirão estabilidade no futuro, uma valiosa herança, que é a presença contínua de Deus nesta e na outra  vida!
No evangelho que a liturgia deste Domingo nos convida a refletir, Jesus  nos alerta, sobre o perigo de estarmos voltados para os bens terrenos e  não buscarmos os bens eternos!
Quando deixamos nos iludir pelas coisas materiais, entra em nós a ganancia, a  ganancia nos cega para as coisas de Deus.  Uma pessoa gananciosa está sempre focada nas coisas materiais, torna escrava de si mesma, nunca se satisfaz com o que têm, está sempre querendo algo mais!
O texto que nos é apresentado começa dizendo que alguém no meio da multidão, pede a Jesus para interferir numa questão relacionada a uma herança de família. Jesus não intervém, mas aproveita a oportunidade para nos passar um grande ensinamento: ”Tomai cuidado contra todo tipo de ganância, porque mesmo que alguém tenha muitas coisas, a vida de um homem não consiste na abundância de bens.” E para esclarecer, Jesus  conta a parábola de um homem rico, que gastou a sua vida acumulando bens, e com isto perdeu a oportunidade de construir aqui na terra a sua morada no céu!
Com esta parábola, Jesus nos adverte sobre o perigo que corremos, quando depositamos a nossa segurança nos bens terrenos! O acúmulo de bens, a ostentação, nos torna pessoas frias, insensíveis, fechados no nosso mundo particular e consequentemente afastados de Deus. 
Na narrativa, confronta-se a lógica do homem com a lógica de Deus: a lógica do homem, é guardar, acumular, ter sempre mais, enquanto que a lógica de Deus, é deixar-se, é abandonar-se é desprender-se, é dar-se...
Os ensinamentos que Jesus nos passa no dia de hoje, são desafiadores, principalmente para aqueles que tem “alma de rico” isto é, que se deixa levar por atitudes egoísticas.
Jesus é a nossa maior riqueza, Ele é o sinal por excelência do amor do Pai, aderir a sua proposta de vida nova é a garantia de um dia recebermos como herança, o único bem que não perece, o bem maior, que é a vida eterna! Vida eterna, que já podemos experimentá-la aqui na terra, quando vivemos de acordo com a vontade de Deus, quando fazemos da nossa vida, uma oferta de amor e de gratuidade. 
Uma vida frutuosa, não se mede por aquilo que se tem, e sim, por aquilo que se é! Não alcançamos a plenitude pelo o que temos, e sim, pelo o que somos!
É no mais profundo do nosso ser, que cultivamos o nosso bem maior: o amor infundido por Deus em nossos corações é este amor que nos une como irmãos, que nos faz abrir à partilha. 
 
FIQUE NA PAZ DE JESUS! – Olívia Coutinho
Venha fazer parte do meu grupo de reflexão no Facebook: