.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

.

29 DE ABRIL-SEXTA

“VÓS SOIS MEUS AMIGOS, SE FIZERDES O QUE EU VOS MANDO.” – Olivia Coutinho



HOMILIAS DO PRÓXIMO DOMINGO
01 DE MAIO-DOMINGO

“SE ALGUÉM ME AMA, GUARDARÁ A MINHA PALAVRA...” – Olivia Coutinho

Aqueles que não estão em sintonia com o projeto do Pai agem por ignorância-Helena Serpa


VEJA AQUI MAIS HOMILIAS DESTE DOMINGO

================

 

 

VISITE  A NOVA PÁGINA

REFLEXÕES RECENTES E ANTIGAS

 CLICA AQUI



REFLEXÕES RECENTES E FUTURAS


VEJA AQUI MAIS HOMILIAS DESTE DOMINGO





25 DE ABRIL-SEGUNDA

“IDE PELO MUNDO INTEIRO E ANUNCIAI O EVANGELHO..." Olivia Coutinho

ENVIADOS PELO SENHOR” (Pe. Jaldemir Vitório)


26 DE ABRIL-TERÇA

“DEIXO-VOS A PAZ, A MINHA PAZ VOS DOU”. – Olivia Coutinho


27 DE ABRIL-QUARTA


28 DE ABRIL-QUINTA

“COMO MEU PAI ME AMOU, ASSIM TAMBÉM EU VOS AMEI.”- Olivia Coutinho




29 DE ABRIL-SEXTA

“VÓS SOIS MEUS AMIGOS, SE FIZERDES O QUE EU VOS MANDO.” – Olivia Coutinho






30 DE ABRIL-SÁBADO

Deus guia os nossos passos na medida em que enfrentamos os obstáculos-Helena Serpa



01 DE MAIO-DOMINGO

“SE ALGUÉM ME AMA, GUARDARÁ A MINHA PALAVRA...” – Olivia Coutinho

·      

Aqueles que não estão em sintonia com o projeto do Pai agem por ignorância-Helena Serpa


02 DE JUNHO SEGUNDA-FEIRA

03 DE JUNHO TERÇA-FEIRA
04 DE JUNHO QUARTA-FEIRA
05 DE JUNHO QUINTA-FEIRA
06 DE JUNHO SEXTA-FEIRA
07 DE JUNHO SÁBADO
08 DE JUNHO DOMINGO

segunda-feira
terça-feira
quarta-feira
quinta-feira
sexta-feira
SÁBADO
DOMINGO

segunda-feira
terça-feira
quarta-feira
quinta-feira
sexta-feira
SÁBADO
DOMINGO

segunda-feira
terça-feira
quarta-feira
quinta-feira
sexta-feira
SÁBADO
DOMINGO



========









“VÓS SOIS MEUS AMIGOS, SE FIZERDES O QUE EU VOS MANDO.” – Olivia Coutinho

 
Dia 29 de Abril de 2016
 
Evangelho de Jo15,12-17
 
Quem se abre ao amor de Jesus, tem a sua vida transformada! Jesus é a fonte de água viva que irriga todo o nosso ser!
Ao se fazer conhecido, Ele nos possibilita conhecer o Pai, pois toda a sua comunicação é oriunda do Pai!
Jesus ama o Pai e nos ama como o Pai o ama e nós somos chamados a amar o irmão como Jesus nos ama! 
O amor de Jesus vai impregnando em nós, à medida da nossa obediência ao seu mandamento!
A alegria de quem vive no amor é transbordante! Não é uma alegria momentânea como vemos por aí, pelo contrário, é uma alegria duradoura, consistente, porque é de origem Divina! 
Somos chamados a viver uma intimidade profunda com o Pai, fazendo a experiência do amor do Filho que nos acolhe como amigos!
Assim como Jesus foi fiel ao querer do Pai, nós também devemos ser fieis ao seu mandamento, amando o outro como Ele nos ama!
O amor é a força que nos move, que nos leva ao encontro do outro!
No evangelho que a liturgia de hoje nos apresenta, Jesus, ao conscientizar os discípulos sobre a importância da obediência ao seu mandamento, chama a nossa atenção para a importância de vivermos como irmãos, na partilha, na fraternidade!
A nossa intimidade com Jesus, começa com o acolhimento à sua palavra, é esta intimidade com o Filho, que nos coloca no coração do Pai! 
Apalavra de Jesus não tem tempo de validade, ela é sempre atual, tudo que Jesus falava para os discípulos de ontem, vale para nós também, os discípulos de hoje!
O crescimento de um Reino de amor, de justiça e de paz, tão sonhado por Jesus, se faz através da relação humano com humano, é por isto que Ele insiste: “Amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei.” Esta, é a condição que Jesus estabelece para que possamos seus  amigos!
Não pode haver sintonia entre o homem e Deus sem a vivencia do amor, é pela vivencia do amor, que seremos reconhecidos como seguidores de Jesus!
Podemos até dizer que temos fé, mas se não aplicarmos na nossa vida os ensinamentos de Jesus, se não formos obedientes ao seu mandamento, não vivemos a fé que professamos, portanto, não permaneceremos no seu amor!
Jesus quer que todos nós sejamos salvos e o amor, é o caminho da salvação, ninguém se salva sem a vivência do amor!
Onde há convivência fraterna, Jesus se faz presente, onde há presença de Jesus, o amor é evidente! 
“Vós sois meus amigos se fizerdes o que vos mando.” Quem de nós não quer ser amigo (a) de Jesus? Compensa sermos obedientes a Jesus, fazer o que Ele nos manda! 
“O que então, pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo concederá.” Temos um meio para recebermos as graças de Deus: o amor ao próximo!
Amar o próximo é tão bom para nós, que Jesus, no final do evangelho, volta a insistir: “Isto é o que vos ordeno: Amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei”.
 
FIQUE NA PAZ DE JESUS! – Olívia Coutinho

Venha fazer parte do meu grupo de reflexão no Facebook:

JESUS NOS DEIXA SUA PAZ – Maria de Lourdes Cury Macedo


Domingo, 24 de abril de 2016.
Evangelho de São Jo 14,23-29

         Este trecho faz parte do discurso de despedida de Jesus ocorrido na 5ª feira Santa, quando Jesus ceou com os apóstolos pela última vez, lavou os pés deles, transformou o pão em seu corpo e o vinho no seu sangue, deu a todos para comer e beber. Falou que um deles o haveria de trair. E logo que Judas o traidor saiu para o trair, Jesus começou suas despedidas.  Jesus sabia que iria morrer e que iria para junto do Pai, sabia que iria se separar dos amigos, seus apóstolos e quer fazer as últimas recomendações aos seus discípulos para os fortalecer, para que eles não desanimassem e nem dispersassem, quer esclarecer sobre o que ainda iria acontecer.
          “Quem não me ama não guardará as minhas Palavras. E, no entanto, a Palavra que vocês acabam de ouvir não é minha, mas do Pai que me enviou”.(23-24)Jesus foi claro, Ele nos ensina que se alguém o ama, guarda sua Palavra.
O que significa guardar a sua Palavra? Significa ouvir, estudar, colocá-la no coração e vivê-la, isto é, praticá-la. Provamos o amor com nossas obras, com nosso jeito de ser, pensar e agir. Quem ama a Deus não permanece parado, mas faz alguma coisa, atua, realiza alguma coisa para o irmão.
         Guardar a Palavra é ter a Palavra no coração para agir na vida conforme ela fala. Quem tem a Palavra no coração está assimilando o modo de ser de Jesus. Guardar a palavra é estar em comunhão com o Pai e total entrega de si mesmo aos irmãos, ao próximo.
         Guardar a Palavra não é pegar a Bíblia e guardá-la numa gaveta, bem guardada. Não, é estudar esta Palavra, amá-la, obedecê-la, ouvi-la e colocá-la no coração para segui-la.
         Vejamos uns exemplos: a Palavra nos pede que pratiquemos os mandamentos da lei de Deus, então vamos nos esforçar para praticá-los. Ela nos pede que não façamos pecado, então vamos deixar a vida de pecado, de erro, de vícios que nos afastam de Deus. A Palavra nos pede que participemos da missa, então vamos participar com atenção. Isto é guardar a palavra, conhecê-la, amá-la e vivê-la. A palavra nos pede que pratiquemos a justiça, o amor, a fraternidade, que perdoemos, que não julguemos, então vamos obedecê-la.
         Nós somos a morada de Deus, isto é, Deus mora no coração de cada cristão que guarda a sua Palavra. Cada pessoa que aderiu a Jesus pela fé é morada de Deus. Deus mora no coração de quem o ama; habita nele como se fosse um templo vivo e de modo permanente, isto é, sempre. Quem guarda a Palavra tem Deus no coração.
         Deus não se manifesta ao mundo, pois o mundo não observa seus preceitos, suas leis, portanto, não o ama. Ele se manifesta aos que o amam. Essa manifestação é espiritual e feita em recompensa às boas obras e disposições. Quem ama a Cristo recebe-O. Quem o despreza afasta-O. Quem está com ele está bem. Quem se afasta dele não tem paz.
“Digo-lhes isto, enquanto estou com vocês; mas o Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, há de ensinar-lhes todas as coisas e lembrá-los de tudo o que lhes disse.” V. 25-26
         Jesus veio ao mundo e nos deixou inúmeros ensinamentos. Cumpriu sua missão. Prometeu enviar o Espírito Santo que viria para ensinar tudo e confirmar tudo o que Jesus ensinou. Jesus conhece nossa natureza, sabe que somos ignorantes, e esquecemos muito do que aprendemos. Mas o Espírito Santo instrui tudo o que for necessário. Por isso o Pai em nome de Jesus, envia o Esp. Santo sobre os Apóstolos no dia de Pentecostes. E eles a partir daquele dia, compreenderam de maneira nítida, clara e profunda todas as verdades ensinadas por Jesus.
         Antes dos Apóstolos receberem o Espírito Santo eles estavam cheios de medo e perturbados por causa da partida de Jesus. Só em pensar que Jesus iria morrer eles se sentiam assustados, paralisados, inertes.
         Como Jesus poderia confiar a essa gente medrosa e inerte o seu projeto, a sua missão? Como eles poderiam ser a continuação de Cristo, com tanto medo?
         Jesus, conhecendo a fraqueza humana, envia o Esp. Santo para fortalecer, esclarecer, instruir, ensinar, fazer lembrar todas as palavras e gestos de Jesus. O Espírito Santo é a memória atualizada das ações de Cristo em todos os tempos e lugares.
         Pela presença do Esp. Santo os apóstolos terão vivos na memória as ações de Cristo para poderem levar o Cristo a todos. Pelo Espírito Santo, as comunidades cristãs terão condições de fazer com que a Palavra de Deus ilumine as situações presentes, apontando os caminhos de libertação e vida para todos.
         E não só nos primeiros tempos como também até hoje, em todos os tempos e lugares o Esp. Santo continua a iluminar, a ensinar, a falar, a esclarecer, inspirar os cristãos para distinguir o que leva à vida e constrói o Reino de Deus, daquilo que não leva à vida, daquilo que é fruto do egoísmo e conduz à morte.
          “Eu lhes deixo a paz, eu lhes dou a minha paz. Não lhes dou a paz como o mundo a dá. Não se perturbem nem fiquem com medo em seus corações!” (27)
         Num clima de tristeza e de medo por parte dos discípulos, Jesus tem palavras de paz e alegria.
         Jesus está para morrer e dá a paz aos seus criando uma união entre o homem e Deus e estabelece a paz no coração do homem, fazendo com que o espírito seja superior à matéria, superior a carne. De forma que o nosso espírito é superior a nossa carne.
         Quando realmente existe essa paz com Deus, com o próximo e consigo mesmo, há uma tranquilidade e felicidade sobrenatural. E essa paz que Jesus dá é sentida no meio dos sofrimentos e provações, na calma ou nas agitações da vida.
         Jesus disse: “Eu lhes dou a minha paz”. A paz que Jesus dá é uma paz interior. Consiste na certeza da amizade de Deus. Quem tem essa paz, mesmo no meio das perseguições, nas tempestades da vida, conserva-se tranquilo e confiante. Essa paz fará com que haja harmonia e compreensão entre os cristãos. É a única coisa capaz de dar sentido à nossa vida.
         Pela fé em Cristo, o cristão entra em comunhão de amor com o Pai. Essa fé em Cristo é a paz que o Espírito Santo nos dá. O amor é tudo em nossa vida: é a paz, é a felicidade.
         A paz que Jesus nos dá é o oposto a paz que o mundo nos dá, a paz do mundo é voltada para o material. A paz que o mundo entende é uma vida tranquila, ter um bom ordenado, ter dinheiro, conforto, prazeres. É claro que estes confortos proporcionam momentos de paz. Só que essa paz não é profunda, estável e vai terminar, pode terminar. E quando termina deixa um gosto ruim, um vazio insuportável no coração.
         A paz de Jesus é diferente da paz do mundo. É uma paz de dever cumprido com Deus e com o próximo. A paz de Jesus é para aqueles que rezam e vivem de acordo com o Evangelho. É a paz da consciência tranquila, de viver o amor, a partilha, a fraternidade, a justiça, a honestidade, de se esforçar para viver de acordo com os ensinamentos de Jesus.
         A paz de Jesus comunica tranquilidade e alegria, em meio às maiores tribulações e sacrifícios, e dá ao nosso coração a esperança certa do prêmio que receberemos no céu. Essa paz leva-nos a dizer Como São Paulo: “Combati o bom combate, cheguei ao fim de minha carreira, guardei a fé. Resta-me agora receber a coroa da justiça que o Senhor, justo Juiz, me dará naquele dia, e não somente a mim, mas a todos aqueles que aguardam com amor a sua Aparição”.. ( 2Tm 4, 7)
         A paz que Jesus nos dá já é sentida e vivida não só no fim de nossas vidas, mas durante a nossa vida, na vida de cada um de nós, no dia-a-dia. Podemos desde já perfeitamente experimentar a paz, que Jesus nos dá.
         Abraços em Cristo!


         Maria de Lourdes