.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Somos homens e mulheres fracos na fé!-Helena Serpa


08/08/2017 - 3ª.feira –  XVIII semana comum – Números 12,1-13 – “a inveja é um mal que traz consequências funestas.”
A inveja é um dos sete pecados capitais e é a raiz de muitos dos males que atingem o homem e a mulher. Por causa da inveja há muita desarmonia e separação nas famílias, na comunidade e até na Igreja. No entanto, a palavra de Deus é uma Luz que nos mostra as evidências das nossas intransigências e um antídoto para a nossa insensatez.  Neste episódio nós vemos como Maria e Aarão, que eram irmãos de Moisés por laços de sangue, se ensoberbeceram e duvidaram da unção e do privilégio que ele recebera do Senhor. Porém, Deus é sábio nas Suas propostas e nos Seus planos e sabe muito bem distinguir a competência de cada um de nós, pois é Ele mesmo quem nos capacita de acordo com a Missão que nos propõe. Isto ainda hoje acontece entre aqueles (as) que Deus escolhe para dirigir um povo, e os que Ele escolhe para serem governados. Quantas vezes nós vemos acontecer no meio de nós dissensões e incompreensões da parte de alguém que já se “acha” preparado (a) para tomar o posto de quem está à frente! É o discípulo querendo ser mais que o mestre.  No meio das famílias, na Igreja, assim como também nas Comunidades, no Governo, em todas as esferas nós assistimos e às vezes, até participamos desta realidade.  “Moisés era um homem muito humilde”, por isso, o próprio Deus o justificou pela sua fidelidade e declarou a sua primazia diante de todos os outros profetas. A humildade é a expressão da verdade, e todos os que são escolhidos por Deus para estar à frente de alguma obra, devem reconhecer e assumir a sua capacidade, assim como também a sua limitação com a consciência de que tudo o que têm pertence ao Senhor. E os que são comandados devem também conscientizar-se de que estão obedecendo a Deus e não a homens. A lepra que atingiu Maria, irmã de Moisés, foi em consequência da sua rebeldia e soberba e quando também nós, na nossa caminhada nos rebelamos e desprezamos a vontade de Deus as consequências também são funestas.   – Você tem consciência de que o Senhor tem um lugar adequado para você atuar na vida? – Você inveja a posição de alguém e acha que poderia desempenhar melhor? - Em que a mensagem desta leitura poderá ajudá-lo (a)?

Salmo – 50 – “misericórdia, ó Senhor, porque pecamos!”
Este salmo, denominado de “miserere” é um pedido de perdão a Deus pelo nosso ser pecador. Quando oramos com ele nós estamos reconhecendo que não somos pecadores porque cometemos pecados, mas que cometemos pecado porque somos pecadores. “Eu reconheço toda a minha iniquidade, o meu pecado está sempre à minha frente”, diz o salmista. Nós também precisamos ter consciência de que o pecado é como um germe crônico que foi inoculado dentro de nós e, por isso, nós nunca deixaremos de ser  pecadores, no entanto o Senhor pode criar em nós um coração puro e dá-nos um espírito decidido a não mais cair na armadilha do pecado. O Espírito Santo é quem nos ajuda nesta obra.

Evangelho  - Mateus 14,22-36 – “somos homens e mulheres fracos na fé!

Percebendo que Seus discípulos estavam afligidos por causa da ventania que soprava sobre o barco agitado pelas ondas do mar, Jesus aproximou-se deles andando sobre as águas, a fim de salvá-los. Eles, porém, não reconheceram Jesus e Pedro pediu-Lhe, então, uma prova. “Senhor, se és tu, manda-me ir ao teu encontro, caminhando sobre a água”. Atento ao chamado de Jesus, Pedro foi, no entanto, esmoreceu na fé, teve medo e não conseguiu ir adiante, no seu propósito. Quando estamos atravessando as tempestades da nossa vida, isto também acontece conosco! Pedimos a Deus provas de coisas que só dependem da nossa fé para acontecer; queremos os milagres, mas não confiamos no poder de Deus; desejamos alcançar, mas não temos paciência para enfrentar as dificuldades próprias das coisas que queremos conquistar. Somos débeis, indecisos e, na verdade, somos homens e mulheres fracos na fé. Tiramos o olhar de Jesus e duvidamos das Suas promessas e ficamos condicionados a confiar na nossa própria fraqueza que não nos deixa caminhar sobre as dificuldades. Testamos a Deus, mas confiamos em nós. Todavia, sabedores de que não temos capacidade, nós naufragamos porque desistimos de lutar. Contudo, o Senhor nos espera de mãos estendidas para nos ajudar. Jesus conhece as nossas fraquezas, por isso, Ele nos perdoa quando tentamos testá-Lo e O colocamos à prova. A única coisa que precisamos fazer é reconhecer que Ele é verdadeiramente o Filho de Deus e tem poder para nos tirar de qualquer sufoco sem que seja preciso nos arriscar para avaliar a Sua força. - Você já percebeu que Jesus sabe das suas dificuldades e que Ele se aproxima de você de várias maneiras - Como você tem acolhido a aproximação de Deus na sua vida? - Você também tem testado o poder de Deus na sua vida? -  Como Ele tem se manifestado?   Você tem medo de Deus? Por que?  

3 comentários:

José Maria Nascimento disse...

Obrigado !!!

José Maria Nascimento disse...

Obrigado !!!

Mariano Silveira disse...

DEUS te abençoe e te ilumine. Obrigado p/ reflexão.

Postar um comentário