.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

-Não é ele o filho do carpinteiro?-José Salviano

4 de Agosto de 2017

Cor: Branco
Evangelho - Mt 13,54-58


Naquele tempo:
54Dirigindo-se para a sua terra,
Jesus ensinava na sinagoga,
de modo que ficavam admirados.
E diziam:
'De onde lhe vem essa sabedoria e esses milagres?
55Não é ele o filho do carpinteiro?
Sua mãe não se chama Maria,
e seus irmãos não são Tiago, José, Simão e Judas?
56E suas irmãs não moram conosco?
Então, de onde lhe vem tudo isso?'
57E ficaram escandalizados por causa dele.
Jesus, porém, disse:
'Um profeta só não é estimado
em sua própria pátria e em sua família!'
58E Jesus não fez ali muitos milagres,
porque eles não tinham fé.
Palavra da Salvação. (CNBB).

Jesus explicou que santo de casa não faz milagre.
Aquele filho que depois de sido ordenado padre, foi avisado pelos seus familiares, que a sua mãe estava muito mal, estava nas últimas.
Largando tudo, todos os compromissos, aquele jovem sacerdote foi correndo para a sua cidade natal, ver a sua querida mãe. Chegando lá, a viu prostrada em uma cama, meia sedada, e dormitando, e respirando com dificuldade. Imediatamente, o padre começou as orações que precediam a unção dos enfermos. Sua mãe, despertou e reconhecendo-o, disse:
Filho, o que está fazendo? Com um olhar meio assustada, como que diria: você é apenas o meu filho! Para com isso!
Outro exemplo. Aquele jovem se formou em medicina, e era um excelente médico na cidade grande.
Em suas férias, a primeira, por sinal, ele foi matar a saudade na fazenda dos seus pais.
Disse: vou tomar leite com gosto de leite, vou sentir o cheiro do chão molhado pela chuva, vou saborear carne fresca no churrasco com meus irmãos e amigos.
E foi. Logo que chegou, ficou sabendo de muitas novidades, porém, ali ainda reinava a falta de um bom atendimento médico, era uma realidade muito triste.
Pensou consigo. Que nada! Agora é diferente. Eu sou médico. E um bom médico.
No outro dia, uma senhora amiga da família, sofreu um acidente. Ela foi atacada por um boi arisco e pegador, que passava perto de sua casa.  Muito machucada ela foi socorrida às pressas, e aquele jovem médico logo foi avisado. Correu para ajudar, mas se esbarrou com a desconfiança dos filhos daquela mulher. Eles preferiram buscar um médico na cidade mais próxima. Não confiaram na competência daquele profissional, pois para eles, aquele tal de médico não passava do filho do Sr. Pedro, o fazendeiro do outro lado do rio.
Neste Evangelho, Jesus lamenta o fato dele não ser aceito em sua cidade natal. Em sua própria terra, a cidade de sua família, Nazaré, Ele não passou de um  filho de carpinteiro. Era rejeitado  pelos próprios familiares.  Não é ele o carpinteiro? Diziam, com certo desprezo. Isto porque  um profeta só não é valorizado na sua própria terra.

No evangelho de hoje percebemos a dificuldade que aqueles que conviveram com Jesus tiveram em compreender sua identidade. Quem é Jesus? Durante cerca de trinta anos ele viveu com a família, na Galiléia, sem nada excepcional que chamasse a atenção sobre sua pessoa.
Nós também enfrentamos o mesmo problema. Fiquei sabendo que muitos pais de sacerdotes não se confessam com os filhos padres. Meu amigo foi ordenado diácono, e na sua casa continuou sendo o marido, o pai, o tio, sem mais nenhuma novidade a se considerar.
O catequista em sua casa pode até ser interpretado como aquele que pretende ser o dono da verdade, quando faz alguma correção, principalmente pela geração jovem. Mas nada disso pode nem deve diminuir sequer o ritmo da nossa empreitada de levar o evangelho aos que o querem ouvir. Se naquela festa da família alguém fez um sutil gracejo sobre o nosso trabalho missionário, com gracejo também devemos responder, de cabeça erguida, confiante e com orgulho de ser um evangelizador (a).

ORAÇÃO:
Jesus. Dai-me força e coragem para nunca desanimar, aconteça o que acontecer, eu quero continuar firme no meu propósito de levar a o evangelho àqueles e àquelas que precisam de ajuda, que estão no caminho errado, aqueles e aquelas que têm sede de Deus. Amém.


Tenha um bom dia. José Salviano.




Um comentário:

Anônimo disse...

Eu todos os dias faço a leitura do dia e complemento com os comentários dessa equipe para complementar meus ensinamento e por em prática muito obrigado, que o Senhor Deus continue derramando benção a todos na Paz de Cristo, Jair Ferreira.

Postar um comentário